Bruxelas propõe novos requisitos de gestão de resíduos para camiões – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Bruxelas propõe novos requisitos de gestão de resíduos para camiões

Published

on

No passado mês de julho a Comissão Europeia apresentou uma proposta de regulamento relativo aos requisitos de circulação aplicáveis ao design dos veículos e à gestão dos mesmos no final da sua vida útil com a intenção de ampliar o âmbito de aplicação, de forma gradual, a novas categorias como motos, camiões e autocarros.



As normas ambientais da União Europeia tem por objetivo garantir a gestão sustentável do veículos no final da sua vida útil. A sua finalidade passa por eliminar as substâncias perigosas nos automóveis e exigir que se reutilizem ou reciclem a maioria das peças e materiais dos veículos que já estão fora de utilização.
Esta iniciativa propõe melhorar a recolha, tratamento e reciclagem destes veículos. O objetivo é garantir a coerência com os objetivos do Pacto Verde Europeu, levando a indústria automóvel a adotar um modelo sustentável de design e produção de automóveis.

A proposta inclui medidas para melhorar a circularidade do setor automóvel, que incluem design, produção e tratamento dos veículos em final de vida. A intenção passa por melhorar o acesso aos recursos para a economia da União Europeia, e contribuir para os objetivos ambientais e climáticos, reforçando, ao mesmo tempo, o mercado único e contribuindo para abordar os desafios associados à transformação em curso da indústria automóvel.
Prevê-se que a aplicação do Regulamento leve a uma poupança de energia a longo prazo na fase de produção, uma menor dependência das matérias primas importadas e a promoção de modelos de negócio sustentáveis e circulares.
A Comissão Europeia tem aberto um prazo para poder enviar comentários até dia 24 de outubro de 2023.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

“Camião Bala” da Kenworth é a hidrogénio e está pronto

Published

on

A Kenworth apresentou o seu SuperTruck 2. É o mais recente de uma série de semi-reboques ecológicos criados no âmbito de um programa do Departamento de Energia.



Mais parecido com um comboio-bala do que com um semi-reboque, o Kenworth SuperTruck 2 “ultrapassa os limites da redução da resistência aerodinâmica”. Como parte deste esforço, o modelo tem um estilo aerodinâmico e rodas totalmente fechadas. Também tem espelhos laterais digitais que não só reduzem o arrasto, como também ajudam a melhorar a visibilidade.
O modelo também possui uma suspensão variável, que pode ajustar a altura de condução para otimizar o espaço livre ou a aerodinâmica.

O estilo futurista continua no interior, com um banco do condutor central e um painel de instrumentos digital de 15 polegadas. Este último promete fornecer notificações avançadas ao condutor, um layout configurável e menus de fácil utilização.
Atrás do cockpit encontra-se uma área de dormir com uma cama que se dobra sobre um sofá. A estes juntam-se uma mesa móvel e saídas de ar traseiras.
A potência é fornecida por um motor PACCAR MX-11, que produz 446 CV e inclui um sistema híbrido moderado de 48V que utiliza baterias de iões de lítio de última geração. Este último permitiu que o camião fosse equipado com ventiladores elétricos e direção elétrica, bem como bombas elétricas para o líquido de arrefecimento e o ar condicionado. Todos estes elementos eram anteriormente acionados mecanicamente.

Para além de ajudar a melhorar a eficiência, o sistema híbrido permite o “alojamento” durante a noite com o motor desligado. Isto poderia ajudar a reduzir significativamente as emissões, uma vez que os condutores de camiões não precisariam de manter os seus veículos em funcionamento enquanto dormem. Para além de um motor mais eficiente, o SuperTruck 2 e o seu reboque são surpreendentemente leves. Como a Kenworth explicou, o trator e o reboque pesam, em conjunto, 11.839 kg, o que representa menos 3.221 kg do que uma configuração típica.
Para ajudar a reduzir a massa, foram equipados dez pneus conceptuais que reduzem 161 kg de peso e têm uma resistência ao rolamento extremamente baixa. O motor mais eficiente também permitiu a utilização de um depósito de combustível mais pequeno, de 303 litros, que poupa peso e mantém a autonomia inalterada.

A Kenworth tinha como objetivo uma melhoria de 100% na eficiência do transporte de mercadorias em relação ao T660 de 2009, que era “indiscutivelmente o camião mais eficiente em termos de combustível na indústria” na altura, e acabou por ultrapassar esse objetivo ao atingir uma melhoria de 136%. O modelo também apresenta uma melhoria na eficiência de combustível de até 4% e uma redução de 48% no arrasto.
Embora o SuperTruck 2 seja movido a gasóleo, a marca afirmou que foi concebido para acomodar células de combustível, depósitos de hidrogénio, depósitos de gás natural ou baterias sem alterar a cabina básica.

Continuar a ler

Comerciais

Krug Expedition Rhino XL é um verdadeiro rinoceronte sobre rodas

Published

on

Gostaria de viver umas férias únicas numa autocaravana? Agora que vem aí o verão não seria má ideia. Então a Krug Expedition, situada em Schladming (Áustria), pode ter exatamente aquilo que procura. E, mais especificamente, uma autocaravana: a Project Rhino XL.



A Krug Expedition já tinha lançado o Rhino normal em 2022, baseado no Mercedes-Benz Atego, mas agora acrescenta mais um “tamanho”. Estamos a falar da versão XL, muito simplesmente. O novo Project Rhino XL 2024 é também baseado no Atego e oferece uma solução chave-na-mão com três variantes de disposição interior diferentes, incluindo duas variantes familiares e uma para uso profissional.


O Rhino XL está disponível em três configurações, o XL 175, o XL 200 e o XL Business. Cada veículo é meticulosamente concebido e fabricado internamente para garantir um processo de produção de alta qualidade até à sua conclusão.
A Krug Expedition fabrica cada módulo utilizando painéis de chapa metálica em sanduíche reforçados que proporcionam um excelente isolamento e possuem características de desempenho especificamente concebidas para evitar a condensação interior e requerer menos energia em ambientes extremamente frios ou quentes.


Numa alusão à robusta armadura do Rhino do mundo animal, a empresa também constrói as paredes e os painéis do teto de cada módulo XL com um laminado GRP “incrivelmente resistente e durável” que se diz ser excecionalmente resistente a danos.


O equipamento todo-o-terreno do Project Rhino XL 2024 inclui tração permanente às quatro rodas com três bloqueios de diferencial. O controlo anti-bloqueio dos travões ABS selecionável e um sistema opcional semi-automático de pressão dos pneus ajudam os viajantes a enfrentar terrenos difíceis imprevistos nas suas aventuras em estrada ou fora dela.

A barra de tejadilho é um complemento opcional para o Rhino XL e é montada no tejadilho da cabina, juntamente com uma barra de luz LED auxiliar para utilização em condições de baixa visibilidade.
Cada veículo está equipado com quatro pneus 365/80 R20 adequados a todos os tipos de terreno, tanto fora como dentro de estrada. O novo Project Rhino XL também dispõe de um espaço de arrumação impressionante, com cacifos robustos e uma grande área de garagem na traseira.


Os dois modelos maiores do Project Rhino XL incluem uma cama de casal fixa e dois beliches para espaço adicional para dormir. A cozinha do Project Rhino XL tem uma bancada prática, um lava-loiça em aço inoxidável, uma placa de indução Miele com duas zonas de cozedura e um conjunto opcional de louça e talheres.
Um frigorífico/congelador Vitrifrigo Slim 150 assegura que todos os alimentos perecíveis são bem armazenados para cada expedição.


Também está disponível como opção uma mesa de jantar deslizante, que pode ser facilmente convertida numa área de dormir adicional, se necessário. A bordo existe um pavimento em vinil impermeável e fácil de limpar. O depósito principal de água doce do Project Rhino XL tem uma capacidade de 545 litros para garantir a utilização de água limpa mesmo nas viagens mais longas.

A série mais pequena do Project Rhino começa nos 390.000 dólares, ou seja, 359.000 euros. Uma parte fixa das receitas de cada Rhino Line vendido reverte a favor da organização sul-africana de conservação da vida selvagem Nkombe Rhino.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

Em aceleração