Stellantis lança furgões a hidrogénio com 400 km de autonomia ainda este ano – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Stellantis lança furgões a hidrogénio com 400 km de autonomia ainda este ano

Published

on

A Stellantis, comglomerado que inclui os grupo PSA e FCA, anunciou o lançamento ainda este ano de três veículos comerciais ligeiros a hidrogénio para as marcas Peugeot, Citroën e Opel com autonomias superiores a 400 quilómetros e tempos de reabastecimento de apenas três minutos, assumindo-se como o primeiro passo do grupo rumo ao ecossistema do hidrogénio.



Os primeiros resultados deste esforço estarão nas estradas ainda este ano, com variantes a hidrogénio do Citroën Jumpy, Peugeot Expert e Opel Vivaro, aproveitando os benefícios da plataforma multienergias que o grupo Stellantis tem trabalhado ao longo dos últimos anos.

A solução tecnológica da Stellantis para estes três veículos combina a função de locomoção por pilha de combustível a hidrogénio, mas também da possibilidade de recorrer à bateria para melhor performance ou incremento da autonomia.

Esta tecnologia é apresentada como de dimensão média, com o motor elétrico a poder ser alimentado pela bateria elétrica ou pelos três tanques de hidrogénio (4,4 kg a uma pressão de 700 bares) dispostos sob o piso no local onde está a grande bateria de tração das versões apenas elétricas.

Estes elementos são desenvolvidos através de uma parceria de desenvolvimento com a Faurecia, uma das parceiras para este projeto, sendo a outra a Symbio. O compartimento de carga não é afetado nem perde capacidade com esta abordagem a hidrogénio, com os diversos componentes escondidos em locais que já são utilizados pelos modelos lançados, tanto com motor de combustão, como elétricos.

O arranque e a movimentação a baixa velocidade faz-se com recurso à bateria de tração, mudando para o sistema de pilha de combustível a hidrogénio a velocidades mais altas em cruzeiro. Em acelerações mais fortes, os dois trabalham em conjunto para a máxima potência, enquanto a desaceleração e travagem recupera energia para a bateria.

Por enquanto, este sistema de pilha de combustível a hidrogénio apenas estará presente nos comerciais ligeiros da Peugeot, Citroën e Opel, mas a sua aplicação noutros modelos de outras marcas do grupo é uma possibilidade a seu tempo.

É apontada uma autonomia superior a 400 quilómetros e um tempo de reabastecimento de cerca de três minutos, tornando a sua utilização tão prática quanto a de um veículo de motor de combustão nos dias que correm. Além disso, para o caso do hidrogénio nos tanques se gastar todo, a bateria de tração permite que o mesmo circule – ainda que a baixa velocidade – por cerca de 50 quilómetros, permitindo assim uma autonomia bem superior dos 400 quilómetros.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Santos e Vale e Reta desenvolvem solução para passar carga entre semirreboques

Published

on

A pedido da Santos e Vale – Operador Logístico, a Reta, desenvolveu uma solução inovadora em Portugal, que consiste num sistema de ligação entre duas viaturas atreladas, eficiente e sem complicações com a perda de peças soltas.


“O cliente queria uma solução fiável para transferência de cargas entre equipamentos. Agora, o motorista, em vez de ter que encostar as duas viaturas, cada uma num cais de cargas diferente, só precisa de encostar o conjunto. Com as duas viaturas atreladas, a carga pode ser movimentada entre os dois equipamentos, aumentando assim a flexibilidade de carga e descarga,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Esta plataforma é sempre agregada ao malhal do equipamento. O motorista quando precisa de utilizá-la, tem simplesmente que destravá-la e descê-la. Não há necessidade de montá-la, de cada vez que quiser utilizá-la. O sistema foi montado no frontal de um semirreboque rígido, podendo ser replicado para outros tipos de equipamento.

Luís Alves frisa: “É muito mais simples, não há peças soltas que se corre o risco de perder, há uma proteção adicional à própria carga (por cima). E não requer que a pessoa ande com uma chapa de ferro, com risco de se desviar e de a mercadoria cair. É mais seguro, mais funcional, tem uma resistência superior à dos próprios malhais frontais e, sobretudo, poupa muito trabalho aos motoristas.”

Esta solução tem tido excelente aceitação noutros mercados além dos transportes, porque permite ainda, com uma adaptação, que o semirreboque sirva de armazém móvel e que se carregue e descarregue pelos dois lados.
“À data atual, poderá ser montado em dois conjuntos (camião e semirreboque, ou link trailer e semirreboque, perfazendo 60 toneladas) e, no futuro em dual-trailer (dois semirreboques, perfazendo 70 toneladas), já em testes na vizinha Espanha,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Continuar a ler

Comerciais

Mercedes-Benz promete mostrar eActros de longo curso em Hanover

Published

on



A Mercedes-Benz Trucks escolheu o Salão de Hanover, que se realiza já no mês de setembro, para apresentar ao público o camião elétrico de longo curso eActros LongHaul, que deverá chegar ao mercado em 2024 com uma autonomia de até 500 km.

O modelo que será exposto no stand da marca alemã antecipa a imagem do veículo de produção em série. Os primeiros protótipos já estão a ser submetidos a testes intensivos e, ainda este ano, o eActros LongHaul será testado em estradas públicas.
No próximo ano, os primeiros veículos de teste chegarão aos clientes para uma utilização diária. Com um único carregamento da bateria, o eActros LongHaul terá uma autonomia de até 500km, estando prevista a sua produção em série em 2024.

A marca alemã também vai ainda mostrar no seu espaço no Salão Internacional, dois camiões elétricos; o eActros para transporte de distribuição pesada, que está em produção em série na fábrica de Wörth desde outubro de 2021, e o eEconic para uso municipal, desde julho.
A Mercedes-Benz Trucks divulgou as primeiras imagens de antevisão do protótipo do eActros LongHaul, assim como algumas caraterísticas técnicas do veículo de produção.


As baterias utilizam a tecnologia de fostato de lítio-ferro (LFP), que oferecem uma maior capacidade útil e uma vida mais longa. Estas baterias podem recuperar entre 20 a 80% da sua capacidade em menos de 30 minutos num posto ultrarrápido com potência de um megawatt.
A maior autonomia em combinação com o carregamento a um megawatt permite uma utilização diária semelhante à dos camiões convencionais e possibilita a realização de dois turnos.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração