Peugeot 406 (1996-2004) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Peugeot 406 (1996-2004)

Published

on

O Peugeot 406 representou um substancial salto qualitativo face ao seu antecessor, o 405. Mais refinado, o 406 representou uma aproximação da marca gaulesa aos modelos propostos pelos seus rivais germânicos mantendo a subtileza e conforto típicos dos modelos franceses.



Muito sóbrio nas suas linhas, tanto exteriormente como no interior, o 406 oferece um habitáculo espaçoso e uma boa posição de condução. A sua bagageira é generosa e oferece 430 litros de capacidade.

Com bons materiais no habitáculo este Peugeot garante um bom ambiente para os ocupantes e só as versões base pecam um pouco por alguma escassez de equipamento de série.

O conforto é um dos forte argumentos do 406. Bem insonorizada, esta berlina evidencia uma suspensão que processa muito bem todas as situações mostrando-se tão eficaz a processar as irregularidades do piso como a controlar os movimentos da carroçaria quando o trajeto é mais sinuoso. Apesar do conforto ser a prioridade este Peugeot não se nega a uma estrada de serra mais exigente.

Motores
A oferta de motores é vasta até porque a partir do final de 1998 recebeu os primeiros motores Diesel da família HDI que substituíram os anteriores 1.9 TD e 2.1 TD. Assim na oferta a gasóleo o 406 conta com o 1.9 TD com 90 cv, o 2.1 TD com 110 e o 2.0 HDI nas suas versões com 110 e 136 cv de potência.
Já nos motores a gasolina a gama começa no 1.6 com 90 cv, o 1.8 com 110 cv, o 1.8 16V com 117 cv, o 2.0 com 135 cv, o 2.0 T com 150 cv e termina com o mais potente 3.0 V6 com 207 cv.
As prestações dos motores menos potentes ficam algo aquém do que este 406 necessita para mostrar todas as suas potencialidades.

Principais avarias e problemas
Os motores 2.0 HDI padeceram de alguns problemas de juventude e em 2001 houve um recall para reparar um problema com o sistema de injeção. Os motores 1.8 e 2.0 a gasolina podem dar problemas a baixas velocidades, algo que é solucionado com uma reprogramação da centralina.

Nas motorizações de quatro cilindros podem surgir falhas na refrigeração devido a uma anomalia no termóstato. Em 2004 houve alguns modelos que tiveram de regressar à assistência para resolver um problema com o ventilador da climatização.

Peugeot 406 (1996-2004)
6.7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Comportamento dinâmico
Contras
Prestações de alguns motores
Equipamento nas versões base
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7
Segurança6.5
Conforto7
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico7
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações Usados

Audi A3 (2003-2012)

Published

on

A segunda geração do Audi A3 veio refinar os bons argumentos do modelo anterior e colocou-se numa fasquia um pouco acima. Não trouxe nenhuma revolução, sendo mais um reforço de estatuto que levou à afirmação da sigla A3 como um dos modelos de entrada no universo premium mais cobiçado do mercado.



Com umas linhas mais evoluídas, mas mantendo a sua sobriedade, este Audi A3 trouxe também um interior mais apurado, mantendo um nível de construção elevado associado a uma boa escolha de materiais o que lhe confere uma boa sensação de qualidade e robustez.

O espaço no habitáculo é bom, apesar de não ser propriamente dos mais generosos do segmento. A posição de condução não tem falhas e é fácil de ajustar. bem equipado, este germânico oferece um bom conforto até porque a sua suspensão, apesar de ter uma afinação algo firme, consegue processar bem as armadilhas do piso sem prejudicar os ocupantes.

Essa firmeza também ajuda a que este Audi consiga uma boa agilidade, tornando-se até divertido quando a estrada se torna mais sinuosa e se deseje imprimir um ritmo um pouco mais vivo.

Tratando-se de um modelo com um cunho premium o A3 não é propriamente barato e o mesmo se pode dizer dos seus custos de manutenção, algo que pode ser atenuado pelo seu valor de retoma que é elevado fruto daquilo que é como produto e da procura que ainda hoje tem no mercado de usados.

Motores
Outro dos trunfos da gama A3 é que tem motores para todos os gostos. Começa com as opções a gasolina com o 1.2 TFSI com 105 cv, o 1.4 TFSI com 125 cv, o 1.6 com 102 cv, o 1.6 FSI com 115 cv, o 1.8 TFSI com 160 cv, o 2.0 FSI com 150 cv e o 2.0 TFSI nas versões de 200 e 265 cv.
Já na oferta Diesel a família TDI é composta pelo 1.6 TDI com 90 e 105 cv e o 2.0 TDI com 140 e 170 cv. Estes motores sempre foram a espinha dorsal da gama graças às boas prestações associadas a uns consumos baixos.

Principais avarias e problemas
Os motores TDI pode ter de ser alvo de uma reprogramação do cálculo de injeção. Nestas unidades também podem surgir vibrações e falhas no ralenti e ainda é possível que surjam anomalias com os sensores do catalisador. Podem surgir perdas de potência devido a complicações com o turbo. Foram ainda reportados casos de fugas nos injetores-bomba. Os motores a gasolina 1.8 TFSI de 160 cv podem exibir um consumo de óleo excessivo.

Falhas no ventilador da climatização podem obrigar à sua substituição. Os modelos produzidos entre junho e julho de 2005 foram alvo de um recall para corrigir um problema nos airbags com um possível fuga de gás de enchimento. As unidades equipadas com as caixas DSG podem apresentar problemas de funcionamento com origem na embraiagem. A luz do ESP pode acender de forma intempestiva sem que haja razão para tal.

Audi A3 (2003-2012)
6.9 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Qualidade
Valor de retoma
Comportamento dinâmico
Contras
Preço
Custos de manutenção
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção5.5
Desvalorização7
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Seat Leon (1999-2005)

Published

on

O nascimento no Seat Leon marcou um importante passo no seio da marca espanhola, oferecendo um modelo mais apelativo esteticamente e a um preço mais acessível que o seu “meio-irmão” Volkswagen Golf, mantendo muitas das qualidades deste último.



Partilhando a mesma plataforma do Golf e do Audi A3 o Leon demarcou-se por uma estética mais arrojada e por apostar mais na vertente dinâmica, mostrando-se mais interativo com o condutor e divertido de conduzir. A sua suspensão foi afinada nesse sentido e como tal é de esperar que quando o piso se torna mais degradado o conforto não seja o ideal.

Com um preço competitivo e oferecendo um bom nível de equipamento o Leon rapidamente conquistou o seu público e nem o facto de ser um pouco mais acanhado na zona dos bancos traseiros ou de ter uma bagageira com um volume menor que a média do segmento, mancha a sua valia como produto.

Bem construído e com bons materiais no interior o Leon oferece grande parte das virtudes de um Golf, com a vantagem de surgir no mercado a um preço bem mais convidativo.

Motores
Esta geração do Leon tem nas versões equipadas com motores Diesel as suas propostas mais bem sucedidas. Contando com o bloco 1.9 TDI nas versões de 90, 110, 130 e 150 cv de potência este espanhol oferece boas prestações e baixos consumos, uma fórmula sempre bem sucedida.
Já nos motores a gasolina a gama é composta pelo 1.4 16V com 75 cv, o 1.6 com 100 cv, o 1.6 16V com 105 e os mais potentes 1.8T com 180 e 210 cv, estes últimos claramente com o foco nas prestações.

Principais avarias e problemas
Foram comuns os problemas com perdas de potência nos motores TDI devido à obstrução do medidor de massa de ar. Esta anomalia com o medidor de massa de ar obstruído também interfere com a gestão eletrónica, algo que aparentemente pode ser atenuado com a instalação de uma antena exterior de maneira a evitar interferências nas frequências.

O motor 1.6 a gasolina teve também algumas situações de falhas no sistema de injeção, um problema que se torna mais evidente após uma forte aceleração.

Seat Leon (1999-2005)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço
Equipamento
Comportamento dinâmico
Contras
Conforto
Capacidade da mala
Fiabilidade7
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira6
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Volvo S80 (1998-2006)

Published

on

Viajante por natureza, o Volvo S80 é um modelo que faz do conforto a sua grande bandeira e oferece aos ocupantes uma viagem relaxada, com espaço e sem ruídos.



Com uma boa habitabilidade e uns bancos envolventes o S80 brinda quem nele viaje com uma qualidade de construção elevada e bons materiais, o que contribui para a sensação de segurança, conforto e robustez.

De uma forma geral é uma berlina fácil de conduzir, mas as suas dimensões e o seu diâmetro de viragem, em especial nos modelos equipados com os motores de cinco cilindros, podem exigir a algumas contas de cabeça quando se circula por uma ou outra ruela citadina.

A suspensão faz um excelente trabalho na supressão das irregularidades, mas quando as estradas se tornam mais exigentes esta opção pelo conforto acaba por ter o seu preço no controlo dos movimentos da carroçaria. Ao mesmo tempo a direção não é muito direta ou informativa o que não faz do S80 um modelo particularmente incisivo, mas também esse não é o seu gene.

Na hora de ir à revisão este Volvo não é também muito leve para a carteira e também por aí se paga um pouco a sua linhagem como modelo premium.

Motores
A gama de motores oferece várias soluções começando pelas unidades a gasolina 2.0 T com 163 e 180 cv, 2.5T com 210cv, T5 com 250 cv e T6 com 272 cv. Já nas propostas a gasóleo a Volvo propõe o 2.5D com 140 cv e após 2001 a marca sueca introduziu o D5 com 170cv de potência. Estas são as unidades mais comedidas nos consumos, ao passo que os motores a gasolina são naturalmente um pouco mais gulosos, mas oferecem boas prestações.

Principais avarias e problemas
No final de 2001 várias unidades equipadas com o motor 2.5D foram chamadas à assistência para resolver um problema de sobreaquecimento relacionado com falhas na bomba de água.

Nos modelos produzidos até fevereiro de 1999 equipados com os motores T6 podem apresentar anomalias na bomba de combustível.

É possível que surjam problemas de condensação nas óticas dianteiras.

Volvo S80 (1998-2006)
6.7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Qualidade
Habitabilidade
Contras
Diâmetro de viragem
Custos de manutenção
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção5.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração