Como fazer um test-drive a um Usado – Motorguia
Ligue-se connosco

Usados

Como fazer um test-drive a um Usado

Published

on

Não conhece nenhum mecânico ou amigo “expert” em automóveis e vai ter de assumir o teste de estrada do carro usado que quer comprar. Não é tão difícil assim.

Há algumas semanas que vem analisando os anúncios de carros usados ​​e uma das escolhas está feita ao ponto de se preparar para o ver ao vivo. Vai conhecer o vendedor e fazer uma observação pormenorizada depois de ter lido o nosso texto sobre “Os perigos de comprar carro usado” e falta apenas o teste-drive para tirar todas as dúvidas. E aqui é onde você precisará aplicar um pouco de estratégia.

O test-drive de um usado é totalmente diferente do teste de estrada de um automóvel novo. Com o Usado terá de se preocupar com muitos outros pormenores.

FAÇA O TESTE DURANTE O DIA – A luz do dia revela tudo. Sempre se ouviu dizer que negócios de automóveis não se fazem à noite. Alguma razão terá a sabedoria popular para produzir esta afirmação. É difícil, se não impossível, inspecionar visualmente um veículo usando uma lanterna. Você corre o risco de perder alguns aspetos importantes, como a presença de ferrugem ou desgaste de pneus e outras peças, para não mencionar o facto de que algumas cores de carros parecem muito diferentes à noite do que à luz do dia. Um compromisso diurno, mesmo no fim-de-semana, é, portanto, a melhor maneira de dar o pontapé inicial.

ESCOLHA DO ITINERÁRIO – Procure fazer um reconhecimento no Google Maps nas imediações ponto de encontro que lhe permita conduzir em vários cenários: subidas acentuadas, descidas, estrada em estado degradado e trepidante, autoestrada ou uma via rápida, cenários suficientes para perceber ruídos, dificuldades e outros aspetos da condução que lhe possam revelar o estado real da viatura que quer comprar. Com este tipo de estradas vai poder experimentar a resposta do motor nos vários regimes, a travagem, as reações da suspensão, a embraiagem e a direção.

MÁXIMA CALMA – Não precisa de fazer o test-drive a correr. Conduza devagar, sem o rádio ligado. Conduzir devagar de forma descontraída é o melhor teste ao conforto, insonorização e capacidade de apreensão dos diversos ruídos que o veículo pode evidenciar. Vá experimentando o ar condicionado e todos os sistemas elétricos.

Jamais marque o test-drive a uma hora de ponta. Se só tiver disponibilidade durante a semana marque a meio da manhã, à hora de almoço ou no início da tarde. Fazer o teste em pára-arranca é meio caminho andado para comprar gato por lebre.

CONCLUSÃO – Se tiver dúvidas sobre o estado do veículo não deixe de perguntar ao proprietário a razão de determinado ruído ou reação do veículo. Se não for suficientemente convincente na explicação, deve evitar o negócio ou sujeitar o carro à opinião de uma oficina independente. É preferível gastar alguns euros para ouvir uma opinião profissional ao invés de ficar com um carro que lhe pode vir a ser bastante mais caro do que inicialmente previa.

 

Manutenção

Dicas para poupar combustível

Published

on

Independentemente do tipo de veículo ou do tipo de combustível, poupar nos consumos terá reflexo na carteira e, também considerando uma consciência ambiental, também reduzirá as emissões poluentes.



No seu dia a dia há pequenos gestos que podem reduzir os consumos do seu automóvel na sua utilização habitual e por isso aqui lhe deixamos algumas dicas para que possa baixar um pouco a rapidez com que o indicador de combustível desce.

Utilize menos o automóvel
É óbvio que se não usar o automóvel poupa em combustível. Parece uma sugestão despropositada, mas por vezes o hábito de andar de carro leva o condutor a utilizá-lo para todo o lado, para tudo e mais alguma coisa, fazendo muitas vezes um conjunto de deslocações que são completamente desnecessárias. Há pequenos trajetos dentro da sua própria localidade em que pode ir a pé, por exemplo. Além de poupar combustível, polui menos, ocupa menos estacionamento e até é bom para a saúde pois faz exercício.

Verifique o estado do veículo
Um automóvel em bom estado é mais eficiente no seu rendimento pois o motor não faz nenhum esforço extra para compensar perdas de energia causada por algumas anomalias. Verifique também de forma regular a pressão dos pneus. Utilizar a pressão recomendada pelo fabricante é meio caminho andado para poupar nos consumos pois um pneu com pressão a menos fica com uma maior superfície de contacto da borracha com o asfalto, o que aumenta o atrito e consequentemente o esforço do motor para o automóvel andar à mesma velocidade do que se tiver a pressão certa.

Ar condicionado só quando necessário
O ar condicionado é um elemento que hoje em dia é fundamental num veículo. Melhora o conforto e contribui também para a segurança ao garantir que o condutor está mais atento pois está mais confortável e que tem melhor visibilidade pois em caso de embaciamento a função de desembaciamento é mais eficaz. Contudo quando ligado ele consome energia, energia essa que vem do motor do automóvel o que logicamente faz com que os consumos aumentem. Portanto não se esqueça de desligar o ar condicionado quando não necessita dele.

Conduza com suavidade
O pé pesado é inimigo dos consumos. Acelerar muito ou esticar as rotações antes de uma passagem de caixa só farão o ponteiro do indicador do depósito descer mais rapidamente. Além disso aumenta o desgaste no seu veículo o que no futuro terá reflexo na conta da oficina. Acelere com suavidade e ande sempre com a relação de caixa adequada. Sempre que possa utilize uma relação acima da ideal para poder poupar combustível. Aproveite também a própria via onde circula. Se for a descer deixe de acelerar, mantenha o veículo engatado numa mudança e controlado deixe que de certa forma a gravidade faça o trabalho do motor que assim consume menos.

Não abuse da capacidade de carga
Quando utiliza o seu automóvel para transportar objetos não “leve a casa às costas”. Não exagere no peso que coloca no veículo pois como é compreensível o aumento do peso vai exigir mais do motor e, claro está, aumentar os consumos.

Continuar a ler

Manutenção

5 dicas para proteger o seu carro durante o inverno

Published

on

Com as estações do ano cada vez mais rigorosas os invernos têm sido também mais exigentes e o nosso país, tradicionalmente ameno, começa a sentir também invernos mais intensos e a neve ou o gelo já não são fatores tão raros assim.



Levando isso em conta, aqui lhe deixamos cinco conselhos simples para proteger melhor o seu automóvel na época mais fria do ano.

1 – Verifique os níveis
Para começar veja o nível e o estado dos líquidos do seu veículo. Verifique as condições do óleo do motor e reponha ou substitua caso necessário. Não se esqueça que quando as temperaturas baixam o óleo do motor fica mais espesso perdendo as suas qualidades o que pode levar a problemas de lubrificação, consequente aquecimento do motor que pode dar origem a evitáveis problemas mecânicos mais sérios. Assegure-se que o líquido de refrigeração tem anticongelante e por fim encha o depósito da água dos limpa para-brisas.

2 – Troque as escovas limpa para-brisas
É comum que depois do verão a borracha das escovas do limpa para-brisas esteja ressequida e quebradiça o que leva a que não limpem corretamente o para-brisas. Numa estação do ano em que certamente o condutor irá deparar-se com más condições de visibilidade, chuva e quiçá neve, é determinante que todos os elementos que contribuem para uma melhor visibilidade estejam nas melhores condições. Portanto, veja o estado das escovas e em caso de dúvida não hesite em trocá-las por umas novas.

3 – Cuidado com a iluminação
Como já foi referido, a visibilidade é determinante quando as condições climatéricas se tornam mais adversas. Assim, verifique as condições de todos os faróis, sem esquecer os faróis de nevoeiro. Não se limite a ver se funcionam, veja com atenção o estado do vidro das óticas, se está opaco e necessita de um polimento, ou até se tem alguma fissura que permita a entrada de humidade, o que no inverno pode ser problemático. Assegure-se que tem um conjunto de lâmpadas de substituição pois nunca se sabe quando uma lâmpada pode falhar e isso pode complicar muito a condução num dia mais complicado em termos meteorológicos.

4 – Atenção aos pneus
Elemento fulcral na ligação do automóvel ao asfalto, os pneus devem ser alvo de uma inspeção atenta. Veja o estado do piso dos pneus e tenha a certeza que além de estarem acima do limite mínimo legal (1,6mm de profundidade) a borracha não está envelhecida, demasiado dura e quebradiça, pois isso implica que o pneu perdeu as suas capacidades de aderência o que é altamente perigoso numa estação em que as estradas vão estar mais escorregadias. Confirme também se os pneus estão com a pressão recomendada pelo construtor do veículo e não se esqueça de verificar novamente pelo menos uma vez por mês. Só com a pressão correta se consegue que o pneu tenho o seu desempenho ideal.

5 – Trate da carroçaria
Antes de enfrentar o inverno e o frio, trate da carroçaria do seu carro. Faça uma lavagem minuciosa e no final aplique uma camada de cera. Assim protegerá a pintura do automóvel mas acima de tudo terá uma camada que dificulta a acumulação de neve e gelo e ao mesmo tempo torna mais fácil a sua remoção. tenha especial atenção se circula em estradas em que é aplicado sal para diminuir os efeitos da neve e do gelo porque o sal pode acelerar o surgimento de pontos de corrosão no seu automóvel. Se circular neste tipo de regiões então regularmente lave o carro por baixo de maneira a remover o sal que possa estar acumulado.

Continuar a ler

Manutenção

O que fazer depois de comprar um carro usado

Published

on

Comprar um usado implica sempre cuidados acrescidos face à compra de um modelo novo, por isso aqui lhe deixamos alguns conselhos para assegurar que tira o melhor partido da sua compra.



Documentos em ordem
Assegure-se que toda a documentação é tratada corretamente. Esta tarefa até pode ser feita no momento da compra de forma a que fique logo o processo todo tratado.

Necessita dos seus documentos pessoais e dos do vendedor (no caso de ser um particular) e tem de preencher o Requerimento de Registo Automóvel que pode descarregar aqui na página do Instituto dos Registos e do Notariado. Depois de devidamente preenchido por ambas as partes basta registar o acto da compra e venda num notário ou numa Loja do Cidadão e aguardar a receção do Documento Único Automóvel já em seu nome.Virando as atenções para o carro em si, confirme as datas da inspeção periódica do automóvel e do Imposto Único de Circulação (IUC) e verifique se está tudo e dia. Trate também do seguro de forma a que fique válido logo desde o primeiro momento em que o carro é seu.

Prevenção mecânica
Se não levou um mecânico consigo para ver o carro antes de o comprar, então deve fazê-lo agora e garantir que qualquer anomalia é devidamente reparada antes que se possa tornar numa complicação maior. Além disso, deve substituir todos os filtros (ar, combustível, óleo e ar condicionado) e mudar também todos os fluídos (óleo, óleo dos travões e liquido de refrigeração). Se não estiver totalmente confiante com o passado do veículo então também é aconselhável trocar o kit de distribuição (correia e tensores) pois se porventura a correia não estiver no melhor estado e partir então os danos podem ser muito complicados e onerosos e é melhor jogar pelo seguro.
Não se esqueça de ver a condição dos amortecedores, dos pneus e da bateria. Mesmo não trocando estes elementos de imediato, pelo menos fica com uma ideia de quando o terá de fazer, ou se por outro lado está tudo bem e é menos um conjunto de preocupações.

Conheça o seu “novo” automóvel
Para começar deve ler o manual de instruções. Há sempre detalhes diferentes de marca para marca e de carro para carro e por isso convém saber os pormenores particulares do modelo que comprou. Aproveite e dê uma boa lavagem exterior e uma limpeza profunda no interior. Desta forma consegue fazer uma análise mais detalhada e encontrar algo que lhe tenha escapado quando viu o carro antes da compra e que tenha de ser arranjado. Por fim, deve fazer algumas viagens, curtas e mais longas, para assimilar o comportamento do automóvel e com isso ficar mais familiarizado com o mesmo, o que no futuro lhe permitirá aperceber-se de alguma reação que não seja habitual e que possa indiciar um problema para resolver.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração