Cuidados ao ultrapassar camiões em estradas nacionais – Motorguia
Ligue-se connosco

Comerciais

Cuidados ao ultrapassar camiões em estradas nacionais

Published

on

Você tem receio de ultrapassar os camiões? Leia as nossas recomendações e sinta-se mais preparado(a) para enfrentar estes “monstros” da estrada.

 



O camião é uma viatura quase omnipresente nas estradas. A sua presença continuada no trânsito rodoviário acontece por causa da sua importância no transporte de mercadorias, pressupondo grande parte da logística terrestre no nosso país. Além disso, no verão é uma logística que ainda aumenta, no sentido de levar bens até aos principais destinos turísticos de Portugal.

Deste modo, é muito provável que se sair de viagem de carro, se cruze com algum ou vários camiões no percurso. E tendo em conta que estes têm a velocidade limitada, inevitavelmente terá de os ultrapassar em algum ponto, para continuar no ritmo. Numa autoestrada, é uma manobra simples e sem complicações, pela existência de duas vias no mesmo sentido. No entanto, se estivermos numa estrada secundária, pode ser stressante realizá-la, caso não estejamos acostumados a fazê-lo, por estarmos habituados a conduzir apenas em cidade ao longo do ano.

A Samsung desenvolveu uma câmara frontal de alta definição ligada a um monitor instalado na traseira do camião que facilita as manobras de ultrapassagem

Como ultrapassar: passo a passo

O camião é um veículo bastante diferente de um automóvel (principalmente no comprimento), o que exige maiores precauções na altura de realizar esta manobra. O motorguia.net explica neste texto como fazê-lo, pelo que trataremos de o resumir nos seguintes pontos.

Perceber a necessidade da ultrapassagem

Devemos considerar se realmente vamos poupar tempo ao ultrapassar o camião, sobretudo se temos pensado fazer uma paragem em breve ou se vamos cruzar alguma localidade nos próximos quilómetros.

Comprovar de que temos espaço para a ultrapassagem

Não só devemos confirmar se vêm carros de frente em sentido contrário, mas também se teremos espaço com traço descontínuo suficiente para finalizar a ultrapassagem.

Perceber se alguém já nos vai a ultrapassar

Confirmar através dos espelhos retrovisores se algum veículo atrás de nós tem intenção de nos ultrapassar. Nesse caso, o melhor é deixá-lo fazer a ultrapassagem, esperar que o finalize para o fazer depois. Nunca ao contrário.

Sinalizar a manobra

Para avisar o condutor do camião, sinalize com o pisca esquerdo, uns 20 ou 30 metros antes de chegar perto dele, para que ele possa ver pelo retrovisor.

Manter a distância de segurança do camião

Nem mesmo ao iniciar a ultrapassagem devemos chegar perto da traseira do camião. Além de podermos colidir devido à proximidade, no caso de uma travagem do camião, perderemos a visibilidade da estrada.

Ultrapassar o camião com determinação

Quando estamos certos de que temos a estrada livre para ultrapassar, «lançamo-nos» à manobra. O ideal é fazê-lo com distância suficiente para poder invadir a faixa contrária de forma gradual. Também é recomendável iniciar a manobra uma ou duas velocidades abaixo do normal, para ganhar mais potência e aceleração.

Precaução com os golpes de vento e as mudanças de pressão

Quando vamos a ultrapassar o camião, notaremos um «golpe» de ar vindo do veículo. Devemos estar preparados para não perder o controlo do carro.

Incorporar-nos na faixa direita com suavidade

Após ultrapassar o camião, voltaremos à nossa faixa de forma gradual. Por isso, o conveniente é que deixemos outros 15 ou 20 metros de espaço do camião antes de começar a realizar a incorporação. Uma boa referência é ver o camião pelo retrovisor central do nosso carro.

Um dos maiores mitos é que os condutores de camião são condutores imprudentes que acham que são donos da estrada. Não há nada mais longe da realidade. Na sua grande maioria são utilizadores experientes, com um grande respeito pela estrada e pelas regras de trânsito. Na maioria dos casos vão facilitar a manobra, pelo que os veículos ligeiros também devem realizar a manobra de forma correta. Por isso é importante seguir regras como estas que ajudam à sã convivência de todos na estrada.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Comerciais

Western Star 57X foi inspirado no Mercedes-Benz Actros

Published

on


Os camiões norte-americanos são sempre fontes de inspiração e desejo para muitos transportadores, sejam eles frotistas ou motoristas profissionais. A mais recente novidade da Daimler Truck North American é o Western Star 57X, veículo que contempla muita da tecnologia existente no Mercedes-Benz Actros.

O novo 57X foi projetado principalmente para clientes que percorrem rotas de longa distância, especialmente no segmento de pequenas frotas ou como operadores proprietários, em contraste com as séries 47X e 49X, que se destinam aos clientes de veículos especiais e de obras.
O início da produção do Western Star 57X será no 1º trimestre de 2023 na fábrica da Daimler Truck North America em Cleveland, Carolina do Norte, EUA.

O construtor promete cerca de 6% mais economia que o antecessor, o 500XE. Os clientes podem escolher entre diferentes opções de motor: Detroit DD13 Gen 5, DD15 Gen 5 e DD16. O 57X está disponível com caix de velocidades Detroit DT12 Direct ou High-Speed AMT.

O camião oferece aos clientes o Detroit Assurance 5.0 Safety System com Active Brake Assist 5, que inclui o sistema de câmara/radar “sempre ligado”, Cruise Control Adaptativo e Active Lane Assist opcional. A novidade do 57X é o Active Side Guard Assist, uma tecnologia pioneira no setor projetada para mitigar as dificuldades no ângulo durante as curvas à direita. Este é o primeiro camião Western Star a ter um display digital no cockpit que permite a configuração dos instrumentos e simplifica o controlo das funções de entretenimento (via Apple Car Play e Android Auto) e informações do veículo. Os controlos embutidos no volante permitem que os motoristas controlem a maioria das funções de entretenimento e informação sem tirar as mãos do volante.

Continuar a ler

Comerciais

Santos e Vale e Reta desenvolvem solução para passar carga entre semirreboques

Published

on

A pedido da Santos e Vale – Operador Logístico, a Reta, desenvolveu uma solução inovadora em Portugal, que consiste num sistema de ligação entre duas viaturas atreladas, eficiente e sem complicações com a perda de peças soltas.


“O cliente queria uma solução fiável para transferência de cargas entre equipamentos. Agora, o motorista, em vez de ter que encostar as duas viaturas, cada uma num cais de cargas diferente, só precisa de encostar o conjunto. Com as duas viaturas atreladas, a carga pode ser movimentada entre os dois equipamentos, aumentando assim a flexibilidade de carga e descarga,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Esta plataforma é sempre agregada ao malhal do equipamento. O motorista quando precisa de utilizá-la, tem simplesmente que destravá-la e descê-la. Não há necessidade de montá-la, de cada vez que quiser utilizá-la. O sistema foi montado no frontal de um semirreboque rígido, podendo ser replicado para outros tipos de equipamento.

Luís Alves frisa: “É muito mais simples, não há peças soltas que se corre o risco de perder, há uma proteção adicional à própria carga (por cima). E não requer que a pessoa ande com uma chapa de ferro, com risco de se desviar e de a mercadoria cair. É mais seguro, mais funcional, tem uma resistência superior à dos próprios malhais frontais e, sobretudo, poupa muito trabalho aos motoristas.”

Esta solução tem tido excelente aceitação noutros mercados além dos transportes, porque permite ainda, com uma adaptação, que o semirreboque sirva de armazém móvel e que se carregue e descarregue pelos dois lados.
“À data atual, poderá ser montado em dois conjuntos (camião e semirreboque, ou link trailer e semirreboque, perfazendo 60 toneladas) e, no futuro em dual-trailer (dois semirreboques, perfazendo 70 toneladas), já em testes na vizinha Espanha,” explica Luís Alves, da Reta no Carregado.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração