Honda Accord (2003-2008) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Honda Accord (2003-2008)

Published

on

O nome Accord é um dos que conta com uma maior longevidade no seio da Honda e esta que foi a sua sétima geração representou uma ainda maior aproximação da marca ao mercado europeu, tanto em termos de linhas como de oferta de motores já que estreou o motor 2.2i-CDTi a gasóleo, um dos mais silenciosos e capazes do segmento na altura.



Com um interior muito bem montado e com bons materiais este Accord oferece uma boa habitabilidade, mesmo nos bancos traseiros. Também a capacidade da mala é muito boa, tanto na versão de quatro portas como na versão carrinha onde a bagageira apresenta um acesso muito fácil.

A posição de condução é boa e este Honda está bem equipado assegurando um bom conforto em estrada aos ocupantes até porque está muito bem insonorizado. Infelizmente a sua suspensão já não exibe um trabalho tão eficaz em cidade onde as irregularidades do mau piso não são bem filtradas para o interior.

A firmeza da suspensão que assegura um comportamento dinâmico sério e previsível nas estradas mais sinuosas, acaba por penalizar um pouco o conforto no interior do Accord quando o asfalto é mais degradado.

Com uns custos de manutenção algo elevados este Honda de certa forma acaba por compensar com uma boa fiabilidade e um bom valor de retoma no mercado de usados.

Motores
O Accord oferece três motores na sua gama, dois a gasolina, o 2.0i com 155 cv e o 2.4i com 190 cv e o 2.2i-CDTi a gasóleo, uma unidade a ter em conta com os seus baixos consumos, boas prestações e funcionamento silencioso.

Principais avarias e problemas

O Honda Accord foi alvo de algumas chamadas à rede de assistência para corrigir pequenas anomalias nos motores a gasolina e também no motor Diesel, neste caso, algumas unidades produzidas até 2004 foram chamadas para reprogramar a unidade de comando do motor que causava o acendimento sem razão da luz de aviso no painel de instrumentos.

Honda Accord (2003-2008)
7.1 Avaliação
5.5 Utilizadores (3 Votos)
Pros
Habitabilidade
Capacidade da mala
Qualidade de construção
Contras
Custos de manutenção
Suspensão algo firme
Fiabilidade8
Custos de manutenção6.5
Desvalorização7.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Avaliações Usados

Kia Sportage (2016_2021)

Published

on

No seio da marca Kia o Sportage é um dos nomes mais reconhecidos e já está no nosso mercado desde o início dos anos noventa do século passado. Esta que é a sua quarta geração e em termos estéticos evoluiu o design moderno e arrojado da geração anterior, mantendo ainda muitos dos seus pontos positivos.



Com um interior espaçoso e confortável, este Kia Sportage mostra-se um bom companheiro para os desafios urbanos do dia a dia e também para as viagens mais longas onde a sua bagageira também ajuda com uma capacidade de 503 litros. Lamenta-se apenas o formato, onde as cavas das rodas são talvez demasiado proeminentes, mas nada que um bom “jogo” com os vários volumes não resolva.

Os materiais utilizados no interior deste Sportage não são dos mais nobres, apesar da qualidade de montagem estar num bom plano. Em termos de conforto este coreano cumpre, com uma suspensão que consegue lidar bem com as “armadilhas” do piso tanto em termos de ruído como de vibrações. No entanto este Sportage não se mostra tão eficaz a eliminar o som do motor que entra um pouco no habitáculo o que pode comprometer ligeiramente o conforto sonoro dos ocupantes.

Muito previsível quando a estrada se mostra mais exigente, este Kia não é propriamente uma fonte de emoções de condução. A direção é leve e vaga na informação que dá ao condutor e os movimentos da carroçaria fazem-se sentir. Num outro registo, a leveza da direção até facilita as manobras citadinas mas quem vai ao volante tem de estar atento pois a dimensão dos pilares traseiros prejudica um pouco a visibilidade para trás.

Motores

Esta geração do Kia Sportage conta com os motores a gasolina 1.6 GDi com 132 cv de potência e o 1.6 T-GDi com 177 cv. Além destas propostas surgem ainda os motores a gasóleo 1.7 CRDi com 116 cv e o 2.0 CRDi com 136 e 185 cv. Este motor revela-se algo ruidoso, mas é uma das propostas mais equilibradas entre prestações e consumos sendo que para a versão de 136 cv a marca coreana anuncia um consumo médio de 4,8 l/100km.

Principais avarias e problemas

A garantia de 7 anos da Kia é sempre uma vantagem no campo da manutenção. Em termos de contratempos, nos modelos equipados com o motor 1.7 CRDi fabricados até maio de 2016 a luz do motor pode acender devido ao coletor do filtro de partículas que deverá ser substituído.

A caixa de velocidades manual pode começar a fazer alguns ruídos devido a anomalias no sincronizador e os travões também podem começar a fazer alguns barulhos, algo que é resolvido com a substituição dos discos ou das pastilhas.

No campo da iluminação, as lâmpadas de xénon podem não ter um funcionamento correto o que leva à sua substituição.

Kia Sportage (2016_2021)
6.2 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Garantia de 7 anos
Contras
Insonorização
Alguns materiais
Fiabilidade6
Custos de manutenção7.5
Desvalorização5.5
Qualidade dos materais5.5
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança6.5
Conforto6
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico6
Performance6
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Toyota Prius (2009-2016)

Published

on

Esta terceira geração do Prius foi lançada numa altura em que o construtor nipónico já tinha consolidado a sua posição como líder mundial em modelos híbridos e o nível de exigência era já considerável.



Desde o primeiro Prius lançado em 1997 que um misto de preocupação ambiental e moda associados a um automóvel híbrido equilibrado e fácil de utilizar fez com que o nome Prius tivesse ultrapassado a fasquia de um milhão de unidades vendidas. Contudo outras marcas foram melhorando o rendimento das suas soluções e o mercado tornou-se cada vez mais exigente, obrigando o Prius a evoluir cada vez mais como produto.

Esta terceira geração foi a primeira a receber um motor a gasolina com 1.8 litros de cilindrada e associado a um motor elétrico debitava um total de 136 cv de potência em vez da solução que equipava a geração anterior que tinha por base um motor de 1.5 litros e debitava 110 cv. Com isto melhorou a sua capacidade de resposta ao pedal do acelerador, ganhou nos consumos e passou a produzir menos emissões poluentes.

Ficou um pouco mais agradável de conduzir em estrada e manteve uma excelente facilidade de condução em cidade, onde o condutor dá por si a ter muito pouco “trabalho” nos seus trajetos habituais. Em termos de conforto a sua suspensão tem uma afinação que filtra bem as irregularidades da estrada e mostra bem a vocação mais funcional e ecológica do Prius pois quando as curvas se sucedem ela não controla assim tão eficazmente os movimentos da carroçaria.

O interior é espaçoso e tem um desenho moderno e tecnológico mas muito racional. A qualidade de construção está no patamar que a Toyota nos habituou e apesar de alguns materiais deixarem um pouco a desejar, o rigor da sua montagem não merece qualquer reparo. Apesar de bem equipado o Prius surgiu no mercado com um preço um pouco elevado o que lhe retirava alguma competitividade face a algumas propostas semelhantes. Perdia pontos aí, mas ganhava na componente ambiental e tecnológica.

Motores

Este Prius conta com um motor 1.8 a gasolina com 99 cv de potência associado a um motor elétrico, solução que em conjunto lhe dá uma potência combinada de 136 cv e lhe permite anunciar um consumo médio de apenas 3,3 l/100 km.

Principais avarias e problemas

A fiabilidade é outro dos trunfos deste Prius e não são muitos os problemas ao nível do motor. Nalguns modelos fabricados até outubro de 2012 foi registada alguma perda de potência devido a problemas com a válvula EGR, ao passo que nalgumas unidades produzidas até agosto de 2013, em condições extremas, foi registado um sobreaquecimento das baterias.

A direção pode vir a exibir alguns ruídos e os rolamentos das rodas também poderão começar a soar menos bem. Tudo isto só foi registado em unidades fabricadas até ao verão de 2012.

Toyota Prius (2009-2016)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Fiabilidade
Habitabilidade
Facilidade de condução
Contras
Preço
Alguns materiais
Fiabilidade8
Custos de manutenção6
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais5.5
Habitabilidade e bagageira7
Segurança6.5
Conforto6.5
Consumo combustível8
Comportamento dinâmico5.5
Performance6
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por LetsMakeCakes
    Boa Tarde A ver se alguém me desfaz as duvidas: EU trabalho com pessoas com incapacidades físicas (mobilidade) e mentais, e exerço a...
  • por Ivox5
    Olá malta, estava a pensar adquirir um peugeot 206 1.6 hdi, porém o carro possui cerca de 290 mil km e gostava de saber se ja tem muitos km ou não...
  • por now
    Como indica o título estou a procura de um Youngtimer para adquirir durante este ano. Só falta a empresa acabar as obras no parque subterrâneo...
  • por Pneucareca
    Carlos Tavares veio confirmar que será apresentado no segundo semestre de 2025....

Em aceleração