Descubra se a embraiagem tem problemas – Motorguia
Ligue-se connosco

Manutenção

Descubra se a embraiagem tem problemas

Published

on

A embraiagem é um componente de desgaste que, tal como as pastilhas e travão ou os amortecedores, tem de ser substituído, mais tarde ou mais cedo, por ter atingido o limite da sua longevidade. Assim, é conveniente que se aperceba dos sintomas que indicam que a embraiagem já não está nas melhores condições.



Para ajudar a diagnosticar o estado da embraiagem do seu veículo aqui lhe deixamos alguns indicadores:

Atenção ao pedal da embraiagem
A forma como o pedal da embraiagem atua na sua função de embraiar e desembraiar é um dos indicadores do desgaste da embraiagem. Se quando pressiona o pedal da embraiagem sente que este exige cada vez menos pressão para acionar a embraiagem, então isso pode ser um sinal que esta está a dar as últimas.

O motor acelera mais do que esperado
Se sempre que engata uma mudança o motor sobe de rotação logo antes da mudança ser engrenada, isso pode acontecer porque o volante do motor não está a acoplar corretamente com a embraiagem que pode estar gasta.

Rotações inconstantes
Se por exemplo ao subir uma rua inclinada o motor tem um trabalhar inconstante e as rotações não estão estáveis isso pode significar que o disco da embraiagem não está a ter a tração necessária para se manter acoplado ao volante do motor, fazendo com que patine de forma intermitente.

Cheiro a queimado
Quando os elementos da embraiagem começam a aquecer porque estão a patinar começa a surgir um cheiro a queimado (o que no passado se costumava dizer que “cheira a ferodo”) e isso é mais um sintoma grave que a embraiagem já está a encomendar a alma ao criador.

A embraiagem patina na aceleração
Se fizer uma aceleração um pouco mais vigorosa e sentir que o motor sobe a rotação, mas isso não se reflete de forma gradual no aumento de velocidade, isso também indica que a embraiagem está desgastada e patina ao tentar acoplar ao volante do motor porque já não tem aderência.

Além destes indicadores mais evidentes esteja atento sempre que a suavidade das passagens de caixa deixar de ser a mesma e não se esqueça que sempre que trocar o disco da embraiagem o mais provável é ter de trocar o volante do motor também. Este certamente também estará desgastado e falamos de duas peças de contacto e fricção, ou seja, se o volante do motor estiver desgastado ele irá causar rapidamente um desgaste irregular ao novo disco de embraiagem danificando-o mais rapidamente. Além disso, o mais provável é que as duas peças não “casem” bem, originando problemas de suavidade nas mudanças de caixa. Desta forma é sempre conveniente substituir o kit completo, disco de embraiagem e volante do motor, assegurando assim o correto contacto entre estas duas importantes peças. Claro que o preço não é o mesmo, mas tem a garantia que o custo se fica por aqui e que pouco tempo mais tarde não tem de regressar e ter mais faturas para pagar relacionadas com a embraiagem.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Sistema MAN OptiView disponível para autocarros urbanos

Published

on

O MAN OptiView é o primeiro sistema de substituição de espelhos do mundo para autocarros. É um enorme apoio para o condutor, eliminando os ângulos mortos e melhorando significativamente a visibilidade à noite e em situações climatéricas adversas.



Agora esta tecnologia inovadora está também disponível para os autocarros urbanos MAN Truck & Bus.

O sistema celebrou a sua estreia na IAA em 2018 como o primeiro sistema de substituição de espelhos para autocarros do mundo. Desde então, tem provado a sua utilização diária em todo o mundo. Cada vez mais condutores podem contar com a tecnologia inovadora.

O sistema de substituição de espelhos pontua particularmente bem no tráfego urbano denso. “Se autocarros e peões ou ciclistas se encontrarem nas proximidades de um cruzamento, podem surgir situações perigosas porque o condutor tem dificuldade em vê-los no ângulo morto, apesar da boa tecnologia de espelhos.

E é precisamente aqui que entra o nosso sistema de substituição de espelhos: torna o ângulo morto visível para o condutor do autocarro e garante assim uma maior segurança na estrada, especialmente ao virar, mas também ao mudar de faixa e manobrar”, explica Heinz Kiess, Director de Marketing de Produtos de Autocarros. Como é que isto funciona? O sistema digital utiliza duas câmaras em cada lado do veículo para projectar as áreas laterais e traseiras do autocarro em alta resolução e em tempo real, em dois monitores no interior do veículo. Ao fazê-lo, podem exibir uma área maior do que no caso dos espelhos exteriores convencionais. Desta forma, o condutor pode ver o ângulo morto. Assim, o OptiView reduz significativamente o risco de não ver os outros utentes da estrada.

Continuar a ler

Comerciais

Sarens transporta o barco solar mais antigo do mundo para o Egipto

Published

on

O novo Gran Museu Egípcio do Cairo recebeu o barco solar do rei Khufu depois de uma meticulosa viagem de 10 km que a levou desde o seu anterior espaço no museu de Giza. O barco, descoberto em 1954, vai ser exposto no novo museu do Egipto que será inaugurado este ano.



O projeto, realizado pela empresa belga Besix-Orascom Joint-Venture, foi entregue à Sarens, referência mundial especializada no transporte e na elevação de cargas pesadas, por isso se fez o transporte deste prestigiado projeto.

A logística do projeto foi extremamente complicada, já que a equipa de Sarens tratou de garantir a segurança do barco e evitar qualquer dano no “objeto”. Os trabalhadores asseguraram-se de o barco esteve sempre posicionado horizontalmente com toda a precisão durante a operação, devido à sua estrutura frágil.

A missão do transporte requereu vários Transportadores Modulares Autopropulsados (SPMT) que foram levados para o Egipto a parte da Bélgica, assim como uma grua de 800 toneladas para ajudar na elevação do barco.

Para proteger a embarcação de possíveis danos, a equipa da Sarens instalou uma jaula de aço em volta da embarcação de 43 metros de comprimento e 20 toneladas, com a qual o peso total ascendia a 100 toneladas.

Por fim, a equipa construiu uma ponte de aço de 52 metros de comprimento para que os SPMT pudessem aceder e estacionar exatamente debaixo do barco para o levantar da sua posição.
A missão foi concluída com êxito em apenas 10 horas, colocando a barco no seu destino final, onde se espera que seja uma das atrações principais para os turistas que visitam a cidade.

Os antigos egípcios acreditavam que os barcos solares eram capazes de transportar a realeza falecida para o além. Este barco pertenceu ao rei Khufu, um monarca da quarta dinastia. O barco solar de Khufu é um dos dois que acabaram no chamado Gran Museu Egípcio.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração