Vai de viagem? Prepare bem a bagagem! – Motorguia
Ligue-se connosco

Manutenção Motos

Vai de viagem? Prepare bem a bagagem!

Published

on

Viajar de moto é um dos grandes prazeres que esta máquina de duas rodas proporciona, mas, uma das suas limitações óbvias é a capacidade de transportar bagagem. Além de haver soluções para resolver esse dilema, também há elementos essenciais que deve ter sempre à mão quando vai de viagem na sua moto.



As opções para aumentar a capacidade de transportar bagagem numa moto são várias e as opções mais utilizadas são:

Top Case – É a solução mais comum e utilizada. Colocada na traseira da moto atrás do banco e fixa numa calha própria esta mala, normalmente em material rígido, tem a vantagem de não aumentar a largura da moto, assegurar uma boa proteção para o que é transportado e nalguns casos até serve de apoio de costas para quem viaje sentado atrás do motociclista.

Malas laterais e alforges – Colocadas atrás e lateralmente, as malas laterais e os alforges oferecem mais algum volume disponível para arrumar bagagem, mas ao mesmo tempo podem “obrigar” a algumas contas de cabeça no meio do trânsito por aumentarem a largura da moto. As malas são normalmente feitas em material rígido, ao passo que os alforges são mais flexíveis, têm uma maior variedade de tamanhos, são mais leves, mas não garantem a mesma proteção dos objetos transportados como as malas pois além da sua solidez, também têm sistemas de fecho e segurança melhores.

Mochilas – Um clássico para aumentar a capacidade de transporte quando viaja de moto é ter uma mochila e atafulhá-la até mais não. De preferência convém que seja impermeável e que tenha vários pontos de fixação ao corpo para não incomodar a velocidades de cruzeiro. Se tiver várias bolsas de fácil acesso, melhor ainda. Pode ser usada às costas ou num estilo mais “custom” ou “easy rider”, se preferirem pode ser bem fixa ao apoio de costas do banco traseiro da moto, o normalmente apelidado “sissy bar”, libertando assim um pouco mais o motociclista.

Bolsa do depósito – Com tamanhos variados, a bolsa de depósito é uma espécie de mochila que é fixa ao depósito. Convém que também seja impermeável e que o seu tamanho não seja exagerado de maneira a não perturbar os movimentos do guiador ou a leitura dos instrumentos da moto. O motociclista tem de ter toda a amplitude de movimentos, a visibilidade e o conforto mesmo com esse volume extra colocado à sua frente. Por isso é preciso escolher bem e ponderar a necessidade com a funcionalidade.

O que deve levar sempre

Dentro destas soluções de transporte há elementos que pelo sim, pelo não, o motociclista deve sempre transportar de forma a garantir uma melhor segurança e conforto:

Impermeável – Nunca se sabe quando o tempo muda de repente e depois de uma troço com um sol agradável pode sempre ser surpreendido por uma chuvada que ninguém previa.

Ferramentas – Nem que seja um pequeno conjunto de ferramentas num simples estojo, deve sempre ter as ferramentas básicas numa viagem. Nunca se sabe quando algo inesperado pode acontecer e por vezes é de simples resolução, mas sem a ferramenta certa pode significar uma paragem longa e uma assistência desnecessária.

Água – Tenha sempre uma garrafa de água disponível. As viagens, especialmente no verão, facilmente provocam desidratação e por isso convém beber água pois além de matar a sede e assegurar o conforto no trajeto também garante que tem sempre os sentidos apurados e com isso marca pontos na segurança. Se acrescentar umas barras de cereais à água também garante que a fome não o incomoda.

Soluções de fixação – Sejam elásticos, redes ou cintas, tenha sempre pelo menos uma solução extra de fixação. Nunca se sabe quando algo se parte numa mochila ou se algum volume foi mal fixo no início da viagem e precisa ser mais bem acondicionado.

Calções ou fato de banho – Nunca se sabe quando encontra aquela praia idílica ou aquela piscina irresistível e apetece refrescar depois da viagem. Ocupa pouco espaço e não se arrependerá de ter deixado os calções ou o fato de banho em casa.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Manutenção Motos

Como lidar com o aquaplaning se viaja de moto

Published

on

O aquaplaning é uma das situações que mais assusta quem conduz. Se pode ser complicado quando se viaja de carro, é muito mais quando a viagem é feita de moto. Por isso aqui lhe deixamos alguns conselhos para lidar melhor com esta situação.



O fenómeno de aquaplanagem nas estradas, ou aquaplaning, como é mais conhecido, acontece com mais frequência nas épocas do ano em que a chuva é mais recorrente e abundante. No fundo trata-se de um lençol de água que ocupa uma superfície na estrada e que pela quantidade de água acumulada acaba por fazer com que o veículo (moto ou carro) perca o contacto direto dos pneus com o asfalto, perdendo aderência e começando a deslizar. Isto acontece porque a quantidade de água é tal que supera a capacidade de drenagem dos sulcos dos pneus.

A importância dos pneus

Perante este facto ter os pneus em bom estado é determinante pois se eles estão demasiado desgastados, a profundidade do seu desenho, canais e sulcos, será menor e consequentemente terão menos capacidade para drenar a água, ficando mais fácil a perda de aderência e o surgimento de uma situação de aquaplaning. Manter a pressão correta nos pneus é outro fator muito importante para que estes tenham o seu máximo desempenho.

Cuidado com a velocidade

Quanto maior for a velocidade, maior será a probabilidade da moto entrar em aquaplaning porque os pneus terão “menos tempo” para fazer o seu trabalho de drenagem da água. Aqui a velha máxima de “adaptar a velocidade às condições da estrada” ganha uma importância determinante que pode fazer a diferença entre uma viagem segura ou um valente susto.

Adaptar a condução

Sempre que sai de casa de moto e está a chover é fundamental que adapte o seu estilo de condução. As condições de aderência são menores e por isso é de extrema importância que o motociclista tenha uma condução suave. Nada de travagens violentas, acelerações exageradas ou mudanças de direção muito bruscas que vão aumentar em muito a possibilidade da moto perder a aderência com o asfalto.

Mantenha a calma

Se mesmo assim com todos estes cuidados der por is em pleno aquaplaning, tente manter a calma. Normalmente o tempo que demora esta situação de condução são apenas alguns segundos. Mais uma vez, não trave, ou acelere de forma brusca e tente manter gestos suaves na direção, tentando ver qual a zona mais próxima em que lhe parece que termina o lençol de água e apontar a moto para lá de forma a voltar a ganhar aderência.

Continuar a ler

Manutenção Motos

Escolha bem a capa para a sua moto

Published

on

Com o outono e inverno é normal que muitos motociclistas optem por resguardar as suas motos, tanto na garagem como fora dela, protegendo-as do mau tempo e para isso nada melhor que uma boa capa. Aqui lhe trazemos alguns pontos que deve ter em consideração para escolher bem a capa para a sua moto.



Há vários elementos que são prejudiciais ao bom estado da sua moto, esteja ela na rua ou numa garagem e que devem ser levados em linha de conta na escolha da capa para a sua moto:

Chuva

É a preocupação mais comum de quem tem uma moto, não apenas quando conduz à chuva como quando deixa a moto estacionada à chuva. Com o passar dos dias a água, com o tempo, irá infiltrar-se por toda a moto, podendo afetar elementos mecânicos e elétricos e também o próprio aspeto da moto pois pontos de ferrugem podem não ser críticos em termos de mecânica mas “corroem” a estética da moto. Basta um inverno à chuva na rua para uma moto nova perder logo muito do seu charme.

Para quem tem garagem esta preocupação deixa de ser tão relevante, mas para quem tem de deixar a moto na rua, então é importante avaliar bem as capacidades de impermeabilização da capa que vai escolher.

Humidade

Se a chuva não preocupa muito aqueles que guardam a moto na garagem, já a humidade pode ser um problema. Infiltrações são comuns nas garagens e isso faz com que a moto fique sempre sujeita à presença de humidade que irá tratar de fazer os seus estragos. Ferrugem e mofo podem começar a surgir e nalguns casos o sistema elétrico pode começar a ressentir-se da presença constante de humidade. Daí ser importante que a capa também seja feita num material respirável de forma a evitar a acumulação da humidade na moto.

O pó e a sujidade são elementos constantes tanto numa garagem como no exterior. Nas garagens de um prédio, por exemplo, o pó fino tem o dom de acumular em todo o lado, por isso usar uma capa é determinante para não ter de perder tempo a limpar a moto de cada vez que a vai utilizar. Além disso, a presença de humidade pode potenciar os maus efeitos do pó que não só se acumula nos cantos mais ínfimos da moto com se “agarra” a eles.

Sol e calor

Uma moto que fique estacionada na rua sofre tanto com a chuva e o frio como com o sol e o calor. Os raios UV atacam a pintura da moto e com o tempo irão retira-lhe o brilho e a própria cor. Também o calor pode causar danos na moto, especialmente nas peças plásticas que podem ficar ressequidas e estalar, podendo mesmo cair nalguns casos. Por isso uma capa com uma boa proteção UV é essencial para quem tem de deixar a sua moto estacionada na rua.

No fundo quem tem uma garagem para guardar a moto não tem de se preocupar tanto com as características de impermeabilização ou proteção UV da capa que escolher, mas tem de estar atento à sua proteção contra o pó e especialmente a humidade. Já quem deixa a moto na rua tem de se preocupar com todos estes fatores pois a moto está muito mais exposta ao clima e à sujidade e também aos olhares do alheio. Sim, porque uma capa não é uma proteção anti-roubo, mas esconde que moto está estacionada. Pode ser uma moto cara ou uma “velharia” barata e por isso o ladrão de oportunidade possivelmente vai deixar passar, optando por um “prémio” mais apetitoso.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

Em aceleração