O que é o CAM e o CQM para motoristas de veículos pesados? – Motorguia
Ligue-se connosco

Sem categoria

O que é o CAM e o CQM para motoristas de veículos pesados?

Published

on

Para o exercício da profissão de motorista de determinados veículos pesados de transporte rodoviário de mercadorias, para além da carta de condução e do cartão de tacógrafo, é obrigatória a carta de qualificação (CQM), a qual é emitida mediante a apresentação do certificado de aptidão para motorista (CAM).


Condições necessárias para a obtenção do CAM:

– Se o motorista tiver obtido a carta de condução após 9 de Setembro de 2008 (de autocarro) ou 9 de Setembro de 2009 (de veículos de mercadorias), o CAM é obtido na hora e no local de um exame, após a sua conclusão com sucesso. Para este exame é obrigatória a frequência de curso de formação inicial, com aproveitamento.
– Se o motorista tiver obtido a sua carta de condução antes de 9 de Setembro de 2008 (de autocarro) ou de 9 de Setembro de 2009 (de veículos de mercadorias) o CAM é obtido mediante formação contínua, com aproveitamento.
– O CAM e a CQM têm a validade de cinco anos, renovável.
A formação é obrigatória e integra as seguintes modalidades:
a) Qualificação inicial comum (FIC), com a duração mínima de 280 horas;
b) Qualificação inicial acelerada (FIA), com a duração mínima de 140 horas;
c) Formação contínua, com a duração mínima de 35 horas.
A formação contínua é obrigatória de 5 em 5 anos e permite:
a) A renovação do CAM;
b) A primeira obtenção do CAM, no caso de titulares de carta de condução das categorias D, D+E e subcategorias D1, D1+E, emitidas até 9 de Setembro de 2008, e titulares de carta de condução das categorias C, C+E e subcategorias C1, C1+E, emitidas até 9 de Setembro de 2009.

Ficam isentos da obrigatoriedade da posse de CAM e da CQM os motoristas dos seguintes veículos:

Cuja velocidade máxima não ultrapasse os 45km/hora;

Ao serviço ou, sob o controlo das Forças Armadas, das Forças de Segurança, do Bombeiros ou da Protecção Civil;

Submetidos a ensaios de estrada para fins de aperfeiçoamento técnico, reparação ou manutenção;

Novos ou transformados que ainda não tenham sido postos em circulação;

Utilizados em situações de emergência ou afectos a emissões de salvamento;

Utilizados nas aulas de condução automóvel, com vista à obtenção da carta de condução ou de CAM;

Com lotação até 14 lugares, incluindo o condutor, utilizados para o transporte não comercial de bens, para fins privados;

Com peso bruto até 7,500 kg utilizados para o transporte não comercial de bens, para fins privados;

Que transportem materiais ou equipamentos para o exercício da profissão do condutor, desde que a condução do veículo não seja a sua atividade principal.

Isenção de obrigação de frequência de formação inicial

Ficam isentos de obrigação de qualificação inicial os seguintes motoristas:

a) Titulares da carta de condução das categorias D, D+E e subcategorias D1, D1+E, emitidas até 9 de Setembro de 2008.

Estes motoristas devem obter a formação contínua e correspondentes CAM e CQM, de acordo com o seguinte calendário:

– Até 10.09.2011, os motoristas que nesta data tenham idade não superior a 30 anos;

– Até 10.09.2012, os motoristas que nesta data tenham idade compreendida entre 31 e 40 anos;

– Até 10.09.2013, os motoristas que nesta data tenham idade compreendida entre 41 e 50 anos;

– Até 10.09.2015, os motoristas que nesta data tenham idade superior a 50 anos.

b) Titulares de carta de condução das categorias C, C+E e subcategorias C1, C1+E, emitidas até 9 de Setembro de 2009.

Estes motoristas devem obter a formação contínua e correspondentes CAM e CQM, obedecendo ao seguinte calendário:

– Até 10.09.2012, os motoristas que nesta data tenham idade não superior a 30 anos;

– Até 10.09.2013, os motoristas que nesta data tenham idade compreendida entre 31 e 40 anos;

– Até 10.09.2014, os motoristas que nesta data tenham idade compreendida entre 41 e 50 anos;

– Até 10.09.2016, os motoristas que nesta data tenham idade superior a 50 anos.

Como obter o CAM

1. No caso de formação inicial, o CAM é emitido na hora, a seguir ao exame.
Taxa: € 80,00 (inclui, em caso de aprovação, a emissão do CAM).
2. No caso de formação contínua, deve apresentar os seguintes documentos:
• Requerimento;
• Certificado de frequência, com aproveitamento, da formação contínua;
• Fotocópia do BI;
• Fotocópia do cartão NIF.
Taxa: € 30,00
Como obter a CQM
Na posse do CAM, o seu titular deve solicitar a emissão da CQM.
Procedimentos
Os documentos são entregues nos Serviços Regionais do IMT.
Taxa: € 30,00

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Motos

Nova FAMEL E-XF apresentada hoje no Porto

Published

on

A renascida FAMEL, agora em versão elétrica com o modelo E-XF, será apresentada no Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico – Salão da Mobilidade Sustentável que abre as portas hoje às 10h00 no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.



O tão esperado regresso da mítica marca de motorizadas nacional, FAMEL, é um dos pontos altos do certame e assinala o arranque da recuperação de uma marca que tanto fez pela mobilidade nacional no passado e que agora se adapta aos novos tempos com o seu primeiro modelo, a E-XF, uma moto totalmente elétrica.

Esteticamente inspirada na XF-17 original, a E-XF promete vir a ser uma boa opção para uma mobilidade mais sustentável com um cunho estético e histórico claramente lusitano, o que só por si joga a seu favor no mercado.

Para aguçar o apetite aqui fica um vídeo da marca que simboliza a “passagem de testemunho” na FAMEL:

Continuar a ler

Comerciais

Marca Maxus, da SAIC, chega a Portugal pelas mãos do Grupo Bergé

Published

on

A Maxus, marca especializada em veículos MPV, SUV, pick-ups e veículos comerciais, vai entrar no mercado português, num investimento do Grupo Bergé Auto, um dos maiores distribuidores automóveis da Europa e da América Latina, que assim alarga as suas operações em Portugal, onde já assegura a presença da Fuso, Isuzu, Kia e Mitsubishi.



A Maxus, herdeira do património histórico da LDV – Leyland DAF Vans, está integrada no universo da SAIC Motor Corporation, maior construtor automóvel da China e o sexto maior a nível mundial. Com um modelo vertical de negócio, que abrange desde a pesquisa e desenvolvimento até ao produto final, a SAIC Motor conta com mais de 215 mil colaboradores, 10 unidades de produção e centros de desenvolvimento espalhados pela Europa e Ásia.

A chegada da Maxus ao mercado nacional está agendada para o segundo trimestre deste ano, com uma gama centrada em comerciais ligeiros e usufruindo da capacidade instalada do Grupo Bergé Auto em Portugal, nomeadamente ao nível comercial e de após-venda.
A gama da Maxus vai centrar-se em dois furgões, um elétrico e um segundo de maiores dimensões e muito inspirado na atual geração da Ford Transit.

Recorde-se que a SAIC Motor adquiriu a LDV (Leyland DAF Vans) em 2009, tendo começado a partir daí uma nova estratégia para esta companhia britânica de comerciais ligeiros com mais de 120 anos de história. O primeiro modelo de nova geração foi o furgão V80, lançado na China em 2011 (e noutros 40 países subsequentemente).

Continuar a ler

Sem categoria

Hennessey revelou o Venom F5 de produção

Published

on

Não é todos os dias que o mercado automóvel recebe um modelo capaz de fazer 500 km/h de velocidade, mas é isso que a texana Hennessey propõe ao apresentar a versão final de produção do seu Venom F5 que começará a ser entregue aos clientes no início de 2021.



Equipado com um motor V8 biturbo com 6,6 litros de capacidade, 1.817 cv de potência às 8.000 rpm e um binário de 1.617 Nm o Venom F5 pesa apenas 1360 kg graças ao seu chassis em fibra de carbono e alumínio.

Garantindo uma experiência de condução brutal, visceral e única este Venom acelera dos 0 aos 100 km/h em menos de três segundos e dos 0 aos 200 km/h em menos de cinco. Se a sua velocidade máxima de mais de 500 km/h for confirmada, este coupé de motor central junta-se ao exclusivo grupo de hiperdesportivos a passar essa marca e que até agora é apenas composto pelo Bugati Chiron e o SSC Tuatara.

Não é assim de estranhar que este modelo “ultra exclusivo” tenha um preço que ronda os 2,1 milhões de dólares nos Estados Unidos, cerca de 1.720 milhões de euros.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração