Os riscos de andar com o carro na reserva – Motorguia
Ligue-se connosco

Manutenção

Os riscos de andar com o carro na reserva

Published

on

Pelas mais variadas razões por vezes é inevitável andar com o nosso veículo na reserva de combustível, mas tal deve ser evitado e nunca deve chegar ao ponto de se tornar um hábito pois pode ter consequências a nível mecânico, consequências essas que podem não ser baratas de resolver.



No depósito de combustível de um veículo é natural que o no seu fundo se acumulem resíduos, detritos ou impurezas provenientes do combustível e que com o tempo ficam sedimentadas na base do depósito.

Quando se circula com o veículo na reserva aumenta a probabilidade deste tipo de impurezas entrarem no sistema de alimentação do motor podendo causar danos no mesmo.

Para começar, podem entupir o filtro de combustível, que é a primeira “barreira” para impedir que este tipo de detritos entrem no motor. Logo aqui o funcionamento sai prejudicado e se o filtro deixar passar as impurezas acumuladas no fundo do depósito, então a próxima “vítima” podem ser os injetores.

Mas os problemas podem não ficar pelo filtro de combustível ou pelos injetores. Também os próprios cilindros podem ser afetados se as impurezas chegarem até à câmara de combustão do motor.

Compreensivelmente qualquer reparação ou substituição necessária, devido a problemas nos injetores ou nos próprios cilindros, é um arranjo que não é propriamente barato.

Além de todos estes inconvenientes também convém não esquecer que nalguns automóveis a bomba de combustível está dentro do próprio depósito, imersa pois utiliza o próprio combustível como lubrificante. Se andar regularmente com o carro na reserva isso pode levar a bomba de combustível a sobreaquecer, o que acelera o seu desgaste podendo levar à sua substituição. Mais um custo desnecessário.

Portanto evite andar com o seu veículo constantemente na reserva. Faça o exercício mental de assumir que o traço que assinala o quarto de depósito é a reserva e não deixe o ponteiro passar abaixo dessa marca. Assim poderá evitar dissabores futuros.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Manutenção

Na manutenção do seu carro não se esqueça do ar condicionado

Published

on

Muitas vezes o sistema de ar condicionado do automóvel só é lembrado quando deixa de fazer frio ou quente dentro do habitáculo. No entanto, é importante que regularmente esteja atento e que faça a correta manutenção deste sistema para que tenha sempre um “bom ar” no seu carro.



Substituir o filtro do ar condicionado ou mudar o gás do sistema são tarefas que nem sempre estão na ordem de prioridades na manutenção do seu automóvel, mas deviam estar ao mesmo nível de uma mudança de óleo ou do filtro de combustível, por exemplo.

Manter a qualidade do ar no interior do seu veículo e assegurar uma boa manutenção do sistema de ar condicionado são determinantes para manter uma boa saúde a bordo e também para poder evitar despesas avultadas num eventual arranjo do ar condicionado. Vejamos alguns pontos importantes a ter em conta:

Troque o filtro do ar condicionado

Na manutenção de um veículo o filtro do ar condicionado não é uma peça que se possa considerar das mais caras, por isso deve trocá-lo sempre que possível. Em cada revisão veja o estado do filtro e se este estiver sujo troque-o sem hesitações. No filtro do ar condicionado acumulam-se poeiras, sujidade e até bactérias que podem inclusive gerar algumas infeções. Por isso para manter um ar saudável e com poucos “cheiros” troque o filtro do ar condicionado.

Não deixe o sistema parado muito tempo

Nas épocas mais “amenas” é normal que não haja tanta necessidade de utilizar o ar condicionado, no entanto é bom para todo o sistema que o ligue e coloque em funcionamento durante algum tempo. Em muitos sistemas o próprio gás do ar condicionado atua como lubrificante do compressor do sistema. Por isso é sempre bom colocar todos os elementos em funcionamento para evitar que estes fiquem ressequidos e quebradiços.

Mude o gás do ar condicionado

Normalmente só quando o sistema deixa de fazer frio ou quente é que recorremos a uma oficina da especialidade e recarregamos o gás do ar condicionado. No entanto não deveria ser assim. O ideal será recarregar o gás no máximo de quatro em quatro anos pois assim mantém as capacidades de lubrificação do gás no sistema, evitando dissabores maiores pela avaria mais séria e cara de algum dos componentes, nomeadamente do compressor. Além disso nas oficinas da especialidade pode sempre proceder também a uma limpeza das condutas de refrigeração do automóvel o que obviamente vai também melhorar a qualidade do ar.

Continuar a ler

Manutenção

10 dicas para trocar um pneu

Published

on

Ter de trocar um pneu é algo que pode suceder quando menos se espera e se para uns é uma tarefa relativamente simples, para outros é algo mais complicado, seja por desconhecimento, ou falta de experiência. Por isso, aqui lhe deixamos algumas dicas que o ajudarão a simplificar a troca de um pneu.



Mesmo quando se está atento ao bom estado dos pneus, verificando a pressão, ou vendo o estado do desgaste, por vezes somos surpreendidos com um furo. Perante esta situação há um conjunto de ações que é importante ter em conta para que a troca de um pneu corra bem e em segurança:

1 – Pare o carro em segurança

Se o furo aconteceu em andamento, então, se possível, escolha um local na berma que seja visível, com a menor inclinação possível e com um piso que não seja escorregadio (evite uma zona de terra, lama, relva ou de ervas, por exemplo).

2 – Seja bem visível

Assegurar que os outros utentes da via se apercebem da situação é determinante para a segurança, por isso saia do carro com o colete refletor colocado e coloque o triângulo de sinalização do carro pelo menos a trinta metros atrás do veículo de forma a que quem circule na via se aperceba atempadamente da presença de um carro parado na berma.

3 – Trave bem o carro

Antes de começar a troca do pneu garanta que o carro está bem travado com o travão de mão e que está engatado com a primeira velocidade. Se porventura tiver cunhas, então para reforço da segurança coloque-as.

4 – Retire o pneu suplente

O pneu suplente (ou a roda de emergência) estão habitualmente na parte de baixo da bagageira do carro, ou no interior da mesma ou por baixo da bagageira, sendo neste caso necessário desaparafusar a grelha que fixa o pneu por baixo do carro (normalmente através de um parafuso que está no fundo da mala no lado de dentro e que é desenroscado utilizando a chave de porcas que está no carro). Depois de retirar o pneu pegue no macaco, na chave de porcas e, se for caso disso, na porca de segurança da jante e coloque todos estes elementos junto da roda que terá de trocar.

5 – Liberte os parafusos da roda

Ainda antes de elevar o carro liberte os parafusos da roda. Não os retire ainda, mas aproveite que a roda está imobilizada e com o peso do carro a exercer pressão sobre ela para dar aquela primeira volta no parafuso. Se não conseguir fazê-lo apenas com a força das mãos, então tente colocar a chave na horizontal e com um pé colocar o peso do corpo sobre a chave e com um ligeiro impulso fazer pressão sobre a chave. Na maioria dos casos é o suficiente para libertar o parafuso.

6 – Levante o carro com o macaco

Depois de libertar um pouco os parafusos, então procure o encaixe do macaco junto da roda que tem o furo. Coloque-o firmemente e faça subir o carro até que a roda que é preciso trocar esteja sensivelmente a uns dez ou quinze centímetros do solo.

7 – Remova o pneu

Neste momento já pode retirar os parafusos na totalidade e remover o pneu.

8 – Coloque o pneu suplente

Pegue no pneu suplente e coloque-o na sua posição. Meta os parafusos e ao apertar faça-o de forma cruzada (primeiro um de cima de um dos lados, depois outro de baixo do lado oposto e assim sucessivamente). Não tente fazer ainda o aperto final com o carro ainda elevado.

9 – Baixe o carro

Com a roda já colocada e ligeiramente apertada é altura de descer o carro com o macaco. Faça-o calmamente e verificando sempre que tudo está a correr de forma equilibrada. Retire o macaco e dê o aperto final nos parafusos, garantindo o melhor aperto possível.

10 – Siga viagem

Recolha o pneu furado para a bagageira, junte e guarde todas as ferramentas utilizadas e não se esqueça de ir buscar o triângulo. Siga viagem, estando atento ao eventual surgimento de qualquer vibração ou oscilação “estranha” e logo que possa vá a um mecânico ou oficina de pneus verificar se o pneu suplente está bem colocado e também tratar do pneu furado.

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por Brunobrunocarro
    Boa tarde a todos , espero que se encontrem todos bem . Como voces sao os entendidos nisto e eu nao percebo muito vim expor a minha questao . Peco...
  • por djnata
    1) Orçamento disponível: 12000 2) Novo ou usado: usado até 120.000km 3) Tipo de automóvel pretendido: Familiar e com boa bagageira. 4)...
  • por Zedobone
    Na Koreia já foi introduzia a medida ...
  • por malapeiro
    Boas, Tenho uma carrinha kia ceed 1.6 crdi 115cv de 2008. O indicador da temperatura do motor no quadrante anda maluco. Mostra leituras...

Em aceleração