6 boas razões para comprar um carro novo – Motorguia
Ligue-se connosco

Novos

6 boas razões para comprar um carro novo

Published

on

Comprar um automóvel é uma decisão importante e há excelentes motivos para escolher um veículo novo em detrimento de um usado.

Aqui estão 6 razões que devem tranquilizá-lo sobre a escolha de um carro novo:

  1. Fiabilidade e longevidade

Ninguém quer passar os próximos anos imaginando se seu carro resistirá ao teste do tempo. Especialistas dizem que, depois do estilo, a fiabilidade é a consideração mais importante na hora de escolher um veículo. A expetativa de vida de um carro novo, independentemente da marca ou modelo, é geralmente superior a sete ou oito anos. Como manter o seu carro por um longo período de tempo, o investimento inicial pode ser grande, mas valerá a pena! Além disso, seu novo carro poderá ter uma garantia mais abrangente do que um usado.

  1. Segurança

Nada é mais importante que a sua segurança e a de seus entes queridos. Ao optar por um carro novo, você terá a certeza de ter os recursos de segurança mais recentes. Modelos novos são melhor construídos. Eles oferecem aço de alta resistência, que apresenta melhor desempenho em caso de colisão, vários airbags e muitos componentes eletrónicos de segurança on-board, tanto de série como opcionais. Nunca os automóveis foram tão seguros!

  1. Tecnologia

Se é fã de música ou adora gadgets, ficará surpreso com o que pode encontrar nos automóveis novos atuais. Desde sistemas de navegação com exibição de tráfego até compatibilidade com smartphones, os novos veículos do mercado oferecem todos os tipos de opções de conectividade. Eles também têm acesso à Internet a bordo, assistência de condução semi-autónoma e muito mais.

  1. Eficiência e menor poluição

Os novos veículos precisam atender a padrões de emissões mais rigorosos. Como resultado, eles emitem menos gases contaminantes e produzem um reduzido efeito estufa – ou mesmo nenhum, no caso de veículos elétricos. Para conseguir isso, os fabricantes reduziram a capacidade de consumo de combustível e acrescentaram a tecnologia Start-Stop, tudo isso sem comprometer a potência do veículo.

  1. Incentivos financeiros

Comprar um automóvel usado pode permitir que negocie valores mais baixos, mas os veículos novos geralmente vêm com incentivos financeiros mais atraentes oferecidos pelo fabricante. Dependendo da época do ano, pode economizar vários milhares de euros no momento da compra, adicionar alguns acessórios interessantes ou se beneficiar de um plano de manutenção de baixo custo.

  1. Financiamento e seguro

Se não puder pagar na totalidade por um carro novo, tem várias opções, incluindo o leasing ou a obtenção de um empréstimo através do concessionário ou diretamente no seu banco. Pode tornar-se no proprietário de um carro novo em apenas algumas horas.

 


Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Manutenção

10 dicas para trocar um pneu

Published

on

Ter de trocar um pneu é algo que pode suceder quando menos se espera e se para uns é uma tarefa relativamente simples, para outros é algo mais complicado, seja por desconhecimento, ou falta de experiência. Por isso, aqui lhe deixamos algumas dicas que o ajudarão a simplificar a troca de um pneu.



Mesmo quando se está atento ao bom estado dos pneus, verificando a pressão, ou vendo o estado do desgaste, por vezes somos surpreendidos com um furo. Perante esta situação há um conjunto de ações que é importante ter em conta para que a troca de um pneu corra bem e em segurança:

1 – Pare o carro em segurança

Se o furo aconteceu em andamento, então, se possível, escolha um local na berma que seja visível, com a menor inclinação possível e com um piso que não seja escorregadio (evite uma zona de terra, lama, relva ou de ervas, por exemplo).

2 – Seja bem visível

Assegurar que os outros utentes da via se apercebem da situação é determinante para a segurança, por isso saia do carro com o colete refletor colocado e coloque o triângulo de sinalização do carro pelo menos a trinta metros atrás do veículo de forma a que quem circule na via se aperceba atempadamente da presença de um carro parado na berma.

3 – Trave bem o carro

Antes de começar a troca do pneu garanta que o carro está bem travado com o travão de mão e que está engatado com a primeira velocidade. Se porventura tiver cunhas, então para reforço da segurança coloque-as.

4 – Retire o pneu suplente

O pneu suplente (ou a roda de emergência) estão habitualmente na parte de baixo da bagageira do carro, ou no interior da mesma ou por baixo da bagageira, sendo neste caso necessário desaparafusar a grelha que fixa o pneu por baixo do carro (normalmente através de um parafuso que está no fundo da mala no lado de dentro e que é desenroscado utilizando a chave de porcas que está no carro). Depois de retirar o pneu pegue no macaco, na chave de porcas e, se for caso disso, na porca de segurança da jante e coloque todos estes elementos junto da roda que terá de trocar.

5 – Liberte os parafusos da roda

Ainda antes de elevar o carro liberte os parafusos da roda. Não os retire ainda, mas aproveite que a roda está imobilizada e com o peso do carro a exercer pressão sobre ela para dar aquela primeira volta no parafuso. Se não conseguir fazê-lo apenas com a força das mãos, então tente colocar a chave na horizontal e com um pé colocar o peso do corpo sobre a chave e com um ligeiro impulso fazer pressão sobre a chave. Na maioria dos casos é o suficiente para libertar o parafuso.

6 – Levante o carro com o macaco

Depois de libertar um pouco os parafusos, então procure o encaixe do macaco junto da roda que tem o furo. Coloque-o firmemente e faça subir o carro até que a roda que é preciso trocar esteja sensivelmente a uns dez ou quinze centímetros do solo.

7 – Remova o pneu

Neste momento já pode retirar os parafusos na totalidade e remover o pneu.

8 – Coloque o pneu suplente

Pegue no pneu suplente e coloque-o na sua posição. Meta os parafusos e ao apertar faça-o de forma cruzada (primeiro um de cima de um dos lados, depois outro de baixo do lado oposto e assim sucessivamente). Não tente fazer ainda o aperto final com o carro ainda elevado.

9 – Baixe o carro

Com a roda já colocada e ligeiramente apertada é altura de descer o carro com o macaco. Faça-o calmamente e verificando sempre que tudo está a correr de forma equilibrada. Retire o macaco e dê o aperto final nos parafusos, garantindo o melhor aperto possível.

10 – Siga viagem

Recolha o pneu furado para a bagageira, junte e guarde todas as ferramentas utilizadas e não se esqueça de ir buscar o triângulo. Siga viagem, estando atento ao eventual surgimento de qualquer vibração ou oscilação “estranha” e logo que possa vá a um mecânico ou oficina de pneus verificar se o pneu suplente está bem colocado e também tratar do pneu furado.

Continuar a ler

Manutenção

Saiba como evitar o stress no trânsito

Published

on

Circular em ambiente urbano, especialmente em horas de ponta e numa rotina diária pode ser um stress enorme para o condutor. Por isso aqui lhe deixamos algumas sugestões que o poderão ajudar a evitar esse estado de espírito que só o enerva e cansa enquanto está ao volante.



Sair de casa e ir para a escola dos miúdos ou para o trabalho e fazê-lo em constantes filas de trânsito é logo uma forma de começar o dia a acumular stress. Depois do trabalho do dia voltar a passar pelo mesmo no regresso a casa e se a isso ainda adicionarmos um dia com mau tempo, então está montada a fórmula perfeita para que o ato da condução seja sempre um momento enervante e se o estado mental é esse então garantidamente a sua condução será menos atenta e segura.

Mas há pequenos gestos que ajudam a reduzir a pressão e o stress de quem conduz:

Trabalhe a sua paciência

Logo antes de sair de casa prepare-se de que o trânsito pode estar complicado e reforce o seu estado de espírito para uma atitude positiva e tolerante. Não é por se enervar que vai chegar mais cedo ao destino. Bem pelo contrário, em último caso poderá perder-se em discussões estéreis ou até mesmo ter um daqueles “toques” acidentais e fica com a manhã “estragada”.

Saia com tempo

Depois de perceber o tempo que demora no seu trajeto habitual, saia com um pouco mais de tempo. Assim terá uma folga temporal que vai evitar que esteja sempre a pensar que vai chegar atrasado e isso diminui a pressão mental e o stress. Se por acaso até apanhou pouco trânsito e chegou mais cedo ao destino, então é uma boa oportunidade para apreciar a paisagem (caso exista) ou de beber um café ou um chá relaxadamente.

Conduza de forma suave

Grandes acelerações, grandes travagens ou mudanças bruscas e constantes de faixa de rodagem não o farão chegar mais cedo onde deseja. Apenas vai complicar a normal circulação do trânsito e complicar todo o ambiente rodoviário pois está sempre a introduzir fatores inesperados face aos demais condutores.

Não seja teimoso

Perceber que o trânsito flui quase como uma espécie de rio ou corrente sanguínea é importante para perceber quando poderá estar a interromper esse fluxo. Quando duas faixas passam a uma não force a sua passagem pois só irá retardar a sua entrada e criará uma obstrução no fluxo. Nestes momento a imagem de um feixo éclair é a melhor solução, a mais rápida e a menos stressante. Cada veículo entra à vez na faixa de rodagem. Se todos facilitarem, cada carro irá encaixar no seu espaço na faixa sem paragens, obstruções ou teimosias.

Escolha caminhos com menos trânsito

Conheça bem o seu trajeto e todas as zonas que o envolvem. Assim se perceber que no circuito habitual o trânsito está complicado ou que até houve um acidente, então pode escolher uma rota alternativa menos congestionada e que além de o levar em menos tempo ao destino também faz com que se enerve menos no “arranca pára”.

Lidar bem com as crianças

Fazer jogos visuais com as crianças enquanto se está no automóvel é uma boa forma de os manter entretidos e evitar uma birra ou um choro que só irá aumentar os índices de stress de quem conduz. Desde que a atenção na estrada por parte do condutor se mantenha, este tipo de jogos de contar modelos de carros, sinais ou outros objetos no exterior, por exemplo, ajuda a manter as crianças ocupadas e distraídas.

Seja simpático

Se cada gesto negativo gera uma resposta negativa, inverta essa constante do trânsito nas estradas nacionais e cultive os gestos positivos. Agradeça sempre que facilitaram uma manobra, seja cordial e mostre que ainda há educação e respeito entre os condutores. Considere uma espécie de karma rodoviário. Atue corretamente, não buzine desnecessariamente e irá receber o mesmo comportamento em troca. Se não receber, bom, pelo menos você fez a sua parte.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por carlo
    A semana passada tive que usar durante 2 dias o meu carro pessoal, que não tem identificador de via verde (nem sou cliente de via verde). Num desses...
  • por joaofern
    Boa tarde pessoal, estou prestes a comprar um carro e se possível precisava de uma ajudinha visto que não percebo lá muito do assunto... Que...
  • por Hyundai20
    Boa noite, eu tenho um Hyundai i20 de 2012 1.2 a gasolina e gostaria de saber como é que sei qual é o óleo para este motor? Quando coloco na...
  • por mok
    Acho que ainda não há topico, mais uma marca chinese aventura-se nos electricos... 125k reservas na China em 48 horas

Em aceleração