Volkswagen Lupo (1998-2005) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Volkswagen Lupo (1998-2005)

Published

on

Quando foi lançado em 1998 o Lupo representava o modelo de entrada no universo Volkswagen. Trata-se de um pequeno citadino fácil de conduzir e que se mexe bem na cidade. Apresenta um pouco mais de qualidade do que é habitual no segmento, um bom equipamento, mas isso tem o seu custo.



Para quem faz da cidade o seu dia a dia em termos de deslocações, o Lupo é um pequeno modelo que se encaixa na perfeição. De dimensões reduzidas é fácil de manobrar e conduzir em ambiente urbano e com uma boa posição de condução torna-se o companheiro ideal das pequenas deslocações e trajetos.

Os materiais utilizados no interior dão uma boa sensação de solidez e apenas é de lamentar que o espaço nos bancos traseiros é algo limitado para quem neles viaje. A própria bagageira com apenas 130 litros de capacidade é muito escassa, mas suficiente para as compras da semana.

Confortável quanto baste o Lupo tem uma suspensão que faz um bom trabalho, revelando-se muito equilibrada entre o conforto que oferece e a eficácia que assegura quando a estrada é mais exigente. Nada de grande emoções ou interatividade, mas sóbrio e competente.

Os custos de manutenção não são dos mais simpáticos e o mesmo pode ser dito do seu preço, factos que apenas são atenuados pelo Lupo não ser dos citadinos que mais desvalorizam com o tempo, beneficiando de ser um membro da família Volkswagen e com isso capitalizar também com a imagem da marca no mercado.

Motores
O Lupo conta com uma gama de motores composta por cinco propostas a gasolina, o 1.0 com 50 cv, o 1.4 com 65, 75 e 100 cv e o 1.6 com 125 cv de potência e duas a gasóleo, o 1.7 SDI com 60 cv e o 1.4 TDI com 75 cv. Estas versões Diesel marcam pontos pelos seus consumos reduzidos, mas são motores que se mostram algo ruidosos, comprometendo um pouco a insonorização a bordo deste pequeno germânico.

Principais avarias e problemas
Os primeiros modelos produzidos do Lupo 1.7 SDI apresentaram alguns problemas com o ralenti a mostrar-se instável. Nalgumas unidades equipadas com o motor 1.4 TDI e que foram produzidas entre 1999 e 2002 foram registados casos de turbos partidos.

Em alguns modelos fabricados entre 1999 e 2000 o sistema de travagem apresentou fugas do óleo de travões o que resultou numa perda de eficácia. A nível eletrónico foram apontados alguns problemas com o fecho centralizado e os vidros elétricos.

Volkswagen Lupo (1998-2005)
6.3 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Consumos
Posição de condução
Facilidade de condução
Contras
Custos de manutenção
Capacidade da bagageira
Habitabilidade traseira
Fiabilidade6
Custos de manutenção5.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira6
Segurança6.5
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Avaliações Usados

Seat Arona (2017-…)

Published

on

Desenvolvido com base na plataforma MQB-A0 do Grupo Volkswagen, a mesma do Ibiza por exemplo, o Arona mostra-se uma das propostas mais interessantes do segmento SUV.



Esteticamente sóbrio, mas apelativo, o Arona oferece um interior com uma excelente habitabilidade para todos os ocupantes e ainda marca pontos com o seu generoso volume da bagageira de 400 litros.

O interior tem um desenho moderno, mas alguns dos materiais escolhidos pecam por não serem um pouco mais nobres. No entanto, isso não afeta a qualidade de construção que se sente no habitáculo com os vários painéis a exibirem um bom rigor na sua montagem.

O bom trabalho da sua suspensão assegura um conforto elevado para quem viaje no Arona e ao mesmo tempo ele consegue um excelente equilíbrio com uma boa eficácia dinâmica, ou seja, lidar com o mau piso em cidade, uma viagem mais longa em auto-estrada, ou aquela estrada de serra mais “apetitosa”, tudo são cenários onde o Arona cumpre e se sente à vontade.

O único senão no campo do conforto é a sua insonorização que não é a mais bem conseguida, deixando que o ruído do motor seja mais evidente no habitáculo do que seria desejado.

Motores
A gama de motores começa com o tricilídrico a gasolina 1.0 TSI nas suas versões de 95 cv e 115 cv. Segue-se o mais potente 1.5 TSI com 150 cv que fecha a oferta a gasolina. No campo das propostas Diesel o Arona conta com o 1.6 TDI nas suas versões de 95 e 115 cv de potência. Com consumos comedidos, qualquer uma destas propostas oferece boas prestações e até o 1.0 TSI de 95 cv surpreende por conseguir um desempenho muito equilibrado, mesmo sendo o menos potente.

Principais avarias e problemas

Os motores 1.0 TSi podem sofrer de fugas de óleo e também de líquido de refrigeração, neste último caso devido à junta da bomba de água.

O motor 1.6 TDI pode revelar perdas de potência originadas por anomalias no turbo e também ele pode sofrer de fugas de óleo.

A climatização pode não funcionar corretamente devido a falhas num sensor de pressão.

Seat Arona (2017-...)
6.5 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Bagageira
Habitabilidade
Contras
Insonorização
Alguns materiais
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6
Desvalorização6
Qualidade dos materais6
Habitabilidade e bagageira7
Segurança6.5
Conforto7
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Volkswagen Golf VIII (2020-…)

Published

on

Já na oitava geração, o Golf continua a ser uma das referências do segmento e a Volkswagen mantém-se atenta e competente na tarefa de não deixar cair esse estatuto daquele que é um dos seus mais importantes modelos no mercado há décadas.



Como seria de esperar num Golf, também nesta geração a racionalidade impera. Espaçoso tanto nos bancos da frente como nos de trás, este germânico continua a oferecer uma boa qualidade de construção, apesar de alguns dos materiais do interior serem algo duros ao toque como nas portas e na consola central.

Com uma boa posição de condução, este Golf apresenta uma ergonomia que podia ser melhor já que alguns comandos não são muito intuitivos na sua utilização. A bagageira tem um acesso fácil e oferece 381 litros de capacidade.

Confortável, o Golf tem uma suspensão que lida muito bem com a maioria das irregularidades do piso ao mesmo tempo que garante uma excelente eficácia quando se aumenta um pouco mais o ritmo da condução. Previsível e sóbrio nas reações este Golf mantém intactos os pergaminhos das anteriores gerações.

A imagem conquistada com anos após anos como referência do segmento faz com que o Golf não tenha propriamente dos preços mais competitivos no segmento, mas em jeito de compensação essa imagem também assegura um bom valor de retoma.

Motores
A oferta de motores é vasta começando com as unidades a gasolina 1.0 TSI com 110 cv, o 1.5 TSi com 150 cv e o mais potente 2.0 TSI com 245, 300 e 320 cv de potência nas versões mais desportivas GTi, GTi Clubsport e R, respetivamente. Seguem-se as propostas Diesel com o 2.0 TDI com 115, 150 e 200 cv e por fim as versões híbridas 1.0 eTSI com 110 cv, 1.5 eTSI com 130 e 150 cv e o 1.4 eHybrid com 204 e 245 cv da proposta Plug-in.

Além de prestações equilibradas e até desportivas nas versões mais potentes, esta gama de motores que equipa esta geração do Golf marca pontos pelos seus consumos reduzidos, segundo dados da marca.

Principais avarias e problemas

Devido a um problema eletrónico os motores 1.0 podem levar a que a luz de aviso no painel de instrumentos acenda sem uma razão concreta. Algo que se resolve com uma programação.

A versão híbrida plug-in pode ter de levar uma proteção térmica em torno de um comutador para evitar risco de incêndio. Já o motor TDI pode revelar algumas fugas de combustível devido a uma borracha defeituosa.

Alguns modelos foram construídos com uma referência errada dos discos de travão. Algo que deve ser verificado na ida à assistência e substituído caso se verifique que é necessário.

Volkswagen Golf VIII (2020-...)
7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Eficácia dinâmica
Contras
Preço
Ergonomia
Fiabilidade7
Custos de manutenção5.5
Desvalorização7.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7
Segurança6.5
Conforto7
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração