O primeiro camião do mundo foi construído por Gottlieb Daimler em 1896 – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

O primeiro camião do mundo foi construído por Gottlieb Daimler em 1896

Published

on

Um dos maiores talentos do inventor Gottlieb Daimler foi encontrar novas áreas de aplicação para o seu motor. Daimler inventou o motociclo, a viatura motorizada de passageiros, uma mangueira de combate a incêndios motorizada e depois, quase inevitavelmente, o camião em 1896.



O primeiro camião do mundo em 1896O pragmatismo esteve na génese do desenho do primeiro camião do mundo, que parecia uma pequena carroça com um motor, mas sem uma lança de tração para atrelar a viatura de forma a esta ser puxada.

O motor, batizado como “Phoenix”, era um “dois cilindros de quatro cavalos”, localizado na traseira. O veículo rolava sobre rodas de ferro duro. Através de uma corrente, Daimler manobrava o eixo dianteiro, com suspensão de lâminas.

O motorista sentava-se à frente, como faziam habitualmente os cocheiros nas carruagens puxadas por cavalos. O motor colocado na traseira do veículo consumia aproximadamente seis litros de gasolina por cada 100 quilómetros.Longo alcance na Tecnologia do primeiro camiãoDe realçar que o primeiro camião antecipou em 125 anos a utilização dos eixos planetários que ainda hoje são comuns no desenvolvimento em veículos de construção.

Em 1898, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach transferiram o motor “Phoenix” de dois cilindros do veículo de seis cv, anteriormente localizado na parte traseira, para uma posição sob o assento do condutor, com a transmissão por correia de quatro velocidades a ser também transferida para a frente. No entanto, esta solução.

ficava aquém do pretendido. Nesse mesmo ano, o camião recebeu a frente que claramente o distinguia e o desenho que permitia o transporte de cada vez maiores cargas: o motor colocado numa posição dianteira, em frente ao eixo dianteiro. Os seus dez cavalos de potência eram agora transmitidos às rodas de ferro na parte traseira através de uma correia de quatro velocidades e de um eixo longitudinal dianteiro-traseiro.

Para estes veículos, a Daimler operou uma melhoria crucial não só para o sistema de transmissão, mas para o próprio motor: por um lado, passando a utilizar a nova ignição magnética de baixa tensão da Bosch que inflamava a mistura de ar e gasolina nos cilindros do motor de dois cilindros e 2,2 litros, e por outro, o redesenho do radiador. O primeiro teste do cliente numa fábrica de tijolos No entanto, Gottlieb Daimler, provavelmente devido ao grande número de inovações, foi cauteloso e ainda antes de apresentar o veículo, que era altamente moderno na altura, submeteu-o a “testes no cliente” comohabitualmente se faz hoje em dia. Durante meses, a Daimler submeteu o seu novo veículo à rotina diária de trabalho numa fábrica de tijolos em Heidenheim, tendo resolvido meticulosamente todas as deficiências apresentadas.

Os camiões da Daimler sempre foram internacionais.

O primeiro comprador do primeiro camião veio de Inglaterra, o berço da industrialização. Aqui, os veículos movidos a vapor há muito que tinham passado dos carris para a estrada, mantendo-se até à década de 1950. A abolição da Lei da Bandeira Vermelha 1896 foi também positiva, no entanto, só em 1901 um camião se revelou superior a um vagão a vapor contemporâneo num teste comparativo realizado em Liverpool.

Também em Paris, o camião da Daimler era um convidado bem-vindo. Gottlieb Daimler partiu numa longa viagem rumo à cidade de Paris para divulgar o seu novo produto numa exposição mundial e, no Jardim das Tulherias, apresentou-o numa mostra de automóveis que se seguiu a um concurso organizado pela Associação Automóvel de França com o tema “veículos motorizados para viagens na cidade”. Na exposição, Gottlieb Daimler apresentou o seu novo veículo de cinco toneladas bem como um veículo de quatro cavalos. “Enormes multidões de pessoas, muitos veículos de todos os tipos e o nosso camião, são muito populares”, observou com satisfação a mulher da Daimler, Lina, em junho de 1898.

Os primeiros camiões feitos por Karl Benz fazem parte da herança genética dos camiões de hoje: camiões motorizados Benz. Em 1900, Karl Benz arriscou, progredindo para o verdadeiro camião. A primeira gama consistia em três modelos: a versão ligeira (carga útil de 1250 quilogramas) era alimentada por um motor de um cilindro de cinco a sete cv, a versão para serviço médio com 2,5 toneladas de carga útil utilizando um motor de um cilindro de dez cv e o modelo pesado com carga útil de 5 toneladas já com um “Contramotor” de dois cilindros que alcançava 14 cv de potência. O que os três tinham em comum era o facto do motor já não estar na parte traseira, mas sim na frente, posicionado horizontalmente, com uma corrente de transmissão ao eixo traseiro de 4 velocidades.

A base para o camião estava preparada

A base para o camião estava agora preparada. A Revolução Industrial acelerara e os bens produzidos em massa viajavam para os mercados. A procura de transporte de distribuição aumentava e em 1871, as restrições aduaneiras no Império Alemão eram abolidas. As histórias dos transportes rodoviários, do comércio e construção estradas, estariam mais ligadas do que se podia pensar.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Volvo Trucks apresenta um novo eixo totalmente elétrico

Published

on



A Volvo Trucks apresentou um eixo traseiro totalmente novo e totalmente elétrico na IAA em Hannover, Alemanha. A Volvo Trucks possui a maior oferta de camiões elétricos a bateria do setor, com seis modelos diferentes em produção em série.

Dependendo do modelo, o alcance é de até 440 km numa carga. O novo eixo, apresentado na feira IAA em Hannover, Alemanha, permite colocar ainda mais baterias no camião ao integrar os motores elétricos e a transmissão no eixo traseiro.
Mais baterias significa maior alcance, o que cria oportunidades para que os transportes de longa distância também sejam eletrificados. Nos camiões elétricos a célula de combustível, que serão lançados na segunda metade desta década, o espaço adicional é útil para a instalação de outros componentes. “Este é um avanço para os camiões elétricos e um sinal claro de que haverá uma enorme procura por carregadores rápidos públicos para camiões pesados num futuro próximo, principalmente ao longo das várias vias”, diz Jessica Sandström, SvP Global Product Management da Volvo Trucks.

A Volvo Trucks iniciará a produção em série de camiões de cabina avançada com o novo eixo eletrónico dentro de alguns anos, complementando a linha atual de camiões elétricos a bateria. “Continuaremos com os nossos versáteis camiões elétricos a bateria que já estão em produção. Atualmente, a nossa oferta cobre uma ampla gama de segmentos de transporte. Dentro de alguns anos, adicionaremos este novo eixo traseiro para clientes que utilizam rotas mais longas do que hoje”, continua Jessica Sandström.

A Volvo Trucks tem uma estratégia de três possíveis caminhos para atingir as zero emissões; elétricos a bateria, elétricos a células de combustível e motores de combustão que funcionam com combustíveis renováveis como biogás, HVO ou até hidrogénio verde. “Diferentes soluções técnicas são necessárias para enfrentar as mudanças climáticas uma vez que a disponibilidade de infraestrutura de energia e combustível difere entre países e regiões e também entre diferentes segmentos de transporte”, conclui Jessica Sandström.

Continuar a ler

Comerciais

Tigrotto e Leoncino são duas séries especiais da Iveco Daily

Published

on

O Tigrotto ganha novamente vida na Daily 4×4, um veículo único no segmento, um verdadeiro todo-o-terreno com a extrema versatilidade de um veículo comercial ligeiro profissional. Nenhum destino está fora do seu alcance, com uma escolha de versões on-road e off-road até 7,0 toneladas de peso bruto, carga útil até aos 4.300 kg e um comprimento da carroçaria até aos 5,0 metros.



Com o seu motor de 3,0 litros com 180 cv e caixa automática de 8 velocidades, a DAILY 4X4 Tigrotto proporciona um desempenho potente e uma condução de nível superior.
Esta edição especial recorre aos valores fundamentais e características de estilo do Tigrotto original: um veículo destemido, tal como o “tigre” subjacente à sua denominação, a Tigrotto Daily 4×4 usa orgulhosamente a sua vocação para o mundo do todo-o-terreno. A carroçaria preta e vermelha de dois tons realça a robustez do veículo.

A edição especial Tigrotto mantém a cor vermelha do conjunto, uma marca distintiva da produção original da IVECO. O painel de instrumentos, na mesma cor da carroçaria e dotada de elementos vintage, confere ao veículo uma imagem e uma sensação de elevada qualidade, solução que também irá apelar aos mercados das autocaravanas e dos veículos de lazer. A assinatura da Tigrotto original na grelha acentua, ainda mais, a ligação da Edição Especial do modelo às suas raízes. Numa configuração ligeiramente simplificada, em comparação com os furgões em exposição no IAA, a Tigrotto Daily 4×4 Special Edition estará disponível para encomenda em setembro deste ano, em versões furgão e chassis cabina.

A edição especial Leoncino reinventa o seu legado icónico para o futuro. Partilha as funcionalidades avançadas de mobilidade elétrica da eDAILY, o novíssimo veículo IVECO de emissões zero e único LCV elétrico a oferecer até 20 m3 de volume de carga, até 4,6 toneladas de carga útil e até 3,5 toneladas de capacidade de reboque. Apresenta a habitual solução body-on-frame do furgão eDAILY: com uma distância entre eixos de 4.100 mm e até 3 baterias de 111 kWh, pode atingir um desempenho idêntico ao da equivalente versão Diesel, com uma autonomia até 400 km em ciclo urbano.

O Leoncino está equipado com os serviços de conectividade de vanguarda da IVECO, acessíveis através do portal IVECO ON, serviços digitais como o IVECO Driver Pal, bem como novas funcionalidades desenvolvidas para ajudar os proprietários da eDAILY a gerir a sua frota de forma eficiente e proporcionar aos motoristas uma total paz de espírito.

O estilo lúdico do Leoncino foi concebido para celebrar a condução inovadora do novo veículo e as suas funcionalidades líderes na classe. A carroçaria de dois tons inspira-se nas cores do passado, com a tonalidade vintage azul-esverdeado a desvanecer-se para uma cor cremosa. O toque automóvel das saias laterais, juntamente com as letras “Leoncino” e o efeito swoosh na lateral, transmitem o dinamismo do veículo.

O design do interior da cabina utiliza elementos de estilo do passado para criar um ambiente luminoso e cheio de cores vibrantes. Os detalhes de cor na zona dos faróis de nevoeiro e as jantes de liga leve conferem um toque de estilo. A edição especial Leoncino combina a sensação das novas energias com um veículo icónico do passado, dando um salto para o futuro com a agilidade do seu homónimo, o “leão”.

As encomendas para o furgão Leoncino eDAILY Special Edition serão abertas em dezembro de 2022.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração