Descubra se a embraiagem tem problemas – Motorguia
Ligue-se connosco

Manutenção

Descubra se a embraiagem tem problemas

Published

on

A embraiagem é um componente de desgaste que, tal como as pastilhas e travão ou os amortecedores, tem de ser substituído, mais tarde ou mais cedo, por ter atingido o limite da sua longevidade. Assim, é conveniente que se aperceba dos sintomas que indicam que a embraiagem já não está nas melhores condições.



Para ajudar a diagnosticar o estado da embraiagem do seu veículo aqui lhe deixamos alguns indicadores:

Atenção ao pedal da embraiagem
A forma como o pedal da embraiagem atua na sua função de embraiar e desembraiar é um dos indicadores do desgaste da embraiagem. Se quando pressiona o pedal da embraiagem sente que este exige cada vez menos pressão para acionar a embraiagem, então isso pode ser um sinal que esta está a dar as últimas.

O motor acelera mais do que esperado
Se sempre que engata uma mudança o motor sobe de rotação logo antes da mudança ser engrenada, isso pode acontecer porque o volante do motor não está a acoplar corretamente com a embraiagem que pode estar gasta.

Rotações inconstantes
Se por exemplo ao subir uma rua inclinada o motor tem um trabalhar inconstante e as rotações não estão estáveis isso pode significar que o disco da embraiagem não está a ter a tração necessária para se manter acoplado ao volante do motor, fazendo com que patine de forma intermitente.

Cheiro a queimado
Quando os elementos da embraiagem começam a aquecer porque estão a patinar começa a surgir um cheiro a queimado (o que no passado se costumava dizer que “cheira a ferodo”) e isso é mais um sintoma grave que a embraiagem já está a encomendar a alma ao criador.

A embraiagem patina na aceleração
Se fizer uma aceleração um pouco mais vigorosa e sentir que o motor sobe a rotação, mas isso não se reflete de forma gradual no aumento de velocidade, isso também indica que a embraiagem está desgastada e patina ao tentar acoplar ao volante do motor porque já não tem aderência.

Além destes indicadores mais evidentes esteja atento sempre que a suavidade das passagens de caixa deixar de ser a mesma e não se esqueça que sempre que trocar o disco da embraiagem o mais provável é ter de trocar o volante do motor também. Este certamente também estará desgastado e falamos de duas peças de contacto e fricção, ou seja, se o volante do motor estiver desgastado ele irá causar rapidamente um desgaste irregular ao novo disco de embraiagem danificando-o mais rapidamente. Além disso, o mais provável é que as duas peças não “casem” bem, originando problemas de suavidade nas mudanças de caixa. Desta forma é sempre conveniente substituir o kit completo, disco de embraiagem e volante do motor, assegurando assim o correto contacto entre estas duas importantes peças. Claro que o preço não é o mesmo, mas tem a garantia que o custo se fica por aqui e que pouco tempo mais tarde não tem de regressar e ter mais faturas para pagar relacionadas com a embraiagem.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comerciais

Sarens transporta o barco solar mais antigo do mundo para o Egipto

Published

on

O novo Gran Museu Egípcio do Cairo recebeu o barco solar do rei Khufu depois de uma meticulosa viagem de 10 km que a levou desde o seu anterior espaço no museu de Giza. O barco, descoberto em 1954, vai ser exposto no novo museu do Egipto que será inaugurado este ano.



O projeto, realizado pela empresa belga Besix-Orascom Joint-Venture, foi entregue à Sarens, referência mundial especializada no transporte e na elevação de cargas pesadas, por isso se fez o transporte deste prestigiado projeto.

A logística do projeto foi extremamente complicada, já que a equipa de Sarens tratou de garantir a segurança do barco e evitar qualquer dano no “objeto”. Os trabalhadores asseguraram-se de o barco esteve sempre posicionado horizontalmente com toda a precisão durante a operação, devido à sua estrutura frágil.

A missão do transporte requereu vários Transportadores Modulares Autopropulsados (SPMT) que foram levados para o Egipto a parte da Bélgica, assim como uma grua de 800 toneladas para ajudar na elevação do barco.

Para proteger a embarcação de possíveis danos, a equipa da Sarens instalou uma jaula de aço em volta da embarcação de 43 metros de comprimento e 20 toneladas, com a qual o peso total ascendia a 100 toneladas.

Por fim, a equipa construiu uma ponte de aço de 52 metros de comprimento para que os SPMT pudessem aceder e estacionar exatamente debaixo do barco para o levantar da sua posição.
A missão foi concluída com êxito em apenas 10 horas, colocando a barco no seu destino final, onde se espera que seja uma das atrações principais para os turistas que visitam a cidade.

Os antigos egípcios acreditavam que os barcos solares eram capazes de transportar a realeza falecida para o além. Este barco pertenceu ao rei Khufu, um monarca da quarta dinastia. O barco solar de Khufu é um dos dois que acabaram no chamado Gran Museu Egípcio.

Continuar a ler

Comerciais

Goodyear tem solução simples para controlar a pressão dos pneus de camiões

Published

on

O controlo da pressão dos pneus é vital para proporcionar aos camiões e semirreboques maior mobilidade, eficiência de combustível, quilometragem otimizada e ajuda a prolongar a vida dos mesmos.



Assim, a Goodyear apresenta o DrivePoint, um sistema de monitorização da pressão dos pneus que é muito fácil de utilizar. A chegada desta nova solução implica que, a partir de agora, a empresa passe a oferecer três alternativas de manutenção proativa de pneus para satisfazer as necessidades específicas dos administradores de frotas que desejem aumentar o tempo de atividade e planificar a manutenção dos mesmos.

O DrivePoint une-se a soluções de monitorização de pneus inteligentes TPMS e Drive-Over-Reader existentes dentro da proposta de valor integral da Goodyear Total Mobility, que também inclui pneus e uma rede de serviços paneuropeia.

O Goodyear DrivePoint dispõe de sensores de pressão de pneus que são instalados de uma forma simples na válvula sem necessidade de os desmontar. Depois, graças aos recetores que funcionam com baterias, pode ver-se a pressão de todos os pneus de forma instantânea.

Os dados compilados são carregados na “nuvem” da Goodyear, o que proporciona um fácil acesso e gestão de informações através da rede e ainda das aplicações móveis compatíveis com IOS e Android do Goodyear Fleet Manager. Se a pressão estiver abaixo do nível recomendado, o administrador da frota recebe um alerta imediato de forma a evitar um possível incidente com os pneus que poderia resultar numa paragem do veículo e custos por furos.

Esta nova solução não requer a desmontagem do pneu, já que os sensores se podem colocar rapidamente nas válvulas, o que reduz a complexidade da instalação e o tempo de inatividade associado. Foi especialmente desenvolvido para empresas de transporte e logística que procuram uma solução de controlo da pressão dos pneus fácil de utilizar e muito eficiente.

Continuar a ler

Comerciais

Estas são 9 dicas para fazer manutenção aos pneus do seu camião

Published

on

Seja uma empresa de grande porte com vários camiões na frota, seja um autónomo que faz apenas algumas cargas, todos gostamos de poupar. Um camião é um investimento que requer vários cuidados para prolongar a sua vida útil. Quando o tema são os pneus, o melhor será ficar ainda mais alerta.



Manter a boa condição dos pneus é uma atitude pouco valorizada, mas que pode fazer alguma diferença no bolso e no desempenho do veículo.

Os camiões carregam toneladas de diversos tipos de cargas, enfrentam frio e calor, rolando por estradas variadas e nem sempre nas melhores condições. Os pneus estão em contacto direto com todas essas situações, passando por buracos, passando por dentro de água ou sustentando o peso do veículo.
Em baixo deixamos-lhe 11 dicas de manutenção para manter os pneus em ótimas condições de operação e manutenção.

1 – Ande sempre dentro da lei
Nós portugueses somos por vezes um pouco desleixados com as manutenções dos veículos, por isso, e quando se trata de veículos pesados não convém facilitar. Neste caso é preciso potencializar os cuidados para as dimensões dos pneus dos quais falamos. A atenção ao pneu de um veículo pesado deve ser redobrada. Lembre-se que existe um limite máximo de desgaste que os pneus podem ter para continuarem a rolar sem o risco de não passar na inspeção. Deve ainda conhecer todas as regras de trânsito e respeitá-las adequadamente.
Os sulcos dos pneus não podem ser menores que 1,6 mm de profundidade. Todos os abaixo desse limite são considerados carecas e sem as condições ideiais.

2 – Controlar a utilização dos pneus
Todo e qualquer pneu vai ser utilizado nos mais diversos tipos de piso: asfalto em boas condições, autoestradas, estradas de terra, entre outros. As irregularidades podem afetar o tempo de vida dos pneus, mas é uma imprevisibilidade com a qual todos devem saber lidar.
Se preferir investir em camiões usados, por exemplo, é preciso ficar atento a este aspeto. Verifique o pneus com todo o cuidado de forma a analisar melhor o real estado de conservação de cada um deles.
A partir daqui, a condução defensiva é muito eficiente e vai trazer benefícios no desgaste da borracha. Travagens, acelerações e curvas feitas de forma cuidadosa pesam positivamente no orçamento e no tempo de utilização dos pneus.

3 – Saiba qual é o momento certo para trocar de pneus
Há fatores recorrentes que influenciam diretamente a durabilidade do pneu para um veículo pesado: o tipo de estrada percorrido com maior frequência; o clima que o veículo enfrenta; a calibragem adequada para cada pneu e o peso total da carga.
Se o motorista ou o condutor estiverem cientes dessas informações, é mais simples controlar o desgaste dos pneus, pois é viável encontrar soluções para lidar com cada um desses fatores.
Normalmente é possível perceber visualmente o momento exaro para trocar de pneus. Os sinais de desgaste são evidentes. O principal é a deterioração dos sulcos, basicamente as frestas que garantem a boa aderência dos pneus ao solo. Se estiverem excessivamente gastas é porque chegou o momento de as trocar.

4 – Utilize o TWI
A utilização do indicador TWI (Tread Wear Indicator) é essencial em muitos momentos. Na banda de rolamento do pneu, há um indicador do desgaste, uma espécie de ponte entre os sulcos. É o TWI. Se o TWI está a uma altura muito próxima da do piso, então está na hora de trocar o pneu.
Para verificar o TWI é simples. Localize a sigla ou um símbolo triangular na lateral do pneu. Abaixo de 1,6 mm significa que está na hora de os reformar. Rasgos aparentes, bolhas e perfurações são sinais de falta de cuidado. Assim, significa a necessidade de realizar uma troca precoce, mas se o indicador TWI estiver dentro dos limites.

5 – A experiência do veículo ligeiro serve para o camião
A experiência acumulada como motorista de automóveis também pode ser bastante útil em relação aos veículos pesados. Os procedimentos periódicos que costuma ter com o seu automóvel também se aplicam ao camião. São gestos auxiliares, mas sempre úteis na hora de economizar pneus… Respeite os prazos de revisão; mantenha o alinhamento em dia, fique de olho na calibragem e por aí fora.
Por mais simples que estes gestos possam parecer, são úteis na prevenção em relação a um desgaste mais acentuado dos pneus. Assim, depois de percorrer cerca de 10 mil km é interessante realizar alguns procedimentos “de rotina”. Vibrações e incomuns são indicadores relevantes. Caso contrário: pode ficar sem estabilidade na direção, o camião pode perder tração e ficar instável e pode ainda prejudicar vários componentes e as próprias rodas.

6 – Conheça o pneu de um camião
No caso dos camiões, um pneu pode ter as seguinte medidas: um pneu novo tem de ter pelo menos 8 mm de espessura, um pneu em meio de vida terá de ter 4 mm de espessura e um pneu em fim de linha quase careca, tem menos de 2 mm de espessura.
Na hora de trocar de pneus, não menospreze a experiência. Se não souber pergunta a quem sabe e considere alguns fatores como: o tipo de pneu; a pressão; o pneu adequado ao veículo; os serviços que va realizar, o tipo de carga transportada, a qualidade e o reconhecimento da marca.
São diversas as opções disponíveis no mercado. Dessa forma reflita bastante acerca do custo/benefício antes de fazer a sua escolha. Pneus de qualidade também garantem a boa conservação de outros componentes do camião.

7 – Cuide da calibragem dos pneus
Falar em calibragem ou equilibragem com os motoristas experientes até pode parecer uma estupidez. Mas nunca é demais recordar, mesmo para com quem sabe, sobre a real importância dos pneus.
A quantidade de benefícios de um simples gesto pode ser realizado, por exemplo, enquanto abastece o seu veículo.
Num veículo pesado, a calibragem ou equilibragem, deverá ser feita a cada duas semanas. Todavia o período pode variar um pouco de acordo com as especificidades do veículo em questão.
Rolar com os pneus com pressão baixa provoca desgaste nos ombros, curvas mal feitas, desgaste dos veios da direção, direção pesada, aumento do consumo de combustível. A pressão excessiva pode desgastar o centro do pneu, rachar a base dos sulcos, aumentar a hipótese de rebentamento por causa de impactos e diminuir a área de contacto com o piso.

8 – Limpe os pneus do veículo
Todos os camionistas se preocupam em manter a cabina limpa e confortável. Passam ali grande parte do tempo e não há nada pior do que um ambiente sujo.
A mesma regra vale para os pneus. Por mais estranha que esta dica pareça e até porque estão em contacto com vários tipos de sujidade, limpá-los é uma tarefa simples e que ajuda na manutenção.
Tendo isto em conta, limpe sempre que possível: resíduos de óleo, pedaços de borracha soltos, materiais pontiagudos, poeiras, restos de comida, entre outros.

9 – Pode recauchutar
A recauchutagem é uma prática comum nos pneus e funciona de forma perfeita, transformando pneus em más condições em pneus quase novos. Assim sendo, saiba onde realiza esta operação, sabendo que comprar e montar um pneu novo é sempre melhor.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração