Citroën Jumpy transforma-se no mítico Type HG – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Citroën Jumpy transforma-se no mítico Type HG

Published

on

Caselani é o responsável pela operação estética que permitiu uma viagem ao passado partindo do presente Citroen Jumper.


Depois de há quatro anos ter apresentado com enorme sucesso o kit estético que permitia transformar o furgão Jumper no saudoso Citroën HY, a equipa de designers liderada por Fabrizio Caselani e David Obendorfer desvendou agora mais um novo conjunto de painéis de inspiração retro para aplicar nos novos Citroën Jumpy e SpaceTourer, recriando o visual do icónico Type HG.


Este projeto tem o cunho da Carrosserie Caselani, um pequeno preparador com sede na cidade de Cremona, Itália, e não deixa de fora nenhuma das versões dos dois modelos atualmente em comercialização na gama da marca francesa, com três comprimentos à escolha para outras tantas carroçarias do comercial Jumpy e do SpaceTourer, a derivação de passageiros. Ao todo, são 44 opções de personalização disponíveis, com preços a partir dos 14.800 euros, com montagem incluída, um valor competitivo, até porque o produto final é deveras apelativo.

Como já referimos, o resultado surpreende pela qualidade da preparação, com todos os elementos do estilo dos veículos originais recriados de forma fiel, dos painéis ondulados às óticas arredondadas na dianteira, uma aproximação que merece nota mais.
Tecnicamente, não há qualquer alteração, mantendo-se intacta a dotação de equipamentos de fábrica, bem como a decoração do habitáculo e toda a gama de motorizações Diesel, com potências entre os 100 e os 180 cv, bem como as opções elétricas do furgão de trabalho e do monovolume de passageiros.
Pode ficar a saber mais sobre este projeto em https://en.typeh.eu/

 

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Western Star 57X foi inspirado no Mercedes-Benz Actros

Published

on


Os camiões norte-americanos são sempre fontes de inspiração e desejo para muitos transportadores, sejam eles frotistas ou motoristas profissionais. A mais recente novidade da Daimler Truck North American é o Western Star 57X, veículo que contempla muita da tecnologia existente no Mercedes-Benz Actros.

O novo 57X foi projetado principalmente para clientes que percorrem rotas de longa distância, especialmente no segmento de pequenas frotas ou como operadores proprietários, em contraste com as séries 47X e 49X, que se destinam aos clientes de veículos especiais e de obras.
O início da produção do Western Star 57X será no 1º trimestre de 2023 na fábrica da Daimler Truck North America em Cleveland, Carolina do Norte, EUA.

O construtor promete cerca de 6% mais economia que o antecessor, o 500XE. Os clientes podem escolher entre diferentes opções de motor: Detroit DD13 Gen 5, DD15 Gen 5 e DD16. O 57X está disponível com caix de velocidades Detroit DT12 Direct ou High-Speed AMT.

O camião oferece aos clientes o Detroit Assurance 5.0 Safety System com Active Brake Assist 5, que inclui o sistema de câmara/radar “sempre ligado”, Cruise Control Adaptativo e Active Lane Assist opcional. A novidade do 57X é o Active Side Guard Assist, uma tecnologia pioneira no setor projetada para mitigar as dificuldades no ângulo durante as curvas à direita. Este é o primeiro camião Western Star a ter um display digital no cockpit que permite a configuração dos instrumentos e simplifica o controlo das funções de entretenimento (via Apple Car Play e Android Auto) e informações do veículo. Os controlos embutidos no volante permitem que os motoristas controlem a maioria das funções de entretenimento e informação sem tirar as mãos do volante.

Continuar a ler

Comerciais

Santos e Vale e Reta desenvolvem solução para passar carga entre semirreboques

Published

on

A pedido da Santos e Vale – Operador Logístico, a Reta, desenvolveu uma solução inovadora em Portugal, que consiste num sistema de ligação entre duas viaturas atreladas, eficiente e sem complicações com a perda de peças soltas.


“O cliente queria uma solução fiável para transferência de cargas entre equipamentos. Agora, o motorista, em vez de ter que encostar as duas viaturas, cada uma num cais de cargas diferente, só precisa de encostar o conjunto. Com as duas viaturas atreladas, a carga pode ser movimentada entre os dois equipamentos, aumentando assim a flexibilidade de carga e descarga,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Esta plataforma é sempre agregada ao malhal do equipamento. O motorista quando precisa de utilizá-la, tem simplesmente que destravá-la e descê-la. Não há necessidade de montá-la, de cada vez que quiser utilizá-la. O sistema foi montado no frontal de um semirreboque rígido, podendo ser replicado para outros tipos de equipamento.

Luís Alves frisa: “É muito mais simples, não há peças soltas que se corre o risco de perder, há uma proteção adicional à própria carga (por cima). E não requer que a pessoa ande com uma chapa de ferro, com risco de se desviar e de a mercadoria cair. É mais seguro, mais funcional, tem uma resistência superior à dos próprios malhais frontais e, sobretudo, poupa muito trabalho aos motoristas.”

Esta solução tem tido excelente aceitação noutros mercados além dos transportes, porque permite ainda, com uma adaptação, que o semirreboque sirva de armazém móvel e que se carregue e descarregue pelos dois lados.
“À data atual, poderá ser montado em dois conjuntos (camião e semirreboque, ou link trailer e semirreboque, perfazendo 60 toneladas) e, no futuro em dual-trailer (dois semirreboques, perfazendo 70 toneladas), já em testes na vizinha Espanha,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração