Renault Laguna (2007-2015) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Renault Laguna (2007-2015)

Published

on

A terceira geração do Renault Laguna, e até ver a última, foi a mais conseguida de todas as que o construtor francês colocou no mercado. É aquela que oferece um produto muito homogéneo por um preço competitivo.

Com um habitáculo que oferece um ambiente agradável e que é composto por bons materiais, este Laguna apresenta um bom espaço interior nos bancos dianteiros, mas a habitabilidade atrás sai um pouco penalizada pela altura que oferece, já que não é muito generosa.

O conforto é bom, em especial no campo da insonorização em que o Laguna reduz ao mínimo os ruídos aerodinâmicos e os do motor. No entanto em mau piso a suspensão mostra-se algo firme o que pode beliscar um pouco o conforto sentido.

Dinamicamente estamos perante a geração mais eficaz do Laguna e se porventura optar pela versão GT com o eixo traseiro direcional, então este Renault surpreende pela sua agilidade, parecendo que segue sobre carris.

Considerando os motores, o equipamento, os custos de manutenção bastante razoáveis e o segmento em que se insere o Laguna surge no mercado com um bom preço, mas é um modelo que desvaloriza um pouco. Se isso pode ser um problema para quem vende, é um trunfo para quem compra pois poderá conseguir comprar “muito carro por pouco dinheiro”.

Motores

A gama de modelos Laguna é dominada pelas versões equipadas com os motores Diesel 1.5 dCi de 110 cv e 2.0 dCi com 150, 175 e 180 cv de potência. A unidade de 2.0 litros surge como a escolha mais equilibrada pois o seu rendimento adequa-se mais ao peso e dimensões do Laguna.

NUm período em que o gasóleo era rei é normal que as opções a gasolina não fossem muitas, mas ainda assim o Laguna contava com o motor 2.0 a gasolina com 145 cv e na versão mais musculada de 205 cv que equipava o Laguna GT.

Principais avarias e problemas

Nos modelos equipados com o motor 1.5 dCi produzidos entre Setembro de 2009 e Outubro de 2010 foram registados possíveis problemas com a distribuição.

Os exemplares fabricados entre Novembro de 2012 e Setembro de 2014 equipados com o motor 2.0 dCi revelaram falhas na programação da regeneração do filtro de partículas.

Anomalias nos cintos de segurança levaram a uma verificação nos concessionários em 2010 ao passo que nalguns modelos foram detetados alguns problemas no depósito de combustível que levaram mesmo à sua substituição.

O sistema de deteção da pressão dos pneus pode exibir um mau funcionamento nos Laguna produzidos entre janeiro de 2008 e Março de 2010.

Renault Laguna (2007-2015)
7.2 Avaliação
6.6 Utilizadores (2 Votos)
Pros
Preço
Insonorização
Custos de manutenção
Contras
Desvalorização
Habitabilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção7.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7
Segurança8
Conforto7
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Avaliações Usados

Hyundai i10 (2008-2013)

Published

on

O pequeno citadino da marca coreana revelou-se uma boa aposta para quem precisa de um parceiro competente para o dia a dia na cidade a um preço competitivo.



Muito fácil de conduzir graças à sua direção leve, pequenas dimensões e boa visibilidade, o i10 tem no ambiente urbano o seu habitat natural. Curiosamente e apesar das suas pequenas dimensões exteriores ele oferece uma habitabilidade muito boa para quatro adultos e uma bagageira que até se pode considerar generosa com os seus 225 litros de capacidade.

O habitáculo tem um desenho simples e todos os comandos principais estão bem posicionados. Os plásticos rígidos dominam o interior, sendo que alguns deixam um pouco a desejar. No entanto a sua montagem está num bom nível considerando o segmento em que se insere este Hyundai.

A sua suspensão não é das mais eficazes em termos de conforto. Deixa passar algumas trepidações para o interior quando o piso é mais degradado e não controla de forma muito competente os movimentos da carroçaria. O seu comportamento dinâmico não impressiona, mas é suficientemente previsível e seguro, que é o que se espera de um citadino desta natureza.

Motores

O Hyundai i10 conta com os motores a gasolina 1.1 com 66 e 69 cv e 1.2 com 78 e 85 cv (com os restylings estes motores foram melhorados em termos de potência e de consumos) sendo que a oferta Diesel está a cargo do 1.1 CRDi com 75 cv. Este último tricilíndrico é o que oferece um melhor compromisso entre prestações e consumos, mas os motores a gasolina também se mostram poupados na hora de abastecer.

Principais avarias e problemas

O motor 1.2 pode acumular resíduos nas válvulas de escape o que pode obrigar à substituição das mesmas. Já nos modelos produzidos entre agosto e setembro de 2008 equipados com o motor 1.1 CRDi pode dar-se o caso deste começar a ganhar ferrugem nos canais por onde passa o óleo o que obriga à substituição do bloco do motor e também do turbo e da bomba de óleo caso também tenham sido danificados

Ainda no motor 1.1 CRDi é possível que surjam algumas perdas de potência causadas por problemas com a válvula EGR.

A caixa de velocidades pode também dar alguns problemas com anomalias nos sincronizadores, podendo mesmo chegar a bloquear na marcha atrás.

Hyundai i10 (2008-2013)
6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço
Habitabilidade
Facilidade de condução
Contras
Conforto
Alguns materiais
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6.5
Desvalorização5.5
Qualidade dos materais5.5
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança6
Conforto6
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico5.5
Performance5.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Suzuki Ignis (2016-…)

Published

on

A segunda geração do Suzuki Ignis rompeu totalmente com a estética da primeira, mostrando-se agora mais disruptivo nas suas linhas com duas grandes óticas dianteiras e traseiras também, o que lhe dão um certo caráter.



Marcadamente citadino, o Ignis até surpreende pelo seu espaço no habitáculo onde cabem quatro adultos sem problemas de maior. O desenho do interior é moderno quanto baste e o ecrã táctil central ajuda a essa sensação. A maioria dos materiais deixa algo a desejar, apesar do rigor da construção ser bom.

Muito ágil e fácil de conduzir, o Ignis sente-se em casa no ambiente urbano onde a sua direção leve facilita as manobras. No entanto ela mostra-se um pouco vaga demais dando pouca informação ao condutor sobre tudo o que se passa no eixo dianteiro.

A suspensão faz um trabalho eficaz a controlar os movimentos da carroçaria, mas ao mesmo tempo a firmeza da sua suspensão não abona muito a favor do conforto, especialmente se o piso é degradado ou empedrado.

O Ignis tira partido da imagem de fiabilidade da Suzuki e tirando os contratempos habituais de qualquer carro, ele partilha da fiabilidade mecânica a que o construtor japonês já nos habituou.

Motores

O Ignis surgiu no mercado em 2016 apenas com um motor, o 1.2 DualJet, com 90 cv de potência que se revela suficiente para as necessidades deste citadino. Não se esperem grandes prestações, mas em compensação ele mostra-se muito poupado nos consumos. Em 2020 com o restyling o Ignis passou a estar equipado com um 1.2 Hybrid, auxiliado por um motor elétrico que o auxilia com um pouco mais de binário no arranque ao mesmo tempo que reduz ligeiramente os consumos.

Principais avarias e problemas

Os modelos produzidos até abril de 2019 podem apresentar fugas de óleo, algo resolvido com a mudança de uma junta.

É possível que o eixo dianteiro venha a revelar alguns ruídos, o mesmo podendo acontecer com a coluna da direção.

O sistema de navegação pode não funcionar de forma plenamente correta, sendo possível que haja falhas no posicionamento do veículo.

Suzuki Ignis (2016-...)
6.1 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Agilidade
Fiabilidade
Habitabilidade
Contras
Alguns materiais
Direção demasiado leve
Fiabilidade7
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6
Qualidade dos materais5.5
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança6
Conforto5.5
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico6
Performance5.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

Em aceleração