Depois da Raptor, Ford Ranger aposta em nova versão desportiva MS-RT – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Depois da Raptor, Ford Ranger aposta em nova versão desportiva MS-RT

Published

on

Chama-se Ranger MS-RT e é a versão mais desportiva da pick-up americana no catálogo do modelo.



Concebida em parceria com os especialista de design MS-RT, a inspiração foi totalmente encontrada no desporto motorizado e combina detalhes e especificações premium que colocam esta versão (que tem por base o nível de equipamento Wildtrack), mas está mais focada num meio urbano e estrada nacionais.

A nova Ford Ranger MS-RT apresenta uma nova frente com uma grelha em favo de mel de fibra de carbono e com os faróis de nevoeiro embutidos (nas entradas de ar da parte inferior). O perfil destaca o ar desportivo com saias laterais entre os para-lama mais proeminentes sobre rodas com jantes OZ Racing de alumínio de 20’’.

O interior privilegia a pele com pespontos cor de laranja proporcionando bancos aquecidos à frente e oferecendo o sistema de conetividade e navegação Ford Sync 3 com um ecrã tátil de 8’’ e uma câmara de visão traseira para mais fácil estacionamento ou engate do reboque.

O motor não podia deixar de ser o poderoso EcoBlue de 2,0 litros biturbo de 210 cv de potência e 500 Nm de binário associado à transmissão automática de 10 velocidades comum ao Ford Mustang e a Ranger Raptor e a tração às quatro rodas é seletiva. A capacidade de carga é de praticamente 1.100 kg e a de reboque é de 3.500 kg.
A nova Ford Ranger MS-RT vai estar disponível nos concessionários da marca a partir do verão deste ano.

 

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Western Star 57X foi inspirado no Mercedes-Benz Actros

Published

on


Os camiões norte-americanos são sempre fontes de inspiração e desejo para muitos transportadores, sejam eles frotistas ou motoristas profissionais. A mais recente novidade da Daimler Truck North American é o Western Star 57X, veículo que contempla muita da tecnologia existente no Mercedes-Benz Actros.

O novo 57X foi projetado principalmente para clientes que percorrem rotas de longa distância, especialmente no segmento de pequenas frotas ou como operadores proprietários, em contraste com as séries 47X e 49X, que se destinam aos clientes de veículos especiais e de obras.
O início da produção do Western Star 57X será no 1º trimestre de 2023 na fábrica da Daimler Truck North America em Cleveland, Carolina do Norte, EUA.

O construtor promete cerca de 6% mais economia que o antecessor, o 500XE. Os clientes podem escolher entre diferentes opções de motor: Detroit DD13 Gen 5, DD15 Gen 5 e DD16. O 57X está disponível com caix de velocidades Detroit DT12 Direct ou High-Speed AMT.

O camião oferece aos clientes o Detroit Assurance 5.0 Safety System com Active Brake Assist 5, que inclui o sistema de câmara/radar “sempre ligado”, Cruise Control Adaptativo e Active Lane Assist opcional. A novidade do 57X é o Active Side Guard Assist, uma tecnologia pioneira no setor projetada para mitigar as dificuldades no ângulo durante as curvas à direita. Este é o primeiro camião Western Star a ter um display digital no cockpit que permite a configuração dos instrumentos e simplifica o controlo das funções de entretenimento (via Apple Car Play e Android Auto) e informações do veículo. Os controlos embutidos no volante permitem que os motoristas controlem a maioria das funções de entretenimento e informação sem tirar as mãos do volante.

Continuar a ler

Comerciais

Santos e Vale e Reta desenvolvem solução para passar carga entre semirreboques

Published

on

A pedido da Santos e Vale – Operador Logístico, a Reta, desenvolveu uma solução inovadora em Portugal, que consiste num sistema de ligação entre duas viaturas atreladas, eficiente e sem complicações com a perda de peças soltas.


“O cliente queria uma solução fiável para transferência de cargas entre equipamentos. Agora, o motorista, em vez de ter que encostar as duas viaturas, cada uma num cais de cargas diferente, só precisa de encostar o conjunto. Com as duas viaturas atreladas, a carga pode ser movimentada entre os dois equipamentos, aumentando assim a flexibilidade de carga e descarga,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Esta plataforma é sempre agregada ao malhal do equipamento. O motorista quando precisa de utilizá-la, tem simplesmente que destravá-la e descê-la. Não há necessidade de montá-la, de cada vez que quiser utilizá-la. O sistema foi montado no frontal de um semirreboque rígido, podendo ser replicado para outros tipos de equipamento.

Luís Alves frisa: “É muito mais simples, não há peças soltas que se corre o risco de perder, há uma proteção adicional à própria carga (por cima). E não requer que a pessoa ande com uma chapa de ferro, com risco de se desviar e de a mercadoria cair. É mais seguro, mais funcional, tem uma resistência superior à dos próprios malhais frontais e, sobretudo, poupa muito trabalho aos motoristas.”

Esta solução tem tido excelente aceitação noutros mercados além dos transportes, porque permite ainda, com uma adaptação, que o semirreboque sirva de armazém móvel e que se carregue e descarregue pelos dois lados.
“À data atual, poderá ser montado em dois conjuntos (camião e semirreboque, ou link trailer e semirreboque, perfazendo 60 toneladas) e, no futuro em dual-trailer (dois semirreboques, perfazendo 70 toneladas), já em testes na vizinha Espanha,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração