Ligue-se connosco

Notícias

Rotundas para totós avançam

Published

on

Chamam-se Turbo Rotundas e permitem distribuir o trânsito rapidamente com um número reduzido de acidentes.

Foram apresentadas em 2015 na Holanda e desde então vão ganhando cada vez mais adesões em municípios e cidades europeias. A Polónia e a República Checa já aderiram a este tipo de rotundas que tem nos ciclistas os seus principais opositores.

O primeiro projeto de turbo rotunda surgiu em 2001, mas a sua evolução mais recente remonta a 2013 cujo desenho poderá visualizar no vídeo. A Comissão Europeia aprovou em 2015 vários projetos com este desenho de funcionamento para rotundas de grande intensidade de tráfego e que não necessitem de mais de duas filas centrais.

Para os muitos condutores que ainda não entenderam como se deve circular numa rotunda, este sistema não deixa dúvidas e é muito mais seguro, evitando engarrafamentos e acidentes nas rotundas, um cenário que se verifica todos os dias em Portugal.

Na Europa pode-se encontrar este tipo de rotundas na Áustria, Alemanha, França, Macedónia, Holanda, Eslovénia, República Checa, e Croácia.

Veja o vídeo e tire as suas conclusões.

 

5 Comentarios

5 Comments

  1. PeterJust

    21/02/2019 at 15:50

    Isto era dispensável se as pessoas conduzissem segundo as regras, principalmente os taxistas, carrinhas transportasdoras, etc (os profissionais portanto), e que os policias fossem mais intervinientes (não é preciso multar, muitas vezes um aviso é mais didático). Próxima invenção, piscas automáticos, 80% dos condutores não sabe usar ou para que servem.

  2. eu

    21/02/2019 at 16:43

    podem fazer as rotudnas novas que quiserem, com turbo, naturalmente aspiradas, o que quiserem, mas o princípio da rotunda, tal como todo o código da estrada, baseia-se no presuposto de que as pessoas cumprem as regras de circulação, o que em Portugal não acontece e nunca vai acontecer porque o português é um condutor ignorante, burro e que não respeita os outros na estrada, e por essa razão isto nunca vai funcionar cá.
    nos outros países funciona porque as pessoas não são tão imbecis como nºos somos na estrada.

  3. Alexandre

    07/03/2019 at 15:51

    Pergunta para os senhores que projectaram esta rotunda, se eu pretender contornar a rotunda e sair no mesmo local onde entrei (tendo em consideração que perante a demonstração, existe uma entrada a esquerda no mesmo local), como o poderei fazer? ou é proibido tal movimento?

    • Joaquim

      12/04/2019 at 16:46

      Olá,
      Entras para o meio da rotunda e entras na nova faixa da esquerda que abre a meio da rotunda.

  4. João Gonçalves

    17/03/2019 at 18:06

    este esquema é caPAZ DE funcionar cá em Portugal desde que em vez de traços continuos ponham separadores de betão….! estamos num país que o pessoal ainda não se entendeu com os piscas nas rotundas, uns simplesmente não fazem , fazem para a direita quando vão sair da rotunda, outros fazem para a esquerda quando estão na rutunda e para a direita quando saem , e outros fazem para a esquerda quando estão na rotunda e deixam de fazer pisca quando saem. O Problema não é só dos Portugueses , os responsaveis por estas coisas são os politicos europeus que em vez de resolvem os problemas da europa , queimam o tempo pago a peso de ouro , a fazer alterações ao codigo da estrada, quando o unico pisca que se tinha que fazer nas rotundas era para a direita quer fosse para passar de faixa ou para sair da rotunda , havia muito mais gente a fazer pisca correctamente. Com as rotundas turbo se as vizeram em Portugal vai ser o mesmo , vai haver mais infrações o transito não vai melhorar nada , façam com separadores de betão ou esqueçam!

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias

Estacionar em Lisboa vai ficar mais caro

Published

on

A Câmara Municipal de Lisboa anunciou novas medidas para regular o estacionamento em Lisboa, ficando em destaque a criação de novas tarifas de estacionamento, com as cores castanho e preta, onde estacionar o automóvel será mais caro. Dois euros por hora na primeira na castanha e três euros por hora na zona preta. Em ambas só se poderá estacionar, no máximo, durante duas horas.
A EMEL promete também passar a fiscalizar à noite e ao fim de semana.
Mas não só más notícias para aqueles que vivem em Lisboa.

Quem reside na capital e possui apenas um automóvel, vai deixar de pagar dístico para poder estacionar na sua zona de residência. Atualmente, o dístico para a primeira viatura tem um custo de 12 euros por ano.
Para moradores que tenham três carros, o terceiro dístico vai ficar mais caro nas zonas de Lisboa onde há mais pressão de estacionamento, como as zonas históricas ou as Avenidas Novas

Já as chamadas famílias numerosas – que tenham três ou mais filhos, tendo o mais novo, no máximo, dois anos de idade — vão ter direito a um lugar reservado para estacionar à porta de casa.

Segundo espera a CML, estas medidas pretendem levar as pessoas a utilizar mais os parques de estacionamento, pois muitos deles apresentam uma taxa de ocupação média relativamente baixa.

Continuar a ler

Notícias

Sete meses depois, Porsche reabre Nardo

Published

on

Foram 35 milhões de euros e sete meses de espera para que as obras operadas no complexo de testes da Porsche em Nardo, Itália, ficassem concluídas.

Este avultado investimento serviu para a renovação de todo o asfalto, assim como para a aplicação de um sistema de proteção com rails desenvolvidos pela própria Porsche, especificamente para serem utilizados durante os testes de alta velocidade em Nardo.

Adquirido pela Porsche em 2012, o Nardo Technical Center engloba mais de 20 pistas e instalações, num complexo que ocupa uma área superior a 700 hectares. Aberto em 1975, destaca-se pelo seu circuito círcular com 12,6 quilómetros de extensão capaz de permitir testar os veículos nas condições mais extremas, sempre com o pedal mais à direita pressionado a fundo.

Apesar de ser propriedade da marca alemã, o circuito de Nardo é também utilizado por diversos fabricantes automóveis, tendo papel decisivo no futuro da indústria automóvel, nomeadamente no que toca ao comportamento dos automóveis elétricos e ao desenvolvimento de sistemas de assistência ao condutor.

Continuar a ler

Notícias

O carro blindado mais rápido do mundo

Published

on

A empresa norte americana Addarmor sediada no Wyoming em conjunto com os preparadores da ART, conhecidos pelos seus trabalhos em modelo Volkswagen e Audi, uniram esforços e criaram o Addarmor ART RS7, um carro blindado com base no Audi RS7 e que é neste momento o carro blindado mais rápido do mundo.

Normalmente estamos habituados a ver berlinas de luxo ou grandes SUVs com este tipo de soluções de proteção para os seus ocupantes, mas a Addarmor foi um pouco mais longe e com base num Audi RS7 com o seu motor V8 biturbo de 4.0 litros de capacidade preparado pela ART para debitar 760 cv de potência e isto não se deve à necessidade de melhorar a relação peso-potência por causa do aumento de peso da blindagem já que esse aumento é mínimo. Este facto deve-se ao tipo de materiais que a Addarmor utiliza para blindar os veículos e que é um composito policarbonato que apenas aumenta o peso do RS7 em cerca de 90 quilos.

A ideia da Addarmor é mostrar que as tecnologias actuais no campo da blindagem de veículos permitem aplicar este tipo de soluções praticamente a qualquer automóvel, incluindo este Audi RS7 capaz de atingir os 325 km/h de velocidade máxima e acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 2,9 segundos e ainda resistir a impactos de balas de calibre até .44 Magnum (podendo ser equipado com blindagem que suporta calibres maiores e até munições perfurantes). Além disso também está repleto de soluções de defesa ao melhor estilo dos filmes de agentes secretos como um dispersor de gás pimenta colocado nos pilares B, us puxadores das portas eletrificados um detetor de gás que cria uma pressão positiva no interior de forma a impedir a entrada do gás nocivo no habitáculo, inibidor de várias frequências e uma câmara de visão noturna a 360º e pneus Pirelli Runflat.
A versão base custa cerca de 180.000€, valor que pode aumentar em função das opções de defesa que se queira acrescentar.

  

 

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Para ler

Newsletter

Em aceleração