Depois da Raptor, Ford Ranger aposta em nova versão desportiva MS-RT – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Depois da Raptor, Ford Ranger aposta em nova versão desportiva MS-RT

Published

on

Chama-se Ranger MS-RT e é a versão mais desportiva da pick-up americana no catálogo do modelo.



Concebida em parceria com os especialista de design MS-RT, a inspiração foi totalmente encontrada no desporto motorizado e combina detalhes e especificações premium que colocam esta versão (que tem por base o nível de equipamento Wildtrack), mas está mais focada num meio urbano e estrada nacionais.

A nova Ford Ranger MS-RT apresenta uma nova frente com uma grelha em favo de mel de fibra de carbono e com os faróis de nevoeiro embutidos (nas entradas de ar da parte inferior). O perfil destaca o ar desportivo com saias laterais entre os para-lama mais proeminentes sobre rodas com jantes OZ Racing de alumínio de 20’’.

O interior privilegia a pele com pespontos cor de laranja proporcionando bancos aquecidos à frente e oferecendo o sistema de conetividade e navegação Ford Sync 3 com um ecrã tátil de 8’’ e uma câmara de visão traseira para mais fácil estacionamento ou engate do reboque.

O motor não podia deixar de ser o poderoso EcoBlue de 2,0 litros biturbo de 210 cv de potência e 500 Nm de binário associado à transmissão automática de 10 velocidades comum ao Ford Mustang e a Ranger Raptor e a tração às quatro rodas é seletiva. A capacidade de carga é de praticamente 1.100 kg e a de reboque é de 3.500 kg.
A nova Ford Ranger MS-RT vai estar disponível nos concessionários da marca a partir do verão deste ano.

 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Freightliner apresenta segunda geração do SuperTruck

Published

on

A Daimler Truck North America (DTNA), uma subsdiária da Daimler Truck, apresentou a segunda gerçaão do SuperTruck em Las Vegas, no CES, camião que traz uma variedade de inovações técnicas para demonstrar o potencial da eficiência no transporte de carga.



O protótipo foi desenvolvido como parte integrante do programa SuperTruck cofinanciado pelo Departamento de Energia dos EUA, cujo objetivo passa por reduzir as emissões no transporte rodoviário de mercadorias. Os engenheiros da DTNA investigam tecnologias de camiões pesados da nova geração, formas técnicas para o seu desenvolvimento e formas de as integrar em produtos de série.

Desenvolvido sobre a base de sucesso do SuperTruck I, apresentado em 2015, o SuperTruck II superou as expetativas no que diz respeito à aerodinâmica, pneus, cadeia cinemática e fornecimento de energia, duplicando a eficiência de carga do veículo base desde o início do programa SuperTruck.
Os engenheiros da Freightine puderam superar as melhorias aerodinâmicas e reduzir a resistência aerodinâmica deste veículo em mais de 12% face ao da primeira geração. E em vez de mudar radicalmente a estrutura do camião, o objetivo do desenho do SuperTruck II era redefinir o formato existente no mercado para maximizar a eficiência aerodinâmica e, ao mesmo tempo, utilizar uma linguagem de design avançado para transmitir essa eficiência. O capô, o para-choques e a carenagem do chassis redesenhados funcionam bem com a estrutura da cabina existente e agora permite que o ar flua sem perturbações ao redor do camião. A grelha, as entradas de ar e as portas foram redesenhadas para que se tornassem mais uniformes e limpas para não comprometerem a aerodinâmica do camião.

O SuperTruck II conta com a cadeia cinemática mais eficiente que a Freightline integrou num camião. O sistema de propulsão altamente eficiente permite uma redução do consumo de 5,7% face ao primeiro modelo. Um inovador sistema elétrico de 48V que conta com baterias de iões e lítio permite reduzir o consumo de combustível e aumentar o conforto do condutor, como um novo sistema de ar condicionado elétrico que consome menos 50% de energia e continua a funcionar mesmo com o motor desligado.
Os pneus também são novos e foram desenhados especificamente para este modelo. Reduzem o consumo de energia do veículo e o tempo de inatividade por manutenção devido ao desgaste minímo. Os pneus têm um papel fundamental para alcançar os objetivos de eficiência ao reduzir a fricção em asfalto, logo é preciso menos combustível para o camião manter a velocidade.

Continuar a ler

Comerciais

DB Schenker utiliza primeiros MAN eTrucks já em 2024

Published

on

A empresa internacional de logística DB Schenker e o fabricante comercial de veículos pesados MAN Truck & Bus assinaram um acordo para integrar, pela primeira vez, o novo MAN eTruck. A DB Schenker está assim a impulsionar a eletrificação da sua frota e o transporte rodoviário de mercadorias. A empresa planeia acrescentar 100 novos MAN eTrucks à sua frota até 2026.



Na primeira metade de 2024, os primeiros MAN eTrucks serão produzidos numa pequena série na linha de produção na sede da empresa em Munique. Com a assinatura do acordo, a DB Schenker é o primeiro cliente piloto para estes eTrucks. A empresa quer ganhar experiência prática com o produto o mais cedo possível. Isto inclui também a criação da sua própria infra-estrutura de carregamento, planeamento inteligente de rotas e outros serviços digitais da MAN Digital Solutions, tais como eManager, ServiceCare e MAN Driver App. A DB Schenker é, portanto, apoiada pela consultoria 360° da MAN Transport Solutions, incluindo análise de rotas, estratégia de carregamento, planeamento de infra-estruturas de carregamento e otimização da procura de energia.

Os primeiros MAN eTrucks para a DB Schenker serão tractores para semirreboque. A baixa altura do semirreboque de cerca de 950 mm permite o transporte de reboques com uma altura interna de 3 metros. Dez MAN eTrucks que a DB Schenker receberá em 2024 serão unidades de ultra-tractor. Os outros camiões eléctricos a serem entregues em 2025 e 2026 estão planeados serem ultra-tractores e camiões de caixa móvel.
Os componentes essenciais do eTrucks serão produzidos em Nuremberga no futuro. A MAN fabrica as baterias de alta tensão neste local – actualmente ainda em produção em pequenas séries, mas a partir do início de 2025 os pacotes de baterias serão produzidos em grandes séries. Para este fim, a empresa irá investir cerca de 100 milhões de euros durante os próximos cinco anos no local de produção tradicional para motores de combustão interna. O fabricante de veículos comerciais está também a receber apoio do governo do estado da Baviera, que se comprometeu a contribuir com cerca de 30 milhões de euros para a pesquisa de energia e financiamento tecnológico para o período de 2023 a 2027.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por Ribatejano
    Olá a todos. Um amigo meu está a pensar comprar um Kia Cerato de 2005, motor 1.5 crdi com 190 mil kms e livro de revisões. O que pensam deste...
  • por Sofiacar
    Boa noite {"data-align":"none","data-size":"full","src":"https:\/\/www.espiritohonda.com\/forum3\/images\/smilies\/smiling0.gif"} Tenho um Honda...
  • por marciolm
    Olá a todos, Gostava de pedir a vossa opinião sobre um carro para a minha namorada. Ela atualmente tem um Peugeot 207 de 2009 a gasolina com 90...
  • por OpelCorsaB
    Boa tarde. Tenho uma viatura clássica e uma mota a 2 tempos e estão guardados dentro da minha garagem box. Fui abordado por um vizinho a dizer que...

Em aceleração