Estas são 9 dicas para fazer manutenção aos pneus do seu camião – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Estas são 9 dicas para fazer manutenção aos pneus do seu camião

Published

on

Seja uma empresa de grande porte com vários camiões na frota, seja um autónomo que faz apenas algumas cargas, todos gostamos de poupar. Um camião é um investimento que requer vários cuidados para prolongar a sua vida útil. Quando o tema são os pneus, o melhor será ficar ainda mais alerta.



Manter a boa condição dos pneus é uma atitude pouco valorizada, mas que pode fazer alguma diferença no bolso e no desempenho do veículo.

Os camiões carregam toneladas de diversos tipos de cargas, enfrentam frio e calor, rolando por estradas variadas e nem sempre nas melhores condições. Os pneus estão em contacto direto com todas essas situações, passando por buracos, passando por dentro de água ou sustentando o peso do veículo.
Em baixo deixamos-lhe 11 dicas de manutenção para manter os pneus em ótimas condições de operação e manutenção.

1 – Ande sempre dentro da lei
Nós portugueses somos por vezes um pouco desleixados com as manutenções dos veículos, por isso, e quando se trata de veículos pesados não convém facilitar. Neste caso é preciso potencializar os cuidados para as dimensões dos pneus dos quais falamos. A atenção ao pneu de um veículo pesado deve ser redobrada. Lembre-se que existe um limite máximo de desgaste que os pneus podem ter para continuarem a rolar sem o risco de não passar na inspeção. Deve ainda conhecer todas as regras de trânsito e respeitá-las adequadamente.
Os sulcos dos pneus não podem ser menores que 1,6 mm de profundidade. Todos os abaixo desse limite são considerados carecas e sem as condições ideiais.

2 – Controlar a utilização dos pneus
Todo e qualquer pneu vai ser utilizado nos mais diversos tipos de piso: asfalto em boas condições, autoestradas, estradas de terra, entre outros. As irregularidades podem afetar o tempo de vida dos pneus, mas é uma imprevisibilidade com a qual todos devem saber lidar.
Se preferir investir em camiões usados, por exemplo, é preciso ficar atento a este aspeto. Verifique o pneus com todo o cuidado de forma a analisar melhor o real estado de conservação de cada um deles.
A partir daqui, a condução defensiva é muito eficiente e vai trazer benefícios no desgaste da borracha. Travagens, acelerações e curvas feitas de forma cuidadosa pesam positivamente no orçamento e no tempo de utilização dos pneus.

3 – Saiba qual é o momento certo para trocar de pneus
Há fatores recorrentes que influenciam diretamente a durabilidade do pneu para um veículo pesado: o tipo de estrada percorrido com maior frequência; o clima que o veículo enfrenta; a calibragem adequada para cada pneu e o peso total da carga.
Se o motorista ou o condutor estiverem cientes dessas informações, é mais simples controlar o desgaste dos pneus, pois é viável encontrar soluções para lidar com cada um desses fatores.
Normalmente é possível perceber visualmente o momento exaro para trocar de pneus. Os sinais de desgaste são evidentes. O principal é a deterioração dos sulcos, basicamente as frestas que garantem a boa aderência dos pneus ao solo. Se estiverem excessivamente gastas é porque chegou o momento de as trocar.

4 – Utilize o TWI
A utilização do indicador TWI (Tread Wear Indicator) é essencial em muitos momentos. Na banda de rolamento do pneu, há um indicador do desgaste, uma espécie de ponte entre os sulcos. É o TWI. Se o TWI está a uma altura muito próxima da do piso, então está na hora de trocar o pneu.
Para verificar o TWI é simples. Localize a sigla ou um símbolo triangular na lateral do pneu. Abaixo de 1,6 mm significa que está na hora de os reformar. Rasgos aparentes, bolhas e perfurações são sinais de falta de cuidado. Assim, significa a necessidade de realizar uma troca precoce, mas se o indicador TWI estiver dentro dos limites.

5 – A experiência do veículo ligeiro serve para o camião
A experiência acumulada como motorista de automóveis também pode ser bastante útil em relação aos veículos pesados. Os procedimentos periódicos que costuma ter com o seu automóvel também se aplicam ao camião. São gestos auxiliares, mas sempre úteis na hora de economizar pneus… Respeite os prazos de revisão; mantenha o alinhamento em dia, fique de olho na calibragem e por aí fora.
Por mais simples que estes gestos possam parecer, são úteis na prevenção em relação a um desgaste mais acentuado dos pneus. Assim, depois de percorrer cerca de 10 mil km é interessante realizar alguns procedimentos “de rotina”. Vibrações e incomuns são indicadores relevantes. Caso contrário: pode ficar sem estabilidade na direção, o camião pode perder tração e ficar instável e pode ainda prejudicar vários componentes e as próprias rodas.

6 – Conheça o pneu de um camião
No caso dos camiões, um pneu pode ter as seguinte medidas: um pneu novo tem de ter pelo menos 8 mm de espessura, um pneu em meio de vida terá de ter 4 mm de espessura e um pneu em fim de linha quase careca, tem menos de 2 mm de espessura.
Na hora de trocar de pneus, não menospreze a experiência. Se não souber pergunta a quem sabe e considere alguns fatores como: o tipo de pneu; a pressão; o pneu adequado ao veículo; os serviços que va realizar, o tipo de carga transportada, a qualidade e o reconhecimento da marca.
São diversas as opções disponíveis no mercado. Dessa forma reflita bastante acerca do custo/benefício antes de fazer a sua escolha. Pneus de qualidade também garantem a boa conservação de outros componentes do camião.

7 – Cuide da calibragem dos pneus
Falar em calibragem ou equilibragem com os motoristas experientes até pode parecer uma estupidez. Mas nunca é demais recordar, mesmo para com quem sabe, sobre a real importância dos pneus.
A quantidade de benefícios de um simples gesto pode ser realizado, por exemplo, enquanto abastece o seu veículo.
Num veículo pesado, a calibragem ou equilibragem, deverá ser feita a cada duas semanas. Todavia o período pode variar um pouco de acordo com as especificidades do veículo em questão.
Rolar com os pneus com pressão baixa provoca desgaste nos ombros, curvas mal feitas, desgaste dos veios da direção, direção pesada, aumento do consumo de combustível. A pressão excessiva pode desgastar o centro do pneu, rachar a base dos sulcos, aumentar a hipótese de rebentamento por causa de impactos e diminuir a área de contacto com o piso.

8 – Limpe os pneus do veículo
Todos os camionistas se preocupam em manter a cabina limpa e confortável. Passam ali grande parte do tempo e não há nada pior do que um ambiente sujo.
A mesma regra vale para os pneus. Por mais estranha que esta dica pareça e até porque estão em contacto com vários tipos de sujidade, limpá-los é uma tarefa simples e que ajuda na manutenção.
Tendo isto em conta, limpe sempre que possível: resíduos de óleo, pedaços de borracha soltos, materiais pontiagudos, poeiras, restos de comida, entre outros.

9 – Pode recauchutar
A recauchutagem é uma prática comum nos pneus e funciona de forma perfeita, transformando pneus em más condições em pneus quase novos. Assim sendo, saiba onde realiza esta operação, sabendo que comprar e montar um pneu novo é sempre melhor.

Comerciais

IVECO apresenta S-WAY Special Edition no GP de Itália

Published

on

A IVECO apresentou o IVECO S-WAY TurboStar Special Edition durante o Grande Prémio de Itália, jornada do Campeonato Europeu FIA de Camiões (ETRC) 2021, que decorreu no passado sábado no Circuito Misano Adriático.



Esta Edição Especial é uma homenagem ao original TurboStar, um dos mais icónicos, lendários e inovadores camiões alternativos de sempre, modelo que fez história e que se prepara agora para deixar a sua marca no futuro. Este sucesso de vendas de performances incomparáveis encheu de orgulho não apenas a marca, mas também todos os que tiveram o prazer de conduzir.

O IVECO S-WAY TurboStar Special Edition está equipado com um motor Cursor 13 de 570 cv, um novo chassis completamente redesenhado em termos de robustez e versatilidade, caixa automática de 12 velocidades HI-TRONIX, spoilers superiores e laterais, faróis 100% LED, sistemas Driving Style Evaluation (Avaliação do Estilo de Condução) e Driver Attention Support (Apoio à Atenção do Condutor), monitorização integrada da pressão dos pneus (TPMS), controlo automático da climatização e do ar condicionado de parque. A Edição Especial conta também com a conectividade avançada do IVECO S-WAY, apresentando um sistema de infotainment com navegação por satélite e IVECO Driver Pal, caixa de conectividade 4G e IVECO Hi-Cruise.

O visual deste ícone dos anos oitenta foi reinterpretado e modernizado, utilizando a pintura bicolor do TurboStar original, em vermelho e cinzento metalizado. Ao longo da cabina, as cores clássicas da IVECO à época – amarelo, vermelho e azul – foram utilizadas para um efeito evocativo, adaptadas às formas do IVECO S-WAY.

Diversos acessórios opcionais disponíveis na época para o TurboStar apresentam-se, agora, numa nova geração que presta homenagem à gama Turbo. Neles incluem-se barras cromadas nas secções traseiras da cabina e abaixo da secção lateral da carroçaria, bem como jantes e puxadores das portas cromados.

A grelha das janelas laterais traseiras, que tinha sido especificamente concebida para proporcionar maior luminosidade ao interior do TurboStar, foi recriada nos painéis laterais da cabina. Esta Edição Especial do IVECO S-WAY apresenta decorações específicas como efeitos metalizados na grelha frontal e nos espelhos retrovisores, uma barra protetora nos pára-choques e no tejadilho, com luzes adicionais, combinando na perfeição com a tradição TurboStar e do fenómeno IVECO S-WAY.

O toque vintage do TurboStar original foi igualmente recuperado no interior, atualizado numa perspetiva mais moderna. Os bancos apresentam-se revestido a veludo, o mesmo material utilizado no TurboStar original; o vermelho vivo combina perfeitamente com o esquema de cores exteriores; os bancos possuem acabamentos com costuras cinzentas claras. As inserções no tabliê evocam memórias do logótipo original, o qual foi reproduzido nos bancos, almofadas e colchões, bem no cromado acetinado do porta-luvas.

Continuar a ler

Comerciais

Este é o novo Ford Tourneo Connect feito com base no VW Caddy

Published

on

A Ford mostrou as primeiras imagens da nova geração do Tourneo Connect, desenvolvida em parceria com a Volkswagen. O novo modelo vai ser comercializado em dois comprimentos de carroçaria, quatro níveis de equipamento, três motorizações. Por sua vez, o habitáculo permite transportar até sete ocupantes em três filas.



A nova geração de comerciais compactos é fruto da Aliança com a Volkswagen e foi desenvolvido em conjunto com a Volkswagen, partilhando muitos dos componentes com o novo Caddy.

Tal como como o seu congénere da Volkswagen será proposto em dois comprimentos de carroçaria curto e longo possibilitando o transporte até sete ocupantes. Quando não estão a ser utilizados, os assentos da segunda e terceira filas podem ser rebatidos ou mesmo removidos para criar uma amplo espaço de carga para equipamento de trabalho ou de desporto.

O banco do passageiro dianteiro pode ser rebatido, permitindo o transporte em segurança de objetos com um comprimento até três metros como caiaques, pranchas de surf, embalagens de mobiliário ou tábuas de madeira.
O novo interior foi projetado para aumentar o conforto sem sacrificar a funcionalidade. Para tornar mais agradável a experiência a bordo, o Tourneo Connect conta com vários suportes para copos, compartimentos de arrumação, tomadas USB para carregamento de telefones. Entre as opções disponíveis incluem-se o vidro panorâmico em vidro ou o ar condicionado duplo.

O painel de instrumentos integra um ecrã tátil, de 8,25” (série) ou 10” (opção), que permite aceder aos comandos da navegação, climatização, audio, enquanto outros elementos como a ligação ao telefone, a informação do veículo e a configuração do audio.
Será comercializado em quatro níveis de equipamento: Active, Trend, Titanium e Sport. No capítulo mecânico estarão disponíveis três motorizações, uma a gasolina 1.5 EcoBoost com 114 cv e duas Diesel 2.0 EcoBlue com 102 ou 122 cv.

Todos os motores estão associados, de série, a caixas manuais de seis velocidades, sendo ainda possível optar por uma transmissão de dupla embraiagem PowerShift de sete relações. Pela primeira vez estará disponível na gama uma versão com tração integral, que melhora a condução em situações de piso escorregadio ou solto. O sistema distribui automaticamente o binário entre as rodas, em função das condições de condução.

Continuar a ler

Comerciais

Hyvia mostra primeiro protótipo de um furgão a hidrogénio

Published

on

A Hyvia, um espécia de consórcio que luta pelo desenvolvimento e implementação do hidrogénio, revelou o seu primeiro protótipo alimentado a este tipo de combustível que está praticamente pronto a comercializar.



O furgão de grandes dimensões Renault Master Van H2-TECH permite o transporte com zero emissões, uma autonomia melhorada e um abastecimento rápido. Irá cumprir as necessidades de vários tipos de negócios, frotas e até municípios. Hoje a mobilidade a hidrogénio é especialmente importnte nos Veículos Comerciais Ligeiros, permitindo maiores autonomias, com cargas mais pesadas e uma utilização mais intensiva.

A Master Van H2-TECH está equipada com uma pilha de combustível de 30kW, uma bateria de 33kWh e tanques com 6kg de hidrogénio (4 tanques de 1,5 kg).

Produzida em França, na fábrica de Batilly, tem a integração do hidrogénio e da electricidade feita pela PVI, uma subsidiária do Grupo Renault em Gretz-Armainvilliers. O motor é produzido na fábrica de Cleon e a montagem deverá começar no dinal deste ano.
Os próximos protótipos serão da Master Chassis Cab H2-TECH, com 19m3 de volume de carga e uma autonomia de cerca de 250 km, e ainda a Master Citybus H2-TECH, um minibus urbano que pode levar até 15 passageiros, com uma autonomia a rondar os 300 km.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração