Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Mercedes ML (2005-2012)

Published

on

A segunda geração do Mercedes ML representa um claro amadurecimento do conceito SUV por parte do construtor alemão o que resulta numa modelo com mais argumentos face ao seu antecessor.

Mais vocacionado para a estrada do que para algumas escapadelas fora dela, a segunda geração do Mercedes ML apresenta um conforto assinalável. A qualidade dos materiais e da montagem melhorou no seu habitáculo que se mostra muito espaçoso para os seus ocupantes.

A posição de condução elevada é boa e a visibilidade também, o que torna as manobras diárias numa tarefa simples, até porque o ML apresenta uma boa brecagem. A suspensão privilegia claramente o conforto, graças à sua suavidade, em detrimento de alguma acutilância dinâmica, algo que também não se espera de uma proposta desta natureza.

De raiz claramente premium, estamos perante um modelo que não é barato na compra e cujos custos de manutenção também não são baratos. Em compensação a desvalorização desta geração do Mercedes ML também é menor.

A sua bagageira é uma das maiores do segmento pelo que não há que temer quando uma viagem maior exigir mais espaço para malas e outros objetos.

Motores

A gama de motores a gasolina começa com o 350 com 272 cv, passando para o 500 com 388 cv e no mais desportivo 63 AMG com 500 cv.

No campo das propostas a gasóleo o leque de escolhas é vasto e começa no 280 CDI com 190 cv, havendo ainda o 300 CDI com 204 cv, o 320 CDI com 211 cv, o 350 CDI com 224 cv e os 420 CDI e 450 CDI com 306 cv de potência.

Principais avarias e problemas

Em termos mecânicos o ML mostra-se um modelo genericamente fiável e apenas foram registadas algumas falhas na bomba de alta pressão dos motores 280 CDI e 300 CDI e nos injetores, algo extensível aos outros motores Diesel.

Em 2011 houve uma chamada à assistência devido a uma fuga no filtro de combustível.

Foram reportados alguns problemas nas caixas de velocidades que equipam os modelos CDI e a direção assistida pode apresentar um ponto de resistência no movimento do volante ou até um ruído.

Mercedes ML (2005-2012)
7.4 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Qualidade
Habitabilidade
Contras
Preço
Custos de manutenção
Fiabilidade7.5
Custos de manutenção6
Desvalorização7.5
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira8
Segurança8
Conforto7.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7
Performance7.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações Usados

Hyundai i30 (2007-2012)

Published

on

A Hyundai foi uma das primeiras marcas coreanas a conquistar o mercado europeu pela racionalidade e fiabilidade dos seus modelos. Com um rigor inspiradamente nipónico na forma de construir automóveis mas com preços bem mais acessíveis, os modelos da Hyundai foram marcando posição e o i30 é um bom exemplo do que a indústria coreana tinha para oferecer na altura em que foi lançado.

A primeira geração do i30 marca um passo em frente da Hyundai após o racional sucesso conseguido com o Accent que durante anos foi conquistando o seu espaço no mercado.

Com uma relação entre preço e equipamento muito competitiva, o i30 oferece um bom espaço interior e uma boa qualidade de construção, apesar da qualidade dos plásticos deixar algo a desejar.

Confortável quanto baste e suficientemente eficaz dinamicamente, o i30 faz tudo bem, mas não deslumbra e ao volante acaba por transmitir a mesma sensação que temos quando olhamos para ele: é um pequeno familiar competente, mas que não cativa por ter uma personalidade exuberante. A sua estética não provoca grandes emoções.

Ele convence na componente da análise racional inerente à compra de um veículo automóvel pois cumpre, é acessível, fiável e na altura a sua garantia mecânica de cinco anos também ajudou muitos a optar pela compra do i30 e para rematar, em média, os custos de manutenção não são exagerados.

Motores
Quase reflexo da sua racionalidade, o i30 oferece uma gama de motores muito simplificada com o motor 1.4 a gasolina de 109 cv de potência e os dois blocos Diesel CRDi, o 1.6 com 115 cv e o 2.0 com 140 cv. Ambos suficientes para as necessidades do i30 em termos de prestações e com consumos muito interessantes, mais uma vez reforçando o caráter racional deste coreano. O único senão é o facto de serem um pouco ruidosos.

Principais avarias e problemas
Com uma mecânica comprovada e fiável, o i30 só apresenta alguns problemas de menor importância no campo dos motores como uma ligeira perda de potência nos motores 2.0 CRDi por causa da válvula EGR ou um sistema Start & Stop que pode ter anomalias no seu funcionamento no motor 1.4 a gasolina.

Alguns modelos foram chamados ao concessionário para retificar uma falha na direção assistida e pode haver uma certa tendência para descarregar a bateria mais cedo do que o esperado.

Hyundai i30 (2007-2012)
7.1 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Equipamento
Fiabilidade
Habitabilidade
Contras
Alguns materiais
Estetica pouco apelativa
Fiabilidade7.5
Custos de manutenção7.5
Desvalorização7
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7.5
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Land Rover Freelander (2006-2015)

Published

on

Ao lançar o Freelander, a Land Rover criou o modelo de acesso ao universo da marca, um pequeno todo-o-terreno com ADN de SUV que conquistou o mercado e representou um grande sucesso para a marca britânica que com esta segunda geração subiu a fasquia tornando o Freelander num produto um pouco mais premium.

Não revolucionando muito numa estética que conquistou o público, a Land Rover apostou mais na melhoria do interior do Freelander claramente inspirado nos seus irmãos de maior porte como o Discovery e até o Range Rover Sport, o Freelander oferece um ambiente muito mais refinado que o antecessor, mas ainda conta com alguns plásticos menos apurados.

O espaço para os ocupantes é muito bom e a habitabilidade não será um problema. A posição de condução elevada é boa e os vários comandos estão bem posicionados. A bagageira por seu turno não é das maiores do segmento.

O conforto é uma constante com este Land Rover a exibir um bom trabalho da suspensão neste capítulo, superando facilmente as irregularidades do piso. Apesar de ser eficaz em traçados mais sinuosos, o facto da afinação da suspensão estar mais vocacionada para o conforto acaba por não controlar na perfeição os movimentos da carroçaria, mas não é nada dramático.

Algo que joga a favor do Freelander é a sua versatilidade já que este pequeno todo-o-terreno pode levar os seus ocupantes a inúmeros destinos além do asfalto sem problemas de maior nem exigindo grandes conhecimentos aventureiros por parte de quem vai ao volante.

Motores
Os motores disponíveis no Freelander são maioritariamente Diesel começando pelo 2.2 eD4 e Td4 com 150 cv (eD4 na versão de tração dianteira e Td4 para a versão de tração integral) e o sD4 com 190 cv.

A oferta a gasolina não é a mais procurada, mas o Freelander também conta com o motor de seis cilindros em linha 3.2 com 233 cv e o quatro cilindros Si4 com 240 cv, mas são modelos muito raros de encontrar.

Principais avarias e problemas
Os Freelander 2.2 Td4 iniciais tiveram de regressar ao concessionário para um reprogramação do sistema de gestão, mas não há registo de mais anomalias complexas no campo das motorizações.

Os modelos equipados com teto de abrir podem apresentar falhas no funcionamento do comando o que obriga a uma afinação do sistema.

Foram reportados casos de uma descarga prematura da bateria e nalguns modelos podem haver falhas de estanquicidade ao nível das portas.

Land Rover Freelander (2006-2015)
6.9 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Versatilidade
Habitabilidade
Contras
Alguns materiais
Custos de manutenção
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7
Conforto7.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Volvo S80 (2006-2016)

Published

on

Sóbrio e elegante ao melhor estilo sueco e focado no conforto dos ocupantes, é assim que se apresenta o S80, a berlina de topo da marca nórdica na altura do seu lançamento.

A Volvo sempre foi uma das principais marcas a fazer frente à armada alemã no segmento premium das berlinas e o S80 foi uma das principais armas nessa luta fazendo valer a sua imagem de segurança associada a um excelente conforto.

Com um habitáculo espaçoso e um desenho do interior muito racional, funcional e equilibrado, o S80 oferece um bom nível de equipamento de série e apresenta uma boa qualidade de materiais e um elevado cuidado na montagem dos vários painéis.

A posição de condução é excelente e uma vez ao volante sente-se bem o conforto que o S80 oferece, fruto de uma suspensão suave e que só sai beliscado pelo surgimento de alguns ruídos aerodinâmicos a velocidades mais altas.

Com o foco no conforto este Volvo mostra-se demasiado filtrado nas suas reações e a própria plataforma aparenta não estar à altura de algumas das motorizações mais potentes.

Motores

A oferta de motores do S80 é muito vasta e isso justifica-se também pelo seu longo tempo de comercialização no mercado. Assim nas unidades a gasolina este Volvo conta com o 2.0T com 180 cv, o 1.6 T4 também com 180 cv, o 2.5T com 200 cv, o 2.0 T5 com 240 cv, o seis cilindros 3.0 T6 com 304 cv e o 4.4 V8 com 315 cv de potência.

Já no universo a gasóleo o S80 está equipado com o 1.6 D2 de 115 cv, o 2.0D de 132 cv, o 2.0 D3 de 163 cv, o 2.0 D4 de 181 cv, o 2.4D de 175 cv e o 2.4 D5 de 205 cv. Estes motores mostram-se algo ruidosos a regimes mais elevados.

Principais avarias e problemas
De um modo geral o Volvo S80 não apresentou ao longo do seu historial grandes problemas mecânicos com os seus motores, revelando-se muito fiável neste capítulo.

Alguns modelos equipados com arranque sem chave apresentaram algumas disfunções eletrónicas causando o acendimento das luzes ou o disparo do alarme por exemplo.

No caso dos S80 equipados com a caixa automática e que foram produzidos entre 2011 e 2013 pode ser necessária uma reprogramação da mesma.

Volvo S80 (2006-2016)
7.3 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Qualidade
Habitabilidade
Contras
Insonorização
Eficácia dinâmica
Fiabilidade7
Custos de manutenção6
Desvalorização7.5
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira8
Segurança8
Conforto7.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Para ler

Newsletter

Em aceleração