Mais carros elétricos vendidos na Europa do que na China em 2020 – Motorguia
Ligue-se connosco

Notícias

Mais carros elétricos vendidos na Europa do que na China em 2020

Published

on

As conclusões são do analista independente Matthias Schmidt e mostram que, durante os sete primeiros meses do ano, se venderam mais 14 mil veículos elétricos na Europa do que na China. Os números surpreenderam a indústria automóvel, uma vez que o mercado chinês absorveu em 2019 praticamente o mesmo número de vendas da Europa e dos EUA juntos. De acordo com Schmidt, esta grande diferença em termos de vendas explica-se devido ao aumento de incentivos promovidos por uma parte considerável dos governos europeus em contraponto com a desaceleração de benefícios homologados pelo governo chinês.

A aquisição de carros elétricos tem ganho força nas principais economias do mundo e o comportamento do mercado confirma que os consumidores parecem cada vez mais convencidos acerca das vantagens de possuir um carro elétrico em 2020. O relatório do analista alemão mostra ainda que, entre veículos elétricos (VE) e híbridos de carregamento externo (PHEV), as vendas ascendem às 500 mil unidades. Tendo em conta que os últimos dois trimestres do ano tendem a ser mais férteis em termos de aquisição, espera-se que o Velho Continente ultrapasse com alguma margem a marca de um milhão de veículos vendidos durante este ano.

Fonte: Pixabay

As políticas europeias têm convergido no sentido de aumentar a produção e o consumo de veículos elétricos, pelo que esta curva ascendente de vendas tenderá a manter-se nos próximos meses. A atribuição de subsídios e a diminuição de preços teve como objetivo ajudar os fabricantes a manterem a competitividade perante os mercados externos, algo que a China vinha fazendo já há alguns trimestres. De resto, o recuo chinês perante a política de incentivos visa mesmo encorajar as empresas chinesas a adquirirem independência e demonstrarem capacidade para competir apenas com recursos próprios.

Globalmente, a crescente aquisição de carros elétricos demonstra uma acentuada mudança de comportamentos de consumo, que tem fortes raízes no digital e na sustentabilidade. As pessoas trocaram o restaurante pelas suas casas, sendo que a indústria de serviços de entrega online duplicou entre 2017 e 2020 e espera-se que atinja 30 mil milhões de valorização em 2024. Os fãs de jogos de casino trocaram Las Vegas e Macau pelos jogos de mesa online, o que deverá atingir 127 mil milhões de dimensão até 2027 à boleia da popularidade dos jogos mobile. No setor do streaming de música, o mercado cresceu 32% em 2019 e o consumo através do Spotify, da Apple Music ou da Amazon Music suplanta por larga margem os concertos ou a venda de CD ou vinil.

 

Fonte: Pixabay

Esta alteração de hábitos verifica-se também no segmento dos veículos elétricos, onde a Tesla está cada vez menos sozinha. De resto, a empresa liderada por Elon Musk tem sentido algumas dificuldades para acompanhar o volume de produção requerido e a Volskwagen está na pole position com o seu Volskwagen ID.3 para açambarcar a liderança neste setor. O aparecimento de novos fabricantes é muito importante para a maturação do mercado dos carros elétricos, uma vez que existe ainda muita margem de crescimento no continente europeu. Atualmente, por cada 50 carros vendidos, apenas um é elétrico e as políticas fomentadas por governos como o francês e o alemão visam aumentar a percentagem de veículos elétricos que circulam nas estradas europeias.

A ascensão dos carros elétricos também tem acontecido em Portugal, vislumbrando-se um aumento de 69% nas vendas de 2019, quando a indústria automóvel até registou uma quebra de 2%. Os altos custos de aquisição revelam-se um entrave para o consumidor português e impedem uma massificação maior deste tipo de veículo em terras lusitanas. Ainda assim, os benefícios dos carros elétricos chamam já atenção de uma franja significativa dos portugueses e entende-se que o alto investimento é diluído facilmente nos anos seguintes à aquisição. Nesta base, espera-se que Portugal siga a tendência de vendas europeia.

Notícias

Multas por uso do telemóvel na condução aumentaram 5,5%

Published

on

No ano de 2021 foram registadas 24.306 infrações de uso do telemóvel durante a condução. Este valor representa um aumento de 5,5% de infrações comparativamente a 2020.



A utilização do telemóvel enquanto está ao volante a conduzir reduz a atenção e a capacidade de reação do condutor e aumenta em quatro vezes o risco de ter um acidente.

No sentido de sensibilizar os condutores para este facto, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a GNR e a PSP vão levar a cabo uma ação de denominada “Ao volante, o telemóvel pode esperar” que irá decorrer em todo o território nacional até ao dia 30 de maio. Esta iniciativa será composta por ações de sensibilização por parte de elementos da ANSR e ações de fiscalização levadas a cabo pela GNR e PSP em locais de maior fluxo rodoviário.

Continuar a ler

Notícias

Mercedes-Benz 300 SLR Uhlenhaut Coupé é o automóvel mais caro do mundo

Published

on

Foi batido no passado dia 5 de maio o recorde para o automóvel mais caro do mundo. Tal aconteceu num leilão da RM Sotheby´s em que um Mercedes-Benz 300 SLR Uhlenhaut Coupé foi arrematado por 135 milhões de dólares, qualquer coisa como 126,5 milhões de euros.



Só foram construídos dois exemplares deste modelo alemão. Um é este que foi vendido em leilão e o outro está no museu da Mercedes-Benz localizado em Estugarda. Este coupé foi desenvolvido com tendo como base o W196 de Fórmula 1 e foi desenhado por Rudolf Uhlenhaut, daí o seu nome.

O Mercedes-Benz 300 SLR Uhlenhaut Coupé com o chassis 196.110-00008/55 tornou-se no automóvel mais caro do mundo superando um Ferrari 250 GTO de 1962 que foi leiloado em 2018 também pela Sotheby’s e que detinha o recorde de um automóvel vendido em leilão após ter sido arrematado por 48 milhões de dólares, algo como 45 milhões de euros.

A leiloeira fez um vídeo assinalando este feito e ele aqui fica:

Continuar a ler

Notícias

Polestar 2 a partir de 49.900 euros

Published

on

A marca sueca Polestar que apenas produz modelos exclusivamente elétricos já chegou ao nosso mercado e o modelo que marca o início da sua atividade entre nós, o Polestar 2 também já tem preço.



Focada no segmento premium, a Polestar lança entre nós o Polestar 2, um fastback equipado de base com um motor elétrico de 170 kW, uma bateria de 69 kWh que lhe dá uma autonomia de 474 quilómetros e que surge no mercado com um preço base de 49.900 euros. Além desta proposta base o Polestar 2 tem ainda uma versão com autonomia prolongada que chega até aos 542 quilómetros graças à sua bateria de 78 kWh. A versão mais potente é o Polestar 2 com dois motores elétricos que lhe dão uma potência combinada de 300 kW e uma autonomia de 482 quilómetros.

O Polestar 2 já pode ser encomendado online no site da marca www.polestar.com/pt e poderá ser marcado um teste-drive na mesma página com os modelos a estarem disponíveis em Lisboa, Porto e Algarve. Os primeiros espaços físicos denominados por Polestar Destination têm a sua inauguração prevista para o último trimestre deste ano no Porto, seguindo-se depois Lisboa.

De acordo com o Director Geral da Polestar Portugal, Miguel Pinto “o mercado de automóveis eléctricos em Portugal está em crescimento, trazer a Polestar para o país foi um passo lógico para a marca. Estamos entusiasmados por trazer uma opção genuinamente atrativa para o segmento premium compacto e por oferecer aos portugueses um automóvel eléctrico inovador e sustentável que se apresenta como uma alternativa aos atuais automóveis a gasolina ou diesel.”

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração