Citroën entrega primeira ë-Jumpy Hydrogen ao Grupo Suez – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Citroën entrega primeira ë-Jumpy Hydrogen ao Grupo Suez

Published

on

O primeiro Citroën ë-Jumpy Hydrogen vai ser operado pelo Grupo Suez nas suas instalações em Carcassone, França. Esta versão a pilha de combustível do furgão de dimensões médias da marca francesa oferece uma autonomia combinada de 400 quilómetros e um tempo de abastecimento de apenas três minutos. As principais caraterísticas técnicas, designadamente volume de carga, são idênticas às das restantes versões.


O Grupo Suez vai ser o primeiro operador a receber o novo Citroën ë-Jumpy Hydrogen, um furgão de dimensões médias dotado com tecnologia da pilha de combustível e autonomia até 400 quilómetros em ciclo WLTP.

O veículo será utilizado nas instalações de Carcassonne do Grupo Suez, possibilitando responder a muitas das utilizações diárias dos agentes operacionais que têm de intervir em diferentes locais. Estas instalações fazem parte de um acordo entre a Carcassonne Agglo e a Suez, com o objetivo de apoiar a comunidade nas suas ambições no domínio da transição energética, em particular com a colocação de uma estação de produção de hidrogénio verde local para os veículos elétricos dos agentes da Suez. Esta estação é capaz de alimentar um total de quatro veículos, com uma produção de 2 kg de hidrogénio por dia.

O Citroën ë-Jumpy Hydrogen utiliza uma arquitetura denominada “mid-power”, que combina uma bateria de iões de lítio com 10,5 kWh, uma pilha de combustível de de 45 kW e um depósito de hidrogénio com uma capacidade de 4,4 quilogramas.

A bateria assegura as necessidades de energia durante as fases de arranque ou aceleração e também permite uma boa recuperação de energia. A pilha de combustível, por seu lado, garante a autonomia do veículo. Sendo alimentado por hidrogénio, este gerador de energia funciona de modo contínuo.

O motor elétrico, alimentado principalmente pela pilha de combustível a hidrogénio de 45 kW, tem a capacidade de proporcionar uma maior autonomia, na ordem dos 350 km. A bateria de iões de lítio de 10,5 kWh serve de reserva, permitindo percorrer 50 km em ciclo WLTP.

Para preservar a primeira função do comercial ë-Jumpy Hydrogen, o transporte frequente de objetos volumosos e pesados, a bateria foi implantada sob os bancos e os três depósitos de hidrogénio sob o piso. Assim, os volumes úteis das duas silhuetas mantêm-se inalterados, em comparação com as respetivas versões elétricas: 5,3 m3 na carroçaria de dimensão M, e 6,1 m3 na versão XL. Da mesma forma, a carga útil e a carga rebocável podem atingir até 1.000 kg, tal como nas versões térmicas.

O abastecimento do três tanques de hidrogénio do ë-Jumpy Hydrogen é efetuado em apenas três minutos, o que representa uma poupança de tempo e aumento de produtividade para todas as empresas que não possam imobilizar os seus veículos num processo de reabastecimento, beneficiando, assim, de um tempo de utilização mais longo

Comerciais

A nova VW Multivan T7 também pode ser um autêntico 4×4

Published

on

A sétima geração da Volkswagen Multivan T7 é mais veículo ligeiros de passageiros do que nunca. Assim sendo, a Delta 4×4 quis ser diferente e transformar a T7 num verdadeiro 4×4 e, melhor ainda, numa caravana.



As muitos fãs e aficionados deste modelo vão ficar satisfeitos com a preparação da Delta 4×4 que coloca a T7 na guerra das caravanas. O que chama mais a atenção, em primeiro lugar, são os guarda-lamas mais largos e com proteções plásticas, necessários para albergar os novos pneus todo-o-terreno.

Os pneus são uns General Grabber AT, em medidas 255/55 R18, montados numas jantes de todo-o-terreno assinadas pela Loder 4×4. Existem duas versões destas jantes, uma mais funda e outra mais plana, com um fantástico bead-locker. A altura livre ao solo crescem em 40 mm, graças a novas molas e amortecedores da Bilstein e da Eibach. Na secção dianteira, a Volkswagen instalaou um bull bar em aço inoxidável e sobre o qual montou luzes de profundidade da PIAA.

No tejadilho foi colocada uma cobertura metálica sobre a qual foram montadas duas barras em LED e duas pranchas de resgate, mas também diversos jerrycans com os quais é possível aumentar a autonomia.

A cereja no topo do bolo é uma roda sobresselente também ela colocada sobre o tejadilho. Agora, é possível que com estas modificações, a Volkswagen Multivan eHybrid, na qual se baseia esta preparação, vai perder grande parte da sua eficiência prática, uma vez que arruínam por completo a sua aerodinâmica.

A parte mecânica não foi alterada, por isso esta Multivan eHybrid conserva os 218 CV e uma autonomia 100% elétrica em torno dos 50 km.

 

Continuar a ler

Comerciais

Volkswagen Caddy conquista cinco estrelas nos testes Euro NCAP

Published

on

O Volkswagen Caddy conquistou a classificação máxima de cinco estrelas do Euro NCAP depois de passar nos rigorosos testes de colisão daquela entidade independente.



A quinta geração do Volkswagen Caddy obteve a pontuação máxima de cinco estrelas atribuída pelo Euro NCAP e a versão MPV deste modelo é a primeira do seu segmento a alcançar esta classificação, tornando-se num dos veículos de passageiros mais bem avaliados em 2021.

Não obstante o maior grau de exigência destes testes de colisão, a versão MPV do Caddy demonstrou uma clara melhoria face à geração anterior. Em comparação com outros pequenos monovolumes do segmento B também passa a constituir a nova referência no domínio da segurança.

De acordo com o relatório detalhado dos testes do Euro NCAP, o Caddy alcançou, por exemplo, 84 por cento em termos de proteção de ocupantes adultos e 82 por cento no caso de crianças. No que diz respeito aos sistemas de segurança instalados no veículo, o Caddy também obteve pontuações elevadas, o que contribuiu para a classificação máxima de cinco estrelas.

Na área de segurança passiva, novas soluções, como airbags de proteção para a cabeça em todas as filas de bancos (independentemente de o veículo ser de dois, de cinco ou de sete lugares), e a proteção entre os ocupantes à frente agora implementada, ajudou o Caddy a cumprir o novo nível de especificações do Euro NCAP no caso de uma colisão lateral.

Numa emergência, o sistema de proteção insufla um airbag entre os ocupantes dianteiros. Graças à comunicação wireless, o aviso de passageiros sem cinto colocado é ativado em todos os lugares, mesmo para os bancos removíveis das segunda e terceira filas.

Continuar a ler

Comerciais

Scania entrega primeiro tractor elétrico de três eixos na Suécia

Published

on

A Scania entregou um trator elétrico de três eixos, homologado com um peso bruto de 64 toneladas, a uma empresa sueca fabricante de produtos químicos, Wibax, para utilização nas estradas do norte da Suécia.



O veículo ajudará a companhia a atingir os seus objetivos ambientais, representando mais um exemplo de uma parceria entre uma marca e um cliente, assim como mais um passo na eletrificação do transporte pesado.

O trator elétrico de três eixos e 64 toneladas está a efetuar uma rota entre as cidades de Pitea e Skelleftea, numa distância de 80 quilómetros em cada sentido. A sua performance e capacidade de carga foram otimizadas pela adoção de um motor elétrico mais potente.

Ao abrigo da parceria de longo prazo, a Scania e a Wibax irão trabalhar em conjunto para melhorar a utilização do veículo ao longo do tempo, designadamente em áreas como o carregamento, duração da vida útil da bateria e planeamento de rotas. Esta colaboração também permitirá à Wibax recolher dados na preparação para a introdução de mais veículos elétricos no futuro.

Para a Wibax, o camião elétrico da Scania é uma forma de reduzir o impacto ambiental das suas operações. “Temos feito o máximo para sermos sustentáveis desde a fundação da empresa em 1968 e como identificamos o transporte como o nosso maior impacto ambiental, este camião elétrico constitui um passo para conseguirmos efetuar as nossas operações levando em consideração o ambiente. Durante a vida útil deste camião, a Wibax irá reduzir as emissões de dióxido de carbono em cerca de 1400 toneladas”, afirma Jonas Wiklund, CEO do Wibax Group.

A Scania e a Wibax encetaram uma colaboração estreita para permitir esta solução eletrificada. “Este é o primeiro camião elétrico de 64 toneladas que colocamos na estrada para operação num cliente. Passo a passo, estamos a demonstrar que as soluções elétricas estão a acontecer muito rapidamente e basicamente em todos os segmentos”, afirma Fredrik Allard, diretor de Mobilidade Elétrica da Scania.
Este desenvolvimento contínuo e rápido sublinha a importância de uma infraestrutura de carregamento fora das zonas urbanas. Para possibilitar o carregamento deste camião, o operador elétrico Skelleftea Kraft também está envolvido no projeto e ficou responsável pela implementação da infraestrutura de carregamento.

 

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração