Alguns veículos comerciais vão perder isenção de ISV total já em julho – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Alguns veículos comerciais vão perder isenção de ISV total já em julho

Published

on

Os automóveis ligeiros de mercadorias, de caixa aberta, sem caixa ou de caixa fechada sem cabina integrada na carroçaria, com peso bruto de 3.500 kg e sem tração integral, que até aqui estavam isentos de Imposto Sobre Veículos (ISV), vão perder 10% deste benefício a partir de 1 de julho.



Primeiramente pensava-se que a isenção seria total, todavia, as Finanças vieram esclarecer, mais tarde, que seria apenas parcial: em vez da isenção de 100%, passariam a ter isenção a 90%.
A medida é justificada pelo Governo por princípios ambientais, já que a própria fórmula de cálculo do imposto prejudica os veículos mais poluente, mas o sector queixa-se de ter sido apanhado desprevenido.

Em causa está a revogação da alínea c) do número 2 do Artigo 2.º do Código do ISV, para um segmento que vendeu 4.162 veículos em 2019 e que representa 11% das vendas.
A isenção total do imposto aplicava-se aos veículos com caixa aberta, sem caixa, ou caixa fechada sem cabina integrada na carroçaria, com peso bruto até 3.500 quilos e sem tracção às quatro rodas.

Também a Associação Nacional do Ramo Automóvel (ARAN) repudiou a revogação da isenção total do ISV para aqueles veículos, por agravarem as dificuldades por que o sector está a passar.
Também as viaturas da categoria D, “quando autorizados ou licenciados para o transporte de grandes objectos”, perderam a isenção de 50% do Imposto Único de Circulação (IUC).

Comerciais

Mercado de comerciais ligeiros e pesados melhora em 2021

Published

on

Analisando o mercado de veículos comerciais ligeiros e pesados durante o ano de 2021, verificiou-se uma recuperação. O primeiro registou um aumento de 4,4% enquanto o segundo subiu aos 21,3%.



Foram matriculadas 28 790 veículos comerciais, ficando a Renault no primeiro lugar acabando por destronar a Peugeot que foi a marca mais vendida em 2020. Em 2021, a diferença foi mínima, de 5337 para a Renault e 5296 unidades para a Peugeot e, no terceiro lugar, acaba por aparecer mais uma marca da Stellantis.

A Citroën matriculou 3350 carros. Na lista dos mais vendidos, surgem depois a Toyota com 2468 unidades, a Fiat com 2458, a Opel com 1793, a Ford que registou 1762 matrículas, a Mercedes-Benz 1194 e a Volkswagen 1151. A Iveco ficou-se pela 1057 matrículas.

No mercado de pesados, incluindo camiões e autocarros, foram matriculadas 4850 unidades, surgindo a Mercedes-Benz no primeiro lugar, com 784 unidades, seguindo-se a MAN, com 733 unidades, a DAF com 719 unidades. Nas posições imediatas surgem a Scania, com 569 unidades, a Volvo, com 552, a Renault, com 519, a Iveco, com 398, a Ford, com 244, a Fuso, com 177, e a Isuzu, com 123.

Referência ainda para a Ford Trucks no mercado dos pesados de mercadorias que está a consolidar a sua posição no mercado nacional, tendo matriculado 236 unidades. Relativamente ao ano anterior, isto representa uma subida de 136%, enquanto a quota de mercado passou de 2,79% para 5,53%.

Continuar a ler

Comerciais

Camião a hidrogénio consegue carregar 48 elétricos por dia

Published

on

Uma start-up russa lançou o L-Charge, um camião que funciona como uma espécie de supercarregador móvel para automóveis elétricos, que opera com potências de 150 até 1.000 kW, para recargas em minutos num máximo de 48 automóveis por dia.



O camião L-Charge é movido a gás natural liquefeito (GNL) ou a hidrogénio (depende da opção do cliente), o mesmo combustível que pode ser armazenado e transportado na forma de gás ou líquido para ser convertido em energia, o que faz com que o processo não seja completamente livre de emissões – embora o fabricante sublinhe que é três vezes inferior ao que produziria uma mecânica Diesel.

Também o preço não é especialmente atrativo, já que o custo de kWh consumido é de 0,80 cêntimos, uma tarifa que é praticamente o dobro das praticadas por outras operadoras. O que não impede que, só na cidade de Moscovo, onde está o único camião em operação atualmente, o L-Charge receba em média seis solicitações diárias.

Continuar a ler

Comerciais

Grupo Erwin Hymer e Ford anunciam acordo de aposta em autocaravanas

Published

on

A Ford-Werke GmbH, com sede em Colónia, e o Grupo Erwin Hymer (GEH), com sede em Bad Waldsee, anunciaram hoje a assinatura de um acordo-quadro para o fornecimento de unidades Ford Transit e Ford Transit Custom como base para o desenvolvimento de veículos de lazer e autocaravanas, prontos a entregar ao cliente.



Em complemento, a Ford e o GEH acordaram uma parceria estratégica que formaliza uma visão partilhada sobre as necessidades futuras dos clientes de veículos de lazer, o ambiente regulamentar, a legislação sobre emissões, eletrificação, digitalização e conectividade, bem como a integração de sistemas de assistência ao condutor. Sendo o mais importante construtor europeu de veículos comerciais ligeiros, a Ford também irá cooperar com o GEH no decurso do desenvolvimento das suas marcas de veículos de lazer.

O GEH integra também a Thor Industries – o maior fabricante de veículos de lazer do mundo – e encara a produção da família Ford Transit na América do Norte e na China como uma vantagem adicional. De autocaravanas urbanas a autocaravanas de grandes dimensões.

O novo acordo de fornecimento inclui furgões e chassis-cabina Ford Transit, bem como furgões kombi Ford Transit Custom, para conversão em todo o tipo autocaravanas (integradas, semi- integradas e adaptadas). A Ford produzirá os veículos base na sua fábrica em Kocaeli, na Turquia, procedendo-se às entregas faseadas entre 2022 e 2024. A Ford está a investir na expansão da capacidade de produção de Kocaeli e está, também, a reforçar a sua estrutura organizacional em várias divisões empresariais europeias e alemãs.

O tradicional comprador de autocaravanas está a mudar, criando novos desafios e oportunidades de crescimento para os construtores. Embora 45% do total de novas autocaravanas matriculadas na Alemanha em 2020 tenham sido adquiridas por clientes com idades entre os 55 e 64 anos, as autocaravanas estão também a atrair cada vez mais compradores mais jovens, levando a novos designs, com conceções e configurações mais modernas, soluções de mobiliário mais inteligentes, maior número de acessórios e um estilo exterior inovador, incluindo pintura a duas cores. Este grupo de clientes mais jovens integra indivíduos solteiros e famílias, sendo que todos ambicionam estilos de vida mais flexíveis, podendo uma autocaravana tanto servir de escritório móvel como de habitação permanente, no âmbito da atual tendência denominada ‘van life

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração