Tesla Model 3 (2018-…) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Tesla Model 3 (2018-…)

Published

on

O Tesla Model 3 nasceu como modelo de entrada na gama Tesla numa tentativa de chegar a um público mais vasto, alargar a oferta da marca norte-americana e de certa forma “democratizar” mais o carro elétrico.



Esteticamente bem conseguido, o Model 3 oferece um bom espaço interior para todos os ocupantes num habitáculo com um desenho moderno, minimalista e simplificado, mas bem conseguido e muito bem equipado. Infelizmente os materiais e o nível de construção não são propriamente irrepreensíveis.

Naturalmente silencioso este Tesla é confortável quanto baste. As suas suspensões não são brilhantes, mas cumprem, tanto a minimizar os efeitos de um piso mais degradado como a controlar os movimentos da carroçaria quando se exige um pouco mais da componente dinâmica.

Apesar de se posicionar como o Tesla mais acessível, o seu preço é ainda assim algo elevado e só poderá ser atenuado se considerarmos que no mercado de usados o seu valor de retoma é também alto.

Motores
O Model 3 possui três tipos de solução de motorizações. O Standard com tração traseira, 238 cv e 448 quilómetros de autonomia, o Long Range com tração integral com 351 cv e 614 quilómetros de autonomia e o Performance com 480 cv de potência e uma autonomia de 567 quilómetros. De salientar as boas autonomias destas unidades e acima de tudo as excelentes prestações pois o menos potente Standard consegue uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em apenas 5,6 segundos ao passo que o Performance o faz em 3,3 segundos.

Principais avarias e problemas
Os sistemas de propulsão elétrica revelam-se menos propensos a problemas que os motores de combustão interna e o Model 3 até ao momento não sofre de nenhum mau funcionamento “generalizado” que mereça referência neste campo.

No entanto, como qualquer outro veículo, ele tem problemas e já foram reportadas falhas com a pintura, com os vidros e também com o para-choques traseiro que pode cair. Em relação a esta anomalia a Tesla assumiu uma falha na construção e incluiu a sua reparação na garantia do modelo.

Num modelo tão tecnológico é natural que a parte eletrónica também tenha aqui e ali um ou outro mau funcionamento, mas praticamente tudo é resolvido com uma simples reprogramação.

Tesla Model 3 (2018-...)
6.9 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Autonomia
Prestações
Equipamento
Contras
Preço
Alguns materiais
Fiabilidade6
Custos de manutenção6.5
Desvalorização7
Qualidade dos materais6
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível8
Comportamento dinâmico6.5
Performance9
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Avaliações Usados

Toyota Yaris (2011-2020)

Published

on

A terceira geração do Yaris melhorou em quase todos os aspetos face às duas anteriores, mas ainda assim não conseguiu bater algumas das referências do segmento. No entanto, revela-se um produto muito equilibrado e senhor de uma boa fiabilidade, típica herança da marca nipónica.



Com um bom espaço interior este Yaris é menos arrojado que os anteriores no que diz respeito ao desenho do habitáculo, mas oferece uma boa posição de condução, apesar de um pouco alta, e uma boa qualidade de construção, qualidade essa que acaba por atenuar a escolha de alguns dos materiais utilizados que se esperava estarem a outro nível nalguns painéis.

Com uma direção leve e um excelente visibilidade este japonês mostra-se fácil de conduzir em ambiente urbano, só se lamentando que não tenho um melhor diâmetro de viragem. A suspensão oferece um bom equilíbrio entre um conforto razoável e um comportamento dinâmico previsível e seguro.

Quando surgiu no mercado foi um dos primeiros a oferecer um opção híbrida na gama que permitia um funcionamento exclusivo em modo elétrico o que jogou a seu favor, ajudando a abrir o segmento a estas novas soluções de motricidade que hoje são já comuns.

Motores
Este Toyota Yaris conta com os motores a gasolina 1.0 VVT-i com 69 cv e 1.3 VVT-i com 99 cv enquanto que a solução Diesel é preenchida pelo 1.4 D-4D com 90 cv. Já a opção Hybrid conta com um motor 1.5 a gasolina com 75 cv de potência. Estas unidades não são propriamente um exemplo de prestações, mas mostram-se fiáveis e poupadas na hora de ir abastecer.

Principais avarias e problemas
A nível de motores a anomalia mais reportada é um consumo de óleo superior ao esperado tanto no motor 1.3 VVT-i a gasolina como no motor 1.4 D-4D a gasóleo. Neste último também podem haver perdas de potência devido a problemas com o turbo.

Nalguns modelos 1.3 VVT-i e 1.4 D-4D foi registado um desgaste prematuro da embraiagem, podendo mesmo algumas vezes acontecer antes dos 50 mil quilómetros.

A caixa de velocidades pode começar a apresentar ruídos e pode inclusive começar a revelar falhas nas passagens de caixa.

Toyota Yaris (2011-2020)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Fiabilidade
Habitabilidade
Opção híbrida
Contras
Alguns materiais
Diâmetro de viragem
Fiabilidade7
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais6
Habitabilidade e bagageira7
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico6.5
Performance6
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Renault Laguna Coupé (2008-2015)

Published

on

O Renault Laguna Coupé surge como a proposta mais arrojada da gama com o seu estilo fluído e equilibrado é um coupé “alternativo” para quem procura algo diferente da oferta germânica.



Nesta geração do Laguna a Renault apostou numa melhoria qualitativa face aos modelos anteriores e também quis dar-lhe um pouco mais de caráter e isso foi conseguido com o Coupé. Apelativo no estilo, ele distingue-se da restante gama, mas a tarefa de fazer frente aos seus rivais, num segmento onde o Laguna não tinha grande historial, não foi fácil.

O interior é bem conseguido, com bons materiais na maioria dos painéis e apenas se lamenta que o espaço nos bancos de trás seja algo acanhado, muito devido à sua silhueta com um tejadilho muito baixo nos pilares traseiros.

O seu grande trunfo é o bom trabalho da suspensão que assegura um excelente equilíbrio entre conforto e eficácia dinâmica, eficácia essa que ai amplamente reforçada com a inclusão de um sistema de rodas direcionais no eixo traseiro o que permite ao Laguna uma agilidade em curva bem acima da média e muito entusiasmante para os amantes da condução.

Motores
O Laguna Coupé praticamente replicou a gama de motores da berlina. Como tal não é de estranhar que a oferta Diesel comece com o 1.5 dCi com 110, 115 e 120 cv, passando para o 2.0 dCi com 150, 175 e 180 cv, chegando ao 3.0 V6 dCi com 235 cv. Já ns propostas a gasolina este coupé conta com o motor 2.0 Turbo com 170 e 205 cv e o mais potente 3.5 V6 com 240 cv. Exepção feita aos motores de seis cilindros em V os restantes ficavam um pouco aquém da alma que se esperava de um coupé, especialmente com um comportamento dinâmico como o que exibe este Laguna Coupé. Em compensação, os consumos, de um modo geral, são comedidos.

Principais avarias e problemas
Tal como na berlina também no coupé os modelos produzidos até 2009 equipados com o motor 2.0 dCi deram alguns problemas com os rolamentos das bielas. As unidades fabricadas entre novembro de 2012 e setembro de 2014 também revelaram anomalias com o filtro de partículas.

Em 2010 houve um recall para verificar o estado dos cintos de segurança. Nalguns modelos o volante em pele pode revelar um desgaste prematuro, algo que foi resolvido nos modelos produzidos a partir de 2012.

A nível eletrónico, o sistema de verificação da pressão dos pneus pode não funcionar corretamente.

Renault Laguna Coupé (2008-2015)
6.5 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Estética
Comportamento dinâmico
Contras
Prestações
Habitabilidade traseira
Fiabilidade6
Custos de manutenção6
Desvalorização5.5
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira6
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico8
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Volkswagen Sharan (1995-2010)

Published

on

A Volkswagen Sharan foi o primeiro modelo produzido na Autoeuropa em Palmela juntamente com as suas duas “irmãs” Ford Galaxy e Seat Alhambra. Diferem entre elas apenas por questões estéticas e alguns elementos de marca, sendo que a Sharan se posiciona num nível ligeiramente acima das outras duas por questões de posicionamento de marca.



Com uma boa qualidade de construção e materiais a condizer, a Sharan oferece um bom espaço interior e uma modularidade que permite várias configurações do habitáculo. A sua lotação de sete lugares é uma mais valia e só é pena que os últimos dois bancos sejam algo pesados para movimentar, mas nada que não se supere.

Bem equipada a Sharan oferece uma posição de condução equilibrada e uma boa visibilidade, o que considerando as suas dimensões facilita as manobras em cidade. Dando uma boa imagem de solidez, a Sharan é confortável apesar do eixo traseiro deixar passar algumas vibrações para o interior.

A sua suspensão domina bem os seus movimentos da carroçaria, o que é de salientar pois estamos perante um modelo com 4,6 metros de comprimento e 1,76 de altura que se revela previsível e muito tranquilo de conduzir.

Motores
A gama de motores da Sharan é dominada pelas unidades Diesel TDI com o bloco de 1.9 litros nas suas versões de 90, 110, 115 e 130 cv de potência, motores em que só o de 90 cv revela mais trabalho para dar alguma genica a esta Volkswgen. De resto todos eles cumprem e acima de tudo, todas estas motorizações, sem exceção, exibem uns consumos baixos. Apesar de compreensivelmente os motores a gasóleo terem dominado as vendas a Sharan também propunha versões a gasolina com o 1.8 T de 150 cv, o VR6 de 174 cv e o 2.8 V6 de 204 cv de potência.

Principais avarias e problemas
Ter cuidado com as acelerações com o motor ainda frio e ter atenção com o nível do óleo são determinantes para não correr o risco de ter problemas com o turbo dos motores TDI. Os modelos equipados com o motor TDI de 110 cv podem necessitar de trocar o catalisador mais cedo do que o esperado. Os motores Diesel podem revelar um consumo de óleo elevado nos primeiros anos.

O fecho centralizado e os vidros elétricos podem exibir anomalias nos respetivos motores causando um mau funcionamento destes elementos.

Volkswagen Sharan (1995-2010)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Consumos
Qualidade
Habitabilidade
Contras
Suspensão traseira
Peso dos bancos traseiros
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6
Desvalorização6
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração