Proteja-se bem na sua moto – Motorguia
Ligue-se connosco

Manutenção Motos

Proteja-se bem na sua moto

Published

on

Andar de moto é uma realidade completamente diferente de andar de automóvel. O motociclista está muito mais exposto a toda a envolvente que o rodeia e consequentemente a todos os riscos que isso acarreta.



Legalmente o único equipamento obrigatório para circular de moto nas nossas estradas é o capacete, mas para andar em duas rodas de uma forma minimamente protegida é necessário muito mais que isso.

Portanto aqui lhe indicamos quais os equipamentos de proteção que o bom senso define como básicos para andar de moto e ter o mínimo de segurança caso o azar lhe bata à porta.

 

Luvas
Logo a seguir ao capacete é um dos elementos mais importantes para o motociclista. Em caso de queda o instinto dita que as mãos são as primeiras a sofrer por isso é determinante que circule com luvas. Estas devem proteger os pulsos, a palma da mão e os nós dos dedos. Certifique-se que quando colocadas ficam por cima do blusão não deixando nenhuma parte do braço junto ao pulso exposta.

 

Blusão
O blusão é fundamental, especialmente se tiver proteção de coluna pois pode fazer a diferença entre uma lesão grave incapacitante ou não. Além disso é o principal protetor dos membros superiores e deve ter proteções para os ombros e cotovelos. Se for em pele melhora a resistência à abrasão e ao mesmo tempo reduz a resistência à deslocação do ar o que favorece o conforto, o que também é importante.

 

Calças
Tal como o blusão, as calças são determinantes para proteger os membros inferiores e devem incluir proteções nos joelhos e na anca. Além disso as pernas são normalmente, em conjunto com as mãos, a parte do corpo que mais sofre numa queda devido ao potencial deslizamento no asfalto causando sérias queimaduras. Por isso as calças devem ser resistentes à abrasão. A título de exemplo umas calças de ganga demoram uns meros 0,4 segundos a rasgar enquanto deslizam no alcatrão.

 

Botas
Sempre que um motociclista pára a sua moto, os pés são a primeira coisa a garantir o equilíbrio, logo a sola das botas deve ser antiderrapante para não escorregar no contacto com o solo. Além disso também é importante que não deslize nas peseiras, seletor e travão da moto. Os tornozelos e o calcanhar são outros pontos sensíveis a lesões e portanto devem ter proteções nessas zonas.

 

Em todos os equipamentos o motociclista deve garantir que se adequam à época do ano em que circula (verão ou inverno) e assegurar-se que são confortáveis pois conduzir com desconforto reduz o foco na condução o que aumenta o risco e diminui a segurança.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Manutenção Motos

Preserve o interior do seu capacete

Published

on

Há vários gestos instintivos que o motociclista tem com o seu capacete que se forem evitados aumentam a longevidade e em simultâneo mantêm por mais tempo os atributos e qualidades do forro do seu capacete.



Há pequenos detalhes e hábitos no dia a dia que o motociclista tem inadvertidamente e que podem afetar as qualidades do interior seu capacete.

Atenção como deixa o capacete

Muitas vezes ao sair da moto o motociclista deixa o capacete pendurado no espelho retrovisor. Além de este poder cair ao chão, ficando danificado, o espelho também estará sujo e quiçá repleto de insetos. Este facto não ajuda nada na higiene do forro do capacete. Apesar das marcas utilizarem em muitos casos forros antibacterianos, abusar da quantidade de sujidade que colocamos no interior do capacete não vai ajudar nada a que essa ação antibacteriana seja eficaz na manutenção do bom estado do interior.

Por esta mesma razão também não deve colocar as luvas dentro do capacete. A sujidade e o suor só vão degradar o estado do forro e além disso a maioria das luvas utiliza um sistema de fecho de velcro. Normalmente este velcro adere ao forro e ao “descolá-lo” para tirar as luvas vamos estar a fazer mais um ligeiro estrago no forro.

Guarde bem o capacete

A forma como guarda o capacete depois de o utilizar é muito importante. De preferência coloque-o num local seco e arejado. Depois de utilizado é normal que o interior esteja húmido por causa do suor e como tal convém que essa humidade não permaneça acumulada degradando o interior do capacete.

Não leve o capacete no braço

um dos hábitos mais comuns dos motociclistas é levarem o capacete no braço depois de o utilizarem, mas isso não é aconselhável porque a pressão do peso no braço pode ir deformando as almofadas laterais do forro e com o passar do tempo o ajuste ideal do capacete à cara do motociclista vai-se perdendo.

Lave bem o forro

Regularmente convém lavar o forro do capacete. A maioria deles é removível e pode ser lavado à mão seguindo as indicações do fabricante. Não deve meter o forro na máquina de lavar nem utilizar os sprays de limpeza de tecidos. São mais fáceis de utilizar, mas na realidade não removem corretamente toda a sujidade que o forro acumula após horas e horas de utilização no capacete.

Continuar a ler

Manutenção Motos

Lave a sua moto corretamente

Published

on

À primeira vista lavar uma moto será mais simples do que lavar um carro, mas isso não é totalmente verdade pois uma moto tem especificidades que não tem um automóvel como por exemplo alguns elementos mecânicos e elétricos importantes que estão mais expostos e menos protegidos.



Para fazer um bom trabalho a limpar a sua moto aqui lhe deixamos algumas dicas de como fazer uma limpeza correta:

Não lave a moto ao sol
Além de ser menos agradável lavar a moto à torreira do sol, também não é bom para a sua máquina de duas rodas. Além de poder haver azares por algum choque térmico com alguns metais que estão quentes por estar ao sol e depois levam com água fria de repente (como os escapes cromados de algumas motos clássicas, por exemplo, em que o cromado pode estalar por causa disto), também pode deixar a moto manchada por esta secar demasiado rápido.

Desengordurar
Na moto muitos dos seus elementos mecânicos estão mais expostos que num carro e por isso é normal que se acumulem películas de sujidade gordurosas como na corrente e na cremalheira por exemplo. Como tal antes de começar a lavar é preciso começar a desengordurar senão toda essa sujidade vai espalhar-se durante limpeza. Assim usando sempre produtos desengordurantes para moto limpe a corrente a cremalheira e todos os elementos onde veja sujidade e gordura acumuladas.

Isole os elementos elétricos
De forma a poder trabalhar mais à vontade isole os elementos elétricos que estão mais expostos para que a água não faça das suas.

Nunca use máquina de pressão
Já nos carros é preciso cuidado com as máquinas de lavagem à pressão, mas nas motos é desaconselhado usar esta solução porque a pressão da água à saída da agulheta pode literalmente “arrancar” os autocolantes e decorações que são mais habituais nas carenagens das motos e que com o tempo perdem resistência e ficam muito mais frágeis, podendo descascar por não aguentarem o impacto da água.

Use apenas produtos para moto
Não utilize os mesmos produtos com que lava o carro para lavar a moto. Como foi dito esta tem mais elementos mecânicos expostos e é uma máquina diferente, por isso merece um tratamento diferente com os produtos corretos. O mesmo pode ser dito em relação a panos ou esponjas que vá utilizar. Opte sempre por soluções adequadas, até porque é um investimento que dura algum tempo e evita que do nada descubra riscos na pintura que apareceram apenas porque o pano usado não era o certo, por exemplo.

Seque bem a moto
Ao contrário das superfícies mais ou menos uniformes e grandes dos painéis de um carro, uma moto está cheia de recantos e concavidades onde a água fica acumulada após a lavagem. Verifique bem estes pontos e seque-os pois assim evita que a água acumulada venha a dar origem a pontos de ferrugem nalgum ponto.

O toque final
Para que o trabalho de limpeza fique bem feito dê uma última camada protetora de cera que irá ajudar a repelir a água da chuva e também a reduzir a aderência da sujidade. Por fim aproveite e lubrifique os elementos habituais como a corrente para ficar com a sua moto num brinco e pronta para os próximos quilómetros.

Continuar a ler
Publicidade

Newsletter

Em aceleração