Ligue-se connosco

Avaliações Usados

BMW Série 1 (2011-2019)

Published

on

A segunda geração do BMW Série 1 melhorou alguns aspetos do primeiro modelo, sendo a melhoria do conforto que se faz sentir a bordo aquele que mais se destaca. Isso teve os seus custos mas no geral como produto esta geração está melhor que a anterior.



Após o bom sucesso do primeiro Série 1 a BMW não revolucionou, mas focou a atenção nalguns dos seus pontos menos fortes para tornar o Série 1 numa proposta mais equilibrada e adequada ao seu público. Mexendo nas suspensões conseguiu um patamar de conforto bem mais satisfatório que na geração anterior que se revelava muito dura em mau piso.

O comportamento dinâmico não está tão incisivo como era no primeiro Série 1, mas ainda assim continua bastante eficaz e nalguns casos divertido. As prestações mantêm-se num bom nível e nas versões Diesel os consumos são um dos seus pontos fortes.

No interior os materiais estão também melhores e a posição de condução é envolvente. A habitabilidade traseira também foi alvo da atenção da marca e está um pouco mais generosa, mas ainda assim continua algo acanhada.

Este Série 1 mantém a sua aura premium, mas isso penaliza-o nos custos de manutenção e um pouco no seu preço, especialmente se considerarmos o equipamento de série que oferece e que não é dos mais vastos do segmento.

Motores
Como é hábito nos modelos da BMW a gama de motores disponível é vasta. Neste caso começa com as propostas a gasolina e é composta pelo 114i de 102 cv, o 116i de 109 e 136 cv, o 118i de 136, 170 e 177 cv, o 120i de 184 cv, o 125i de 218 e 224 cv, os seis cilindros 135i de 320 e 326 cv e 140i com 340 cv.

Nos preferidos Diesel a oferta é composta pelo 114d com 95 cv, 116d com 116 cv, 118d com 143 e 150 cv, 120d com 184 e 190 cv e por fim o 125d com 218 e 224 cv de potência máxima. Em qualquer um destes motores salientam-se os seus baixos consumos, até no 125d que segundo a BMW consegue valores médios abaixo dos 5.0 l/100km.

Principais avarias e problemas
Os motores Diesel apresentaram problemas de distribuição nos modelos construídos até 2015. A bomba de água também pode revelar falhas no seu funcionamento, o mesmo se pode dizer também sobre a válvula EGR.

Em termos eletrónicos esta geração do Série 1 pode exibir anomalias no sistema de navegação GPS, causar o acendimento de luzes no painel de instrumentos sem que haja justificação para tal e a própria climatização pode não funcionar de forma linear e regular.

O motor da direção assistida pode ter falhas. A própria cremalheira pode ter de ser substituída se uma simples reprogramação não for suficiente para solucionar o problema.

BMW Série 1 (2011-2019)
7.1 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Consumos
Prestações
Comportamento dinâmico
Contras
Preço
Equipamento
Habitabilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção6
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico8
Performance7.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações Usados

Skoda Fabia (2007-2014)

Published

on

Sempre sóbrio e racional, o Skoda Fabia sempre foi uma boa proposta no segmento dos utilitários e esta segunda geração lançada em 2007 não foge à regra representando uma melhoria natural face ao antecessor, refinando alguns dos seus pontos fortes.



Com uma boa qualidade de construção para o segmento, este Fabia mantém uma excelente habitabilidade e uma bagageira generosa com os seus 300 litros de capacidade.

O seu interior é sóbrio, talvez até demasiado, mas é funcional com uma boa distribuição de vários espaços de arrumação. Bem equipado este modelo checo oferece também uma boa posição de condução e um bom conforto já que a suspensão faz um trabalho eficaz na supressão das irregularidades do piso. Infelizmente a insonorização não é das melhores o ruído dos motor, especialmente nos modelos Diesel, entra com alguma facilidade no habitáculo.

Dinamicamente este Fabia é muito fácil de conduzir em circuito urbano e revela-se um modelo previsível, com uma boa eficácia na forma como a suspensão controla os movimentos da carroçaria, mas a sua direção é pouco informativa, mostrando-se algo vaga na interação com o condutor.

Motores
A oferta de motores é vasta começando nas unidades a gasolina 1.2 de 60 e 70 cv, 1.2 TSI de 85 e 105 cv, 1.4 de 85 cv, 1.4 TSI de 180 cv e o 1.6 de 105 cv. Nas propostas Diesel a Skoda inclui o 1.2 TDI de 75 cv, o 1.4 TDI de 70 e 80 cv, o 1.6 TDI de 75, 90 e 105 cv e o 1.9 TDI de 105 cv, sendo que estas unidades têm a vantagem de apresentarem consumos reduzidos e boas prestações, pena que sejam algo ruidosas.

Principais avarias e problemas
Nos modelos equipados com os motores Diesel 1.2 e 1.6 foram detetadas perdas de potência causadas por falhas na válvula EGR.

Houve casos de algumas unidades que apresentaram problemas na caixa de velocidades que revelaram anomalias na sincronização.

Skoda Fabia (2007-2014)
6.9 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Qualidade de construção
Contras
Direção vaga
Insonorização
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Nissan Micra (2003-2011)

Published

on

O Nissan Micra sempre foi um utilitário simples e cumpridor das suas funções e esta geração não foge à regra. Rompeu esteticamente com o seu antecessor, mas sem perder as formas arredondadas, acabando por ganhar um aspeto mais jovial e irreverente.



Muito fácil de conduzir graças a uma direção leve, um bom diâmetro de viragem e uma excelente visibilidade, o Nissan Micra oferece uma posição de condução equilibrada e um bom espaço para os ocupantes dos bancos dianteiros. O mesmo já não se aplica aos bancos traseiros onde o espaço não é muito generoso.

A bagageira também não é das maiores apresentando apenas 251 litros de capacidade. O ambiente a bordo é muito racional com um nível de montagem razoável dos vários painéis.

O conforto sai algo penalizado por uma insonorização que não está muito bem conseguida, mas é algo que incomoda mais nas grandes viagens do que em cidade onde este Micra está realmente no seu habitat natural.

Motores
Os motores que equipam este pequeno japonês revelam-se perfeitamente enquadrados com as necessidades do circuito urbano com boas prestações e consumos comedidos. A gama começa pelas propostas a gasolina que incluem o 1.2 com 65 e 80 cv e o 1.4 com 88 cv. Já na alternativa Diesel o motor 1.5 dCi de origem francesa preenche a oferta nas suas versões de 65, 68, 82 e 86 cv de potência.

Principais avarias e problemas
Alguns modelos equipados com os motores a gasolina revelaram falhas na aceleração que são resolvidas com uma simples reprogramação. Os discos de travão podem revelar um desgaste prematuro.

Certas unidades tiveram de substituir elementos no banco do condutor já que este não mantinha a posição previamente ajustada. Foram ainda detetadas algumas anomalias no funcionamento do fecho centralizado causadas por um mau contacto fácil de solucionar.

Vários modelos produzidos após 2008 foram alvo de um recall (em 2014) para solucionar uma possível falha no disparo do airbag.

Nissan Micra (2003-2011)
6.7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Visibilidade
Simplicidade
Facilidade de condução
Contras
Capacidade da bagageira
Habitabilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção7
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Mercedes Classe C (2014-…)

Published

on

A Classe C é uma das linhagens mais bem sucedidas da Mercedes e durante muitos anos representou o modelo de entrada no universo da marca de Estugarda, sendo que ainda hoje podemos considerar que é o primeiro Mercedes da gama a personificar a escolha pelo familiar com um toque executivo e exclusivista.



Mantendo sempre umas linhas sóbrias como é apanágio da Classe C e E da Mercedes, esta geração está um pouco mais elegante graças à fluidez das suas formas e a uma grelha omnipresente na dianteira dando-lhe um pouco mais de caráter face aos seus antecessores.

No interior o desenho é um pouco mais arrojado com uma referência especial às saídas de ventilação que se destacam num habitáculo onde pontificam os materiais de boa qualidade e uma construção que não merece reparos, o que dá uma boa sensação de solidez como é habitual na marca alemã.

Com uma boa habitabilidade esta geração do Classe C oferece um bom conforto, tanto nos circuitos citadinos onde é habitual confrontar-se com mau piso como nas viagens mais longas em auto-estrada.

Marcadamente premium, este Mercedes não surge no mercado com um dos preços mais atrativos, apesar do bom equipamento de série atenuar esse facto. os seus custos de manutenção também não são dos mais meigos para a carteira.

Motores
O Mercedes Classe C oferece uma vasta gama de motores que começa com as opções a gasolina com o 160 de 129cv, passando para o 180 com 156 cv, o 200 com 184 cv, o 250 com 211 cv e o 300 com 245 cv.

Nas opções a gasóleo este Classe C conta com o 180d de 116 e 122 cv, o 200d com 136 e 160 cv, o 220d com 170 e 194 cv, o 250d com 204cv. Qualquer um destes motores apresenta um bom equilíbrio entre prestações e consumos.

Está ainda disponível a versão híbrida 300h capaz de debitar uma potência máxima de 231 cv.

Principais avarias e problemas
Os primeiros modelos produzidos do 220d e 250d exibiram alguns problemas no turbo. Foram também registados alguns casos de falhas nos tensores da corrente de distribuição. A versão 300h também revelou algumas anomalias no motor que podem levar à sua imobilização.

Os sensores de estacionamento podem apresentar problemas no seu funcionamento e o sistema Start&Stop pode revelar-se algo caprichoso. A caixa de velocidades 7G-Tronic não está isenta de falhas que podem ser solucionadas com uma simples reprogramação ou então com a substituição das juntas.

A embraiagem pode apresentar um desgaste prematuro obrigando à sua substituição e a direção assistida também pode evidenciar alguns ruídos.

Mercedes Classe C (2014-...)
7.2 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Qualidade dos materiais
Contras
Preço
Custos de manutenção
Fiabilidade7
Custos de manutenção6
Desvalorização7.5
Qualidade dos materais8
Habitabilidade e bagageira7
Segurança7.5
Conforto7.5
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração