Ainda se faz a rodagem nos dias de hoje? – Motorguia
Ligue-se connosco

Novos

Ainda se faz a rodagem nos dias de hoje?

Published

on

Sempre que se compra um carro novo o tema da rodagem acaba por vir à baila. Noutros tempos idos era um cuidado obrigatório nos modelos novos, mas a evolução na construção automóvel tem vindo a reduzir a sua importância gradualmente até ao ponto de hoje em dia praticamente não ser necessário um rigor exagerado com a rodagem. Há no entanto alguns cuidados que convém ter para que os primeiros quilómetros de um veículo possam garantir uma melhor durabilidade do mesmo.



No passado era normal ouvir-se dizer que não se podia andar a mais de 80 km/h nos primeiros milhares de quilómetros ou que as rotações não podiam passar de certo valor, mas hoje a indústria conta com tecnologias mais avançadas na produção dos elementos de um automóvel, nomeadamente do motor. Também os próprios lubrificantes apresentam uma qualidade superior e características que preservam mais os componentes do motor.

Por isso mesmo quando hoje se compra um automóvel novo praticamente não são referidos nenhuns cuidados excecionais a ter em conta e a sua utilização pode ser normalíssima logo desde a saída do stand. Basta ver os manuais atuais que raramente abordam o tema da rodagem, referindo apenas que é necessário algum cuidado com acelerações excessivas nos primeiros quilómetros.

Gerir o pé direito

No entanto não abusar nos primeiros tempos é meio caminho andado para garantir que os motores não consomem mais óleo que o previsto e com isso assegurar o seu bom estado durante mais tempo pelo que o conceito de “rodagem” não deve ser esquecido por completo. Só não é tão exigente nos dias de hoje como era no passado.

Cuidado nas travagens

Além disso, há vários outros componentes que devem ser bem tratados nos primeiros quilómetros. Deve evitar travagens bruscas, por exemplo, convém que as pastilhas de travão se ajustem corretamente aos discos e por isso deve travar de forma suave e progressiva.

Atenção aos pneus

Também os pneus novos possuem ainda gomas e resinas oriundas de fábrica e como tal não estão na plenitude das suas capacidades em termos de aderência, mas isso é algo que regulariza rapidamente. Ao fim de uns 100 quilómetros essas gomas já devem ter desaparecido.

Fazer as passagens de caixa de forma suave também vai ajudar. Não suba as rotações do motor em demasia para mudar de relação.

Verificar os níveis

Verifique de forma regular os níveis de óleo e de líquido refrigerante do motor. Faça-o pelo menos uma vez por semana e não se assuste se verificar que o motor está a consumir um pouco mais do que o esperado. Um motor novo ainda não está perfeitamente lubrificado e por isso é normal que consuma um pouco mais.

Após estes cuidados iniciais, assegure-se que cumpre com os intervalos de manutenção de maneira a poder usufruir do seu automóvel novo o mais tempo possível sem nenhuma surpresa menos agradável.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Manutenção

Como planear as suas viagens

Published

on

Apesar de todas as ajudas atuais que o automobilista tem para fazer as suas viagens mais longas, estas ainda devem ser antecipadamente planeadas. Há hábitos e precauções, que já os nossos pais tinham, e que devem ser mantidos pois são úteis e asseguram que a viagem decorre com mais conforto, mais segurança e sem percalços de maior. Assim, aqui lhe deixamos alguns conselhos para planear as suas viagens.



1 – Planeie o trajeto
Independentemente de ter sistema de navegação deve planear a viagem. Ver o trajeto, a distância, a estimativa de duração da viagem. Desta forma consegue identificar os pontos onde poderá parar para descansar (deve fazê-lo de preferência a cada duas horas de condução), locais para fazer refeição se for necessário e postos de abastecimento se a viagem exigir reabastecimentos. Naturalmente se a viagem durar mais de um dia deve ponderar também qual o local onde passar a noite. Aproveite também para neste momento programar o sistema de navegação caso tenha. Assim não perde tempo durante a viagem e evita confusões de trajeto em cima da hora.

2 – Verifique o automóvel
Confirme o bom estado dos pneus, os níveis dos líquidos (óleo, líquido de refrigeração, óleo dos travões e água do limpa para-brisas), se a iluminação está toda a funcionar, se tem lâmpadas suplentes, se o triângulo está em condições. Não se esqueça de incluir um kit de primeiros socorros e já agora veja a documentação do veículo não vá ter-se esquecido de pagar o IUC, por exemplo.

3 – Prepare os viajantes
Antes da viagem assegure-se que descansa bem, com uma boa noite de sono. Além disso garanta que todos os demais ocupantes têm todas as condições para uma viagem confortável. Se tem crianças veja bem o posicionamento e fixação das cadeiras de transporte, se tem entretenimento para eles e se eles irão numa posição onde não estejam sujeitos aos malefícios do sol. Caso tenha animais de estimação que também sigam viagem consigo, estes também deve ir bem acomodados no veículo com os respetivos sistemas de retenção e com água à disposição.

4 – Atenção à bagagem
É comum que nas viagens maiores haja muitos volumes para transportar, em especial se também há crianças com toda a logística que elas acarretam. Por isso tenha especial cuidado ao arrumar os sacos, malas e demais bagagem no veículo. Distribua bem o peso quando está a acomodar os volumes na bagageira e certifique-se que não há objetos soltos no interior do habitáculo.

Continuar a ler

Novos

6 conselhos para evitar o enjoo

Published

on

Falar de viagens de carro e de enjoos é algo que infelizmente para algumas pessoas é comum. Certamente que já houve uma viagem em que não nos sentimos lá muito bem e se afortunadamente isso nunca nos aconteceu, de certeza que conhecemos alguém que enjoa quando anda de carro.



Aqui lhe deixamos seis conselhos para minimizar este mau estar quando viaja num automóvel:

1 – Previna-se para o pior
Para começar, o melhor mesmo é salvaguardar o pior cenário e, “não vá o diabo tecê-las” leve um saco de enjoo, ou de plástico, toalhetes e água fresca. A “desgraça” pode sempre acontecer e por vezes quem vai ao volante pode não ter tempo, ou local, para parar o carro em segurança. Pelo menos com este “kit” sempre salvaguarda a manutenção da limpeza dos demais e do próprio habitáculo.

2 – Não viaje no banco de trás
Se é propenso a enjoar, evite ir no banco de trás. Prefira o do pendura e se tiver mesmo de ir no banco traseiro então escolha viajar ao meio pois sempre pode fixar o olhar para a frente, o que reduz o risco de enjoo.

3 – Cuidado com o olhar
Evite olhar para a paisagem que passa ao lado do veículo. O movimento cansa a vista, por isso o melhor é focar-se na frente ou então olhar para um ponto fixo mais perto de si. Ler ou utilizar o telemóvel também não ajuda nada a evitar o enjoo.

4 – Conduza suavemente
Quem vai ao volante tem muita responsabilidade no bem estar dos demais e por isso conduzir de forma suave é o ideal para reduzir a possibilidade de enjoar. Evite movimentos bruscos, tanto na travagem, como na direção ou aceleração.

5 – Areje o habitáculo
O ar fresco é determinante para minimizar os riscos de enjoo. Um interior bem oxigenado e fresco reduz a sensação de mau estar para quem é mais suscetível ao enjoo. Areje o veículo antes da viagem e assegure-se que este não está muito quente (por ter estado ao sol, por exemplo) antes de iniciar a viagem.

6 – Faça paragens regulares
Além de ajudar a recuperar o corpo reduzindo a fadiga, parar várias vezes nas viagens mais longas é fundamental também para descansar a vista e melhorar a circulação sanguínea, o que ajuda a reduzir o risco de enjoo.

Além destes concelhos convém salientar que por vezes o problema do enjoo só é resolvido com medicação adequada e para tal deve consultar o seu médico. Ainda assim, estes conselhos são pequenos gestos que pode fazer para evitar que a sua viagem se torne muito complicada.

Continuar a ler

Manutenção

Como limpar bem o para-brisas

Published

on

O inverno é a estação do ano em que muitos automobilistas se arrependem de não ter limpo bem o para-brisas pois por causa do frio e da humidade é comum que este embacie com facilidade e torne a condução mais difícil pela perda de visibilidade.



Mesmo colocando o ar condicionado no máximo em modo de desembaciamento é por vezes difícil que o para-brisas fique limpo por muito tempo pois a sujidade e algumas gorduras dificultam a tarefa do desembaciamento.

Assim para evitar este contratempo que além de incomodativo é um fator que reduz a segurança pois diminui a visibilidade do condutor, aqui lhe deixamos alguns conselhos para limpar corretamente o para-brisas:

Começar por fora
Limpar bem o para-brisas começa pelo exterior. Utilizando um líquido limpa vidros borrife na maior área possível e com um pano limpe o vidro com movimentos verticais. Insista nos locais onde a sujidade pode ser mais resistente, como nos dejetos das aves ou nos restos de insetos que se acumulam. Aproveite para ver o bom estado das escovas limpa para-brisas e se for caso disso troque-as. Com o exterior bem limpo, torna-se mais fácil limpar o interior pois ficamos a saber que a sujidade que eventualmente se veja não está do lado de fora.

Cuidar do interior
Antes de começar a limpar a parte de dentro do para-brisas cubra os plásticos do tablier para os proteger dos borrifos do produto de limpeza de vidros. Utilize um pano bem limpo e de preferência de microfibras pois são mais eficazes na remoção da sujidade. Em vez de borrifar o produto de limpeza diretamente no vidro faça-o no pano, assim não espalha produto pelo ar e corre menos riscos que este acerte nos plásticos do habitáculo o que os pode danificar no futuro.
Limpe bem o para-brisas de forma a que não reste nenhuma mancha de gordura ou nenhum canto por limpar. Assim o trabalho do ar condicionado quando é necessário desembaciar o vidro torna-se mais fácil, rápido, eficaz e duradouro.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração