Uma Vespa digna da passerelle – Motorguia
Ligue-se connosco

Motos

Uma Vespa digna da passerelle

Published

on

A Vespa e a Christian Dior juntaram-se na criação de uma edição limitada da Vespa 946 repleta de pequenos grandes detalhes da conceituada marca de alta costura parisiense.



A Vespa sempre foi um ícone de mobilidade e de design e a Dior sempre foi uma das grandes referências da moda e da inovação no estilo, agora estes dois nomes, que curiosamente nasceram no ano de 1946, uniram-se e assim nasceu a Vespa 946 Christian Dior.

 

Esta versão conta com vários detalhes únicos como os gráficos laterais alusivos à marca Dior, os punhos e banco em pele específicos, o suporte do assento personalizado e estão ainda disponíveis o top-case e o capacete decorados com um padrão bem conhecido e emblemático da marca de alta costura francesa.

Com o lançamento previsto para a primavera do próximo ano, esta edição especial da Vespa 946 contou com a colaboração de Maria Grazia Chiuri, a diretora criativa responsável pelas coleções femininas da Dior.

Chiuri refere que ficou “muito entusiasmada com este projeto com a Vespa. Para mim, a Vespa está ligada à minha cidade, Roma, e à liberdade de circular pela cidade com facilidade, como no filme Roman Holiday (1953), que deixou a extraordinária imagem de Audrey Hepburn agarrada a Gregory Peck numa Vespa. Tenho tantas lembranças felizes associadas à Vespa e recordo-me com carinho das voltas que eu e o meu marido dávamos em Roma e das idas à praia em Fregene. A Vespa é um símbolo que está intrinsecamente ligado à minha história pessoal e agora faz parte da minha vida profissional na Dior.”

Assim nasceu esta edição limitada plena de requinte no estilo e de liberdade na essência que não estranharia a ninguém se desfilasse numa qualquer passerelle no mundo.

 

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Motos

Coleção de motos do Museu do Caramulo cresceu com uma NSU

Published

on

A coleção permanente de motos do Museu do Caramulo ganhou mais um elemento para o seu acervo, uma NSU Quickly TT/K, modelo construído em 1960.



As pequenas motos de baixa cilindrada, mais conhecidas por mopped foram modelos de grande sucesso, desde os anos 50 do século passado, pois de certa forma democratizaram as motos já que surgiram no mercado com preços acessíveis e baixos custos de manutenção no dia a dia, o que atraiu rapidamente um público jovem que assim entrava no mundo das duas rodas.

Esta NSU Quickly é um desses modelos. Criada em 1953 e produzida até 1968 a Quickly ultrapassou o milhão de unidades vendidas considerando todas as suas versões.

A NSU Quickly TT/K que agora faz parte da coleção do Museu do Caramulo foi doada por Carlos Fortunato Alzina Seruya e trata-se de uma unidade de 1960, sendo que esta versão TT/K se destaca pelo seu banco moldado que dava maior conforto aos ocupantes, a sua suspensão com um braço oscilante na dianteira e o depósito com uma capacidade de 2,5 litros.

Esta nova moto da coleção do museu já se encontra em exposição.

Continuar a ler

Manutenção Motos

Cuidados a ter com os travões da sua moto

Published

on

O bom estado dos travões é condição determinante para garantir a melhor segurança quando circula de moto. Como tal os travões são um elemento que deve ser regularmente inspecionado e mantido.



Óleo dos travões
Comece por verificar o nível do óleo dos travões confirmando que este está no nível correto e também se o seu aspeto não é demasiado escuro pois isso pode indicar que perdeu as suas qualidades e mesmo que o nível esteja correto, a eficácia do sistema não é a mesma podendo dar a sensação que quando se trava os travões estão “esponjosos”. Se o nível for baixo isso pode indicar uma fuga no sistema ou que as pastilhas já estão desgastadas. Seja como for deve verificar essa situação junto de um profissional e preferencialmente substituir a totalidade do óleo de travões.

Pastilhas
Veja a condição das pastilhas de travão. Em estrada esteja atento se fazem ruído ou alguma oscilação quando trava, se a distância de travagem aumentou ou não e veja se as próprias pastilhas estão com uma espessura acima do limite mínimo definido pelo fabricante e se estiverem próximo do mesmo, não hesite e troque as pastilhas.

Discos
Veja também o estado do disco de travão. Esteja atento aos mesmos sintomas das pastilhas enquanto conduz (ruídos, vibrações) e numa inspeção visual veja se os discos não perderam muita da sua espessura original.

Limpeza
Tanto as pastilhas como os discos de travão devem ser limpos com alguma regularidade de forma a remover impurezas e manter a eficácia máxima destes componentes. Assim deve utilizar um spray específico para limpeza de discos e pastilhas. Retire as pastilhas e aplique este produto. Deixe atuar algum tempo e limpe as pastilhas com uma escova ou um pincel para retirar a sujidade e volte a montar as pastilhas. Com os discos a limpeza é em tudo semelhante. Aplique o spray, deixe o produto atuar na sujidade e depois remova-a com uma escova ou pincel. No final limpe com um pano para recuperar o brilho dos discos e remover algumas impurezas que possam ainda ter resistido ao tratamento.

Continuar a ler

Motos

Mercado de motociclos cai 5,2% em 2020

Published

on

Num ano marcado pelos efeitos da pandemia do vírus Covid-19, o mercado nacional de vendas de motociclos registou uma queda de 5,2% face ao ano de 2021.



Segundo os dados revelados pela ACAP, Associação Automóvel de Portugal, foi vendido um total de 32.097 unidades, entre ciclomotores, motociclos, triciclos e quadriciclos, sendo que a maior fatia das vendas foi de motociclos com uma cilindrada até 125 cc (15.830 unidades).

É certo que estamos perante uma queda nas vendas após vários anos em que o mercado vinha a registar um sólido crescimento, mas considerando as vicissitudes de um ano tão atípico e comparando, por exemplo, com os resultados das vendas do mercado automóvel que registou uma queda de 33,9%, então o sector das motos até teve um comportamento “menos mau”.

Uma das razões para esta queda não ter sido mais acentuada pode ter a ver com o facto de neste período de pandemia a moto ter surgido como um meio de transporte de certa forma mais seguro pois os riscos de contaminação pelo novo Coronavírus são menores. Normalmente o motociclista viaja sozinho e além disso o equipamento de segurança que tem de utilizar, nomeadamente o capacete, acaba por funcionar também como proteção face ao contágio.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração