MV Agusta com perfume francês – Motorguia
Ligue-se connosco

Motos

MV Agusta com perfume francês

Published

on

A MV Agusta está a apostar nas edições especiais de alguns dos seus modelos e desta vez, fazendo uma parceria com a bem conhecida Alpine, criou a MV Agusta Superveloce Alpine, um modelo que junta numa só máquina o legado de dois grandes nomes do mundo motorizado.



Desenhada no Mónaco Design Studio do construtor de motos italiano esta MV Agusta tem como base o modelo Superveloce 800 e a sua produção será limitada a 110 unidades, numa alusão evidente ao mítico Alpine A110, com cada unidade a ser numerada e assinada pelos responsáveis das duas marcas.

Esteticamente a fusão da MV Agusta com a Alpine é evidente, a começar pela própria cor azul da moto e estendendo-se a diversos detalhes como o logotipo “A” nas laterais, a presilha em pele “Alpine” no topo do depósito, as jantes pretas com elementos em metal que relembram as jantes do A110, entre outros.

Esta MV Agusta Superveloce Alpine não é só estética, esta desportiva vem com um kit racing apropriado para melhor tirar partido desta máquina em pista. Este kit conta com uma programação específica da centralina o motor desta desportiva debita 153 cv de potência, mais 6 cv que o modelo de série que tem 147 cv.

O sistema de escape Arrow tem duas ponteiras na direita e uma na esquerda e o sistema de travagem tem também uma nova centralina do ABS, a Continental MK100 que permite explorar a travagem ao máximo sem a entrada em ação do ABS.

Com um peso de 166 kg em seco graças à utilização da vibra de carbono em vários componentes como as condutas de admissão ou a proteção da corrente, esta Superveloce Alpine promete grandes emoções em pista e já pode ser encomendada. Mesmo com um preço de 36.300€ a marca acredita que não demorará muito a ter todos os 110 modelos vendidos.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Manutenção Motos

Cuidados a ter com os travões da sua moto

Published

on

O bom estado dos travões é condição determinante para garantir a melhor segurança quando circula de moto. Como tal os travões são um elemento que deve ser regularmente inspecionado e mantido.



Óleo dos travões
Comece por verificar o nível do óleo dos travões confirmando que este está no nível correto e também se o seu aspeto não é demasiado escuro pois isso pode indicar que perdeu as suas qualidades e mesmo que o nível esteja correto, a eficácia do sistema não é a mesma podendo dar a sensação que quando se trava os travões estão “esponjosos”. Se o nível for baixo isso pode indicar uma fuga no sistema ou que as pastilhas já estão desgastadas. Seja como for deve verificar essa situação junto de um profissional e preferencialmente substituir a totalidade do óleo de travões.

Pastilhas
Veja a condição das pastilhas de travão. Em estrada esteja atento se fazem ruído ou alguma oscilação quando trava, se a distância de travagem aumentou ou não e veja se as próprias pastilhas estão com uma espessura acima do limite mínimo definido pelo fabricante e se estiverem próximo do mesmo, não hesite e troque as pastilhas.

Discos
Veja também o estado do disco de travão. Esteja atento aos mesmos sintomas das pastilhas enquanto conduz (ruídos, vibrações) e numa inspeção visual veja se os discos não perderam muita da sua espessura original.

Limpeza
Tanto as pastilhas como os discos de travão devem ser limpos com alguma regularidade de forma a remover impurezas e manter a eficácia máxima destes componentes. Assim deve utilizar um spray específico para limpeza de discos e pastilhas. Retire as pastilhas e aplique este produto. Deixe atuar algum tempo e limpe as pastilhas com uma escova ou um pincel para retirar a sujidade e volte a montar as pastilhas. Com os discos a limpeza é em tudo semelhante. Aplique o spray, deixe o produto atuar na sujidade e depois remova-a com uma escova ou pincel. No final limpe com um pano para recuperar o brilho dos discos e remover algumas impurezas que possam ainda ter resistido ao tratamento.

Continuar a ler

Motos

Mercado de motociclos cai 5,2% em 2020

Published

on

Num ano marcado pelos efeitos da pandemia do vírus Covid-19, o mercado nacional de vendas de motociclos registou uma queda de 5,2% face ao ano de 2021.



Segundo os dados revelados pela ACAP, Associação Automóvel de Portugal, foi vendido um total de 32.097 unidades, entre ciclomotores, motociclos, triciclos e quadriciclos, sendo que a maior fatia das vendas foi de motociclos com uma cilindrada até 125 cc (15.830 unidades).

É certo que estamos perante uma queda nas vendas após vários anos em que o mercado vinha a registar um sólido crescimento, mas considerando as vicissitudes de um ano tão atípico e comparando, por exemplo, com os resultados das vendas do mercado automóvel que registou uma queda de 33,9%, então o sector das motos até teve um comportamento “menos mau”.

Uma das razões para esta queda não ter sido mais acentuada pode ter a ver com o facto de neste período de pandemia a moto ter surgido como um meio de transporte de certa forma mais seguro pois os riscos de contaminação pelo novo Coronavírus são menores. Normalmente o motociclista viaja sozinho e além disso o equipamento de segurança que tem de utilizar, nomeadamente o capacete, acaba por funcionar também como proteção face ao contágio.

Continuar a ler

Motos

Portimão poderá fazer parte do calendário de Moto GP para 2021

Published

on

A Dorna já divulgou o calendário de provas para o campeonato de MotoGP de 2021. Sendo um calendário ainda provisório pois com a conjuntura da pandemia do vírus Covid-19 todas as provas desportivas estão a ser planeadas com muitas incertezas, como é compreensível.



Mas entre tantos fatores imponderáveis há uma certeza, é que para o próximo ano o calendário não contempla o circuito checo de Brno pois este necessita de obras impostas pela Dorna e a FIM e ao que parece não há dinheiro para realizar essas obras por parte dos responsáveis checos. Este facto deixa uma abertura no calendário entre 11 de julho e 15 de Agosto, estando o circuito de Portimão muito bem posicionado para preencher essa vaga e voltarmos a ter o Grande Prémio de Portugal em 2021 no Autódromo Internacional do Algarve. Esperemos que sim.

Aqui fica o calendário provisório do campeonato de MotoGP para 2021:

28 de março – GP do Qatar
11 de abril – GP da Argentina
18 de abril – GP das Américas
2 de maio – GP de Espanha
16 de maio – GP de França
30 de maio – GP de Itália
6 de junho – GP da Catalunha
20 de junho – GP da Alemanha
27 de junho – GP de Assen
11 de julho – GP da Finlândia
– Circuito a anunciar
15 de agosto – GP da Áustria
29 de agosto – GP da Grã-Bretanha
12 de setembro – GP de Aragão
19 de setembro – GP de São Marino
3 de outubro – GP do Japão
10 de outubro – GP da Tailândia
24 de outubro – GP da Austrália
31 de outubro- GP da Malásia
14 de novembro – GP da Comunidade Valenciana

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração