Conduzir um camião com chuva – redobre os cuidados – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Conduzir um camião com chuva – redobre os cuidados

Published

on

Conduzir um veículo pesado em dias de chuva é um desafio para quem passa dia e noite na estrada. O piso molhado, a falta de visibilidade, o risco de aquaplaning e as condições de algumas estrada fazem com que os camionistas tenham de fazer o seu trabalho em momentos de adversidades climatéricas.



 

 

Já deve ter enfrentado situações críticas em dias de mau tempo. São momentos delicados que pedem atenção redobrada, por isso, preparamos este artigo com algumas dicas para que enfrente a chuva com maior tranquilidade e chegar em segurança ao seu destino.

Reduza a velocidade

Quanto maior for a velocidade, maior é o risco de acidente. Esta máxima tanto serve para uma estrada seca como para uma molhada, mas é quando chove que abusar do acelerador se torna ainda mais crítico.

Não subestime as primeiras gotas de chuva. Embora não sejam “capazes” de formar a perigosa camada de água que causa o aquaplaning, ao contactarem com a sujidade do asfalto, tornam o piso demasiado escorregadio. Assim, quanto maior for a velocidade, menor será o seu tempo de reação.

À medida que a precipitação vai aumentado de tom, o perigo também sobe. O aquaplaning é uma das situações de maior risco. Este fenómeno acontece quando, ao passar a uma velocidade elevada por uma zona do asfalto com mais água, os pneus perdem o contacto com o asfalto e o veículo acaba por escorregar. Quanto maior for a velocidade, maiores são os riscos de ter um acidente por aquaplaning.

Depois, atenção à visibilidade. A velocidades mais elevadas, a água bate com mais força no pára-brisas o que diminui a eficiência dos limpa pára-brisas, que não conseguem desobstruir a visão e dar vazão à quantidade de água que bate no vidro.
Convém não esquecer que nenhuma destas dicas será efetiva se não diminuir a sua velocidade de circulação.

Não utilize os máximos

Sob chuva torrencial, as condições de visibilidade pioram muito. Seja pelo excesso de água no pára-brisas ou pela formação de névoa, situação comum com estas condições. Há quem tenha de imediato a tendência de ligar os máximos, mas em vez de resolver só piora a situação.
A utilização de médios é obrigatória em alguns países da Europa, mesmo que não esteja a chover, mas os máximos, para além de ofuscarem os outros condutores, piora a visibiidade em condições de chuva ou de névoa. Isto acontece porque a névoa ou neblina que se forma na frente do camião é muito densa e reflete a luz que incide diretamente sobre ela, formando uma parede branca à frente do camião. Assim, acaba por não ver o que se passa à sua frente, mesmo que os obstáculos estejam a poucos metros.

Não faça movimentos bruscos

Conduzir com chuva exige mais atenção, velocidade reduzida e cuidados nos movimentos com o volante. Travagens bruscas ou desvios repentinos podem resultar em perdas de aderência fatais.
Se se encontrar numa situação de controlo reduzido, o ideal será segurar o volante com firmeza e pisar o travão com suavidade e pouco a pouco, de forma a que as rodas continuem a girar e possam retomar o contacto com o asfalto. Ao fazer curvas, vire o volante de forma progressiva de forma a manter o veículo sob controlo.

Ligue o ar condicionado

O ar condicionado refresca o ambiente e torna as viagens mais agradáveis, especialmente no verão. A verdade é que o ar condicionado não é apenas um aparelho de conforto. O sistema de ar condicionado pode ser muito útil sob chuva forte para manter os vidros com 100% de visibilidade.
A humidade e as baixas temperaturas levam os vidros a embaciarem rapidamente quando a cabina está totalmente fechada, tal como acontece em dias de chuva. Por ser mais seco, o ar condicionado desembacia os vidros de forma instantânea e não é preciso utilizar panos ou até as mãos para resolver o “problema”.

Evite fazer ultrapassagens

A ultrapassagem é uma das manobras mais arriscada de uma viagem de camião. É necessária, pois existem veículos ainda mais lentos, todavia há locais adequados para que a ultrapassagem seja feita em segurança.
Sob chuva é preciso redobrar a cautela. Com um decréscimo da visibilidade, aumenta o risco de não ver toda a estrada à sua frente. Aumentar a velocidade pode correr o risco de entrar em aquaplaning, criando a situação perfeita para um acidente.
Assim sendo, quando começar a chover avalie muito bem se é mesmo preciso ultrapassar. Se a chuva for intensa, esqueça a ultrapassagem.

Mantenha a distância de segurança para os outros veículos

Combinar o asfalto molhado com pouca visibilidade causada pela chuva, faz com que o tempo de reação para evitar o acidente tenha de ser diferente. Portanto, quanto maior for a distância para os veículos que seguen à nossa frente, maior será a possibilidade de evitar acidente.

 

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Espanha vai ter três novos parques seguros para camiões

Published

on

Espanha ganhou 241 milhões de euros em ajudas europeias para financiar ações destinadas a implantar uma rede transeuropeia de transportes eficiente e sustentável. Especificamente, 22 projetos empresariais validados pelo Ministério dos Transportes e da Mobilidade Sustentável receberão os fundos ao abrigo do convite à apresentação de propostas de 2023 do Mecanismo Interligar a Europa (MIE) dedicado ao desenvolvimento de infra-estruturas de redes de transportes.



Dos projectos selecionados, 15 são exclusivamente desenvolvidos em Espanha por empresas públicas e privadas e sete são projetos da UE com participação espanhola. Embora o transporte ferroviário, o transporte marítimo e a multimodalidade absorvam a maior parte dos fundos, a boa notícia para o transporte rodoviário é que 16 milhões de euros serão afetos à construção de parques de estacionamento seguros.

No âmbito da rubrica relativa à mobilidade segura e protegida, três projetos receberão financiamento para o desenvolvimento de áreas de estacionamento seguras e protegidas em Madrid, na Catalunha e em La Rioja.

O projeto “Zona de estacionamento seguro em Pinto (Madrid) no corredor atlântico da rede principal da RTE-T” , da Atalaya Patrimonio Inmobiliario, receberá uma subvenção de 2 milhões de euros. Quatro milhões de euros serão também atribuídos às “Ampliações das Zonas de Estacionamento Seguro e Protegido ZESP Temple e Mare Nostrum A-7” de Transportes Calsina e Carré em Girona. Por último, o “Parque de estacionamento ecológico seguro de Arnedo” promovido pela Inmo-Arnedo em La Rioja receberá 10 milhões de euros de ajuda europeia.

As subvenções do Mecanismo Interligar a Europa ( MIE) são atribuídas numa base competitiva, pelo que os projetos selecionados são os que obtiveram a pontuação mais elevada. Os potenciais beneficiários destes fundos são instituições ou empresas estabelecidas em qualquer um dos países da União Europeia, que podem candidatar-se individualmente ou em grupo, bem como determinadas organizações internacionais relacionadas com o sector das infira-estruturas e dos transportes.

O Programa de Trabalho do MIE, que estabelece as bases para todas as convocatórias a realizar durante o atual Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, prevê a publicação de uma nova convocatória em setembro de 2024, que no quadro geral em que a Espanha participa abrangerá os temas da Mobilidade Segura e Segura, Mobilidade Inteligente e Interoperável, e também Mobilidade Sustentável e Multimodal.

Continuar a ler

Comerciais

Italianos da Lannutti encomendam 1500 camiões Volvo FH Aero

Published

on

O Grupo Lannutti, empresa italiana de transporte e logística, está a renovar a sua frota de camiões de longo curso e proporcionou à Volvo Trucks um dos seus maiores negócios de sempre através de um único contrato, ao encomendar 1500 camiões FH Aero. O presidente da Volvo Trucks, Roger Alm, e Valter Lannutti, CEO do grupo homónimo, selaram o negócio com um aperto de mão.



O Grupo Lannutti, com sede na Itália, opera uma frota de mais de 2.500 camiões 24 horas por dia, 7 dias por semana, em oito países europeus. Como parte de um programa de renovação de frota, a Lannutti assinou um pedido de 1500 camiões Volvo FH Aero. Todos estão equipados com o novo sistema de monitorização de câmara da Volvo – um novo recurso que substitui os espelhos regulares, melhorando a aerodinâmica e a segurança.

“Para o Grupo Lannutti, o princípio da renovação da frota consiste em priorizar veículos de baixa emissão, oferecendo um alto nível de conforto e segurança aos nossos motoristas, protegendo-os e a todos os outros usuários da estrada. Além da tecnologia I-Save de economia de combustível, já adotada a 100% na frota, agora procuramos aproveitar os benefícios do sistema de monitorização de câmara e design aerodinâmico aprimorado. Esta parceria com a Volvo permitir-nos-á continuar a nossa jornada rumo a emissões zero”, declarou Valter Lannutti.

A maioria dos camiões encomendados pela Lannutti será movida a HVO (Óleo Vegetal Hidrotratado), combustível que pode ser produzido a partir de resíduos, reduzindo as emissões de CO2 em até 90%.
“Este acordo deixa-me muito orgulhoso, pois mostra a confiança e o compromisso que a Lannutti tem com a Volvo Trucks como um parceiro de negócios duradouro”, diz Roger Alm. “Esta é realmente a prova de que fizemos a coisa certa com o novo Volvo FH Aero. Ele não só apoia os nossos clientes na redução de custos de combustível e CO2, mas também é um dos modelos mais seguros para os motoristas operarem”, disse o líder da Volvo Trucks.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por ineedacar
    Que tipo de carros gostas? Algo confortável, e que dé poucas dores de cabeça e com interior moderno Quais os segmentos ou tipo de carro em...
  • por sat
    Boas, Não tenho usado o ebay porque é sempre uma surpresa o valor final a pagar com os cambios, tanto do ebay como do meu banco O que...
  • por DV82
    Crio este tópico dedicado ao WSBK. Tipicamente rebatem-se alguns temas relacionados com esta modalidade no tópico do MotoGP, o que fará pouco...
  • por carlosrs
    Boas. Queria a vossa opinião sobre o seguinte. Tenho um apartamento com garagem para 1 viatura mais anexos (20 m2), mas as garagens do meu...

Em aceleração