Toyota Auris (2007-2013) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Toyota Auris (2007-2013)

Published

on

Sucessor do emblemático Corolla, o Auris veio de certa forma trazer a estética do bem sucedido Yaris ao segmento dos pequenos familiares. As expetativas eram altas, mas a Toyota apostou numa solução que embora não não provoque paixões arrebatadoras é muito racional e cumpridora.

Esta primeira geração do Auris foi desenvolvida com o foco na eficácia, ou seja não sendo entusiasmante ela cumpre com o que se espera de um modelo deste segmento. O espaço interior e a bagageira são ambos generosos, o seu conforto está num bom nível, merecendo especial destaque a sua insonorização, mesmo nas versões Diesel.

Infelizmente os materiais utilizados, apesar de revelarem um bom nível de montagem o que contribui para uma boa sensação de solidez, não são propriamente dos mais agradáveis à vista e ao toque.

Em estrada o Auris é um bom companheiro de viagem com uma suspensão que assegura o conforto em qualquer piso e ao mesmo tempo garante um bom controlo dos movimentos da carroçaria, mas nunca chega a entusiasmar quem vai ao volante. A sua direção é leve, o que facilita as manobras citadinas, mas é muito vaga e pouco informativa.

Motores
O Auris possui uma gama de motores adequada e que começa com as versões a gasolina, nomeadamente com o 1.4 VVT-i com 97 e 101 cv de potência, seguindo-se o 1.6 VVT-i com 124 e 132 cv.

Já no universo Diesel a oferta é composta pela família D-4D com as unidades 1.4 com 90 cv, a 2.0 com 126 cv e a mais potente 2.2 com 177 cv de potência. São motores comedidos nos consumos e com uma boa resposta ao acelerador.

Principais avarias e problemas
Os motores D-4D podem revelar algumas fugas de líquido de refrigeração e a partir de 2010 também foram registados casos de algumas unidades com perdas de potência.

O Auris sofreu algumas chamadas à assistência por causa de falhas no pedal do acelerador nos modelos produzidos até Janeiro de 2010 e também para substituir um elemento da suspensão no eixo traseiro nos modelos que saíram da fábrica entre 2007 e 2011.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Avaliações Usados

Audi TT (2014-…)

Published

on

Nesta terceira geração o Audi TT atingiu a sua maturidade, tanto em termos de design, como em termos de caráter, tirando partido de uma nova plataforma que faz deste pequeno coupé um modelo bem eficaz e divertido de conduzir.



Mantendo a raiz da sua silhueta original, arredondada e fluída, este Audi TT está bem mais apurado em termos de design, com especial destaque para o interior. O habitáculo oferece um desenho moderno, cativante e muito funcional, ao qual associa uma excelente posição de condução e uma qualidade de construção e dos próprios materiais utilizados que o coloca num patamar elevado. É um carro claramente desenhado para quem vai ao volante com tudo no local certo, toda a informação acessível, deixando o que o foco do condutor se centre apenas na condução.

Os bancos de trás são praticamente simbólicos. Incluem ISOFIX para cadeiras de criança, mas o espaço disponível é muito escasso e obrigará a uma certa ginástica para colocar uma cadeira nos bancos de trás, por exemplo.

O conforto é bom, mas não impressiona. Sentem-se alguns ruídos aerodinâmicos e a firmeza da suspensão faz com que nalgumas situações se sinta em demasia as irregularidades do piso como as faixas de dilatação das auto-estradas, por exemplo.

Por outro lado, essa firmeza da suspensão, associada a uma direção precisa e informativa e a uns comandos de resposta rápida são alguns dos fatores que fazem deste TT um coupé muito eficaz dinamicamente, divertido e que pede por estradas exigentes, de preferência com boas paisagens em redor.

Motores

A oferta de motores do Audi TT começa com as unidades a gasolina 1.8 TFSi com 180 cv e 2.0 TFSI nas suas versões de 230 e 310 cv. Este coupé tem ainda uma versão com o motor Diesel 2.0 TDI com 184 cv de potência, revelando-se a mais simpática nos consumos, com médias em torno dos 4,2 l/100 km, mas menos entusiasmante que os seus “irmãos” a gasolina, especialmente os equipados com o motor de 2.0 litros.

Principais avarias e problemas

Os modelos equipados com os motores a gasolina de 12.8 e 2.0 litros podem revelar perdas de potência devido a falhas no turbo e também podem ter alguns problemas de estanquicidade no sistema de lubrificação que levam a algumas fugas de óleo.

Já o motor 2.0 TDI pode começar a fazer algum ruído devido a um tensor da correia de distribuição e a bomba de água também pode começar a apresentar anomalias no seu funcionamento

A caixa S-Tronic pode ter fugas de óleo que podem levar à substituição de vários elementos da mesma. A luz da direção pode acender alertando para um problema, algo que é resolvido com uma simples reprogramação.

Audi TT (2014-...)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Qualidade
Desenho do interior
Comportamento dinâmico
Contras
Firmeza da suspensão
Habitabilidade traseira
Fiabilidade6
Custos de manutenção5.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais8
Habitabilidade e bagageira6
Segurança6.5
Conforto6
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Ford Fiesta (2008-2017)

Published

on

Aquela que é a sexta geração de um dos modelos com maior longevidade da Ford, o Fiesta, marca uma rutura estática com os anteriores, surgindo com linhas mais fluídas e dinâmicas.



Mantendo um dos atributos que o Fiesta sempre apresentou, o seu bom comportamento dinâmico, esta geração continua a ser uma proposta muito equilibrada para quem procura um modelo deste segmento que se revela fácil de conduzir, mas também oferece alguma diversão.

Com uma direção leve, mas informativa e precisa, este Fiesta mostra-se um bom companheiro em ambiente urbano e a firmeza quanto baste da sua suspensão faz dele um modelo também divertido quando as curvas se sucedem, sem no entanto prejudicar muito o conforto que se sente no interior quando o piso é mais degradado. Neste plano, o do conforto, a insonorização não joga muito a favor deste Ford já que o ruído do motor é uma presença que podia ser menos evidente.

O habitáculo tem um desenho moderno, lamentando-se apenas a utilização de alguns materiais que não são dos mais nobres e a ergonomia de alguns comandos, nomeadamente os da consola central, que exigem alguma habituação para se tornarem intuitivos. Este Fiesta oferece um bom espaço interior, tanto para quem vai nos bancos da frente como para os passageiros dos bancos traseiros. A bagageira é boa com os seus 281 litros, mas apresenta um plano de carga algo elevado.

Motores

A oferta de motores é vasta e começa com as unidades a gasolina de 1.0 litros EcoBoost com 100 cv, 1.25 com 60 e 82 cv, 1.4 16V com 97 cv e o mais potente 1.6 EcoBoost com 200 cv. Já nas opções Diesel este Fiesta conta com o 1.4 TDCi com 69 cv, o 1.5 TDCi com 75 cv e o 1.6 TDCi com 95 cv. Estas mostram-se as opções mais apelativas graças aos consumos reduzidos e às boas prestações que apresentam.

Principais avarias e problemas

Os modelos equipados com o motor a gasóleo 1.4 TDCi podem apresentar irregularidades no ralenti, o que pode ser resolvido com uma reprogramação. Nas unidades com esta motorização produzidas até dezembro de 2012 podem surgir casos de um ruído de motor exagerado e algum cheiro a combustível devido a anomalias nas juntas dos injetores. O motor 1.6 TDCi pode exibir perdas de potência com origem no turbo o que pode levar à sua substituição.

O pedal de embraiagem pode começar a ranger, o que é facilmente resolvido com lubrificação. O capot pode exibir dificuldades na abertura devido a problemas no cabo do fecho. A climatização pode perder potência no seu funcionamento levando a uma reprogramação e à substituição de alguns elementos elétricos.

Ford Fiesta (2008-2017)
6.5 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Habitabilidade
Facilidade de condução
Comportamento dinâmico
Contras
Ergonomia
Insonorização
Fiabilidade6
Custos de manutenção7
Desvalorização6
Qualidade dos materais6
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança6.5
Conforto6
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Publicidade

Newsletter

Ultimas do Fórum

  • por Alvaro20005498
    Olá, tenho uma peugeot 407 sw e os sensores de estacionamento traseiros deixaram de dar sinal (bipp). Mas quando estou a fazer marcha atrás reparo...
  • por PeLeve
    ... umas vezes o PS, outras o PSD? Nem seria preciso, mas estive a consultar os resultados eleitorais desde 1974 até ao resultados mais actuais...
  • por PeLeve
    Mal amada, "devalorizada", "estigmatizada" como "zona de comunistas", a margem sul do Tejo tem sitemática e historicamente sido relegada para as...
  • por Prk1996
    Bom dia Depois da meter um turbo recondicionado o carro ficou a fazer-me consumos a volta de 12l / 100 km Carro trabalha bem e não treme....

Em aceleração