Opel Rocks-e KARGO não chegará a Portugal – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Opel Rocks-e KARGO não chegará a Portugal

Published

on

A Opel está a aumentar o leque de propostas do seu quadriciclo Rocks-e, elétrico e sem emissões, através de uma nova versão para entrega de encomendas.



Com apenas 2,41 metros de comprimento, 1,39 m de largura e 1,52 m de altura, o Rocks-e KARGO oferece aos profissionais mais de 400 litros de volume flexível de carga.

Com o seu círculo de viragem de apenas 7,20 m, o quadriciclo pode manobrar pelos becos mais estreitos. Com uma autonomia elétrica máxima de 75 quilómetros (WLTP), torna-se no veículo SUM (Sustainable Urban Mobilty) do fabricante automóvel alemão ideal para a entrega de pequenas parcelas, como encomendas, pizzas ou medicamentos, em especial em zonas urbanas.

O Rocks-e KARGO ficará disponível para encomenda inicialmente na Alemanha e na Holanda ainda este ano, e sucessivamente noutros países, não estando ainda prevista a sua chegada a Portugal.


Em vez de contar com um banco para o passageiro como no tradicional Opel Rocks-e de dois lugares, o Opel Rocks-e KARGO conta com um compartimento de carga modular, separado do cockpit do condutor por uma divisória vertical. Quanto ao condutor, continua a desfrutar do mesmo espaço disponível e conforto de condução da versão de passageiros.

Tal como na respetiva versão de passageiros, o motor elétrico do Opel Rocks-e KARGO produz 6 kW / 8 cv de potência contínua, com uma potência máxima de 9 kW / 12 cv, disponível, por exemplo, para acelerar. A bateria de 5,5 kWh pode ser totalmente recarregada em cerca de quatro horas através de uma tomada doméstica AC. O cabo de carregamento, com 3,0 metros de comprimento, está permanentemente alojado no veículo, bastando simplesmente retirá-lo a partir da porta do passageiro, quando necessário. A Opel oferece um adaptador para carregar numa estação de carregamento pública.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

FIAT Ducato estreia transmissão automática de 8 velocidades

Published

on

A FIAT Professional estreia a caixa de velocidades AT8, uma nova transmissão que mostra o compromisso da marca com a melhoria do produto e entrega uma experiência cada vez mais mais confortável para seus clientes.



Projetada como uma transmissão automática de 8 velocidades, o sistema AT8 está programado para ser utilizado no novo Ducato, incluindo na versão Camper.
Uma das caraterísticas de destaque do AT8 é redução nas emissões de CO2 reduzida em 10% em comparação com a versão automática atual, atribuída à entrega de binário mais equilibrado, eficiente e muito mais controlado.


Além disso, esses novos componentes estão no centro da experiência geral de condução, notável por seu conforto aprimorado que agora é definido por melhores tempos de mudança, qualidade e controle. Todas essas caraterísticas derivam das novas embraiagens, resultando numa condução mais eficiente devido ao binário otimizado de 450 Nm e ao motor 4 litros de 180 CV Multijet
Outra inovação significativa é proporcionada por um acumulador hidráulico, um componente-chave no suporte das trocas de caixa.

A nova AT8 também será proposta para a Ducato Camper, o que revela a dedicação consistente da FIAT Professional em atender vários tipos de cliente, garantindo uma produção que atenda consistentemente às mais variadas necessidades.
A transmissão é adequada para Motorhomes de até 5 toneladas GVW, com um aumento de mais de 600 kg em comparação com os modelos anteriores e um peso total incluindo reboque de 6,5 toneladas.

Continuar a ler

Comerciais

“Camião Bala” da Kenworth é a hidrogénio e está pronto

Published

on

A Kenworth apresentou o seu SuperTruck 2. É o mais recente de uma série de semi-reboques ecológicos criados no âmbito de um programa do Departamento de Energia.



Mais parecido com um comboio-bala do que com um semi-reboque, o Kenworth SuperTruck 2 “ultrapassa os limites da redução da resistência aerodinâmica”. Como parte deste esforço, o modelo tem um estilo aerodinâmico e rodas totalmente fechadas. Também tem espelhos laterais digitais que não só reduzem o arrasto, como também ajudam a melhorar a visibilidade.
O modelo também possui uma suspensão variável, que pode ajustar a altura de condução para otimizar o espaço livre ou a aerodinâmica.

O estilo futurista continua no interior, com um banco do condutor central e um painel de instrumentos digital de 15 polegadas. Este último promete fornecer notificações avançadas ao condutor, um layout configurável e menus de fácil utilização.
Atrás do cockpit encontra-se uma área de dormir com uma cama que se dobra sobre um sofá. A estes juntam-se uma mesa móvel e saídas de ar traseiras.
A potência é fornecida por um motor PACCAR MX-11, que produz 446 CV e inclui um sistema híbrido moderado de 48V que utiliza baterias de iões de lítio de última geração. Este último permitiu que o camião fosse equipado com ventiladores elétricos e direção elétrica, bem como bombas elétricas para o líquido de arrefecimento e o ar condicionado. Todos estes elementos eram anteriormente acionados mecanicamente.

Para além de ajudar a melhorar a eficiência, o sistema híbrido permite o “alojamento” durante a noite com o motor desligado. Isto poderia ajudar a reduzir significativamente as emissões, uma vez que os condutores de camiões não precisariam de manter os seus veículos em funcionamento enquanto dormem. Para além de um motor mais eficiente, o SuperTruck 2 e o seu reboque são surpreendentemente leves. Como a Kenworth explicou, o trator e o reboque pesam, em conjunto, 11.839 kg, o que representa menos 3.221 kg do que uma configuração típica.
Para ajudar a reduzir a massa, foram equipados dez pneus conceptuais que reduzem 161 kg de peso e têm uma resistência ao rolamento extremamente baixa. O motor mais eficiente também permitiu a utilização de um depósito de combustível mais pequeno, de 303 litros, que poupa peso e mantém a autonomia inalterada.

A Kenworth tinha como objetivo uma melhoria de 100% na eficiência do transporte de mercadorias em relação ao T660 de 2009, que era “indiscutivelmente o camião mais eficiente em termos de combustível na indústria” na altura, e acabou por ultrapassar esse objetivo ao atingir uma melhoria de 136%. O modelo também apresenta uma melhoria na eficiência de combustível de até 4% e uma redução de 48% no arrasto.
Embora o SuperTruck 2 seja movido a gasóleo, a marca afirmou que foi concebido para acomodar células de combustível, depósitos de hidrogénio, depósitos de gás natural ou baterias sem alterar a cabina básica.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

Em aceleração