Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Audi Q5 (2008-2017)

Published

on

Com o Q5 a Audi propõe um SUV do segmento com aquele toque premium tradicional da marca germânica e a recetividade do mercado não se fez esperar, tendo este Q5 vendido mais de meio milhão de modelos só na Europa desde o seu lançamento, apesar do seu preço refletir o seu gene premium.

Com linhas sóbrias e fluídas no exterior, o Q5 também conquista pelo requinte do seu habitáculo. Com um desenho envolvente e a utilização de bons materiais o ambiente a bordo é requintado e confortável.

A posição de condução é boa e os demais ocupantes do Q5 não terão problemas de espaço no interior. Espaço também é algo que não falta na boa bagageira deste SUV.

Ao volante o Q5 mostra o seu excelente comportamento dinâmico em que a suspensão controla muito bem os movimentos da carroçaria e a direção se mostra direta e informativa. No entanto a firmeza da suspensão acaba por penalizar um pouco o conforto que se sente a bordo.

Motores

Naturalmente as versões Diesel são as mais procuradas e o Q5 surge no mercado equipado com o motor 2.0 TDI nas versões de 143 cv, 150 cv, 170 cv, 177 cv e 190 cv e ainda o mais potente V6 3.0 TDI com 245 cv, 278 cv, 313 cv e o expoente máximo SQ5 Quattro Tiptronic com 343 cv. Todos estes motores exibem boas prestações sendo as propostas com o motor de quatro cilindros 2.0 TDI as mais equilibradas pois são também as mais poupadas em termos de consumos.
A gama de motores a gasolina é composta pelos motores 2.0 TFSI com 188 cv, 210 cv e 225 cv de potência, pelo 3.2 V6 FSI com 270 cv e ainda pela solução híbrida 2.0 TFSI Hybrid com 245 cv.

Principais avarias e problemas

Os motores 2.0 TFSI exibem algum consumo de óleo além do esperado. Todos os motores TDI revelam alguma fragilidade no turbo. Nos modelos produzidos até 2011 ocorreram casos de entupimento do filtro de partículas devido a falhas nos sensores de pressão. Nas motorizações 2.0 TDI ocorreram fugas de líquido de refrigeração devido a juntas algo frágeis (na bomba de água e na válvula EGR).

Alguns casos de fugas de óleo na caixa de dupla embraiagem STronic. São recorrentes os acendimentos de luzes de aviso no painel de instrumentos sem que no entanto haja justificação para o alerta. O sistema multimédia também pode apresentar falhas que são normalmente resolvidas com uma reprogramação, mas podem levar à substituição da parte eletrónica do sistema.

Audi Q5 (2008-2017)
7.3 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Desvalorização
Ambiente a bordo
Comportamento dinâmico
Contras
Preço
Suspensão firme
Custos de manutenção
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6
Desvalorização8
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança8
Conforto7
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico7.5
Performance7.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações Usados

Peugeot RCZ (2010-2015)

Published

on

Com o RCZ a Peugeot surpreendeu tudo e todos ao colocar em produção o protótipo do pequeno coupé desportivo que havia apresentado no Salão de Frankfurt, praticamente sem grandes alterações estéticas.

A aposta da marca francesa num modelo de caráter mais desportivo deu frutos com o RCZ que cativou muitos com a sua estética. Com base na plataforma do 308, este coupé surgiu com um preço convidativo graças à sua gama de motores que incluía uma unidade de 1.6 litros a gasolina.

Com uma envolvente posição de condução graças aos bons bancos dianteiros, o RCZ oferece ainda mais dois lugares atrás, mas pode dizer-se que praticamente são apenas para crianças pois o espaço disponível é diminuto.

Com a mesma distância entre eixos que o 308, mas com vias mais alargadas e uma menor altura ao solo o RCZ exibe um comportamento dinâmico que entusiasma e cumpre com a promessa desportiva que as suas linhas sugerem, garantindo bons momentos de condução para quem vai aos comandos.

Motores

Os motores que equipam o RCZ começam no 1.6 THP a gasolina com 156, 200 e 270 cv, sendo a versão de 200 cv aquela que é mais equilibrada entre prestações e preço, no entanto o 1.6 THP de 156 cv é a opção responsável pelo preço acessível com que o RCZ surgiu no mercado.

Para quem valorize os consumos e a autonomia, há ainda uma opção Diesel com o 2.0 HDI de 163 cv que lhe garante um bom equilíbrio entre prestações e consumos.

Principais avarias e problemas

A correia de distribuição do motor 1.6 THP pode originar alguns ruídos. Há ainda a possibilidade de serem detetadas perdas de potência e foram registados casos de problemas com a bomba de alta pressão.

As versões equipadas com o motor 2.0 HDI podem revelar algumas perdas de potência e anomalias no arranque.

Devido a alguns problemas com a embraiagem as passagens de caixa podem tornar-se difíceis nos modelos produzidos até Junho de 2013.

Peugeot RCZ (2010-2015)
7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço
Estética
Comportamento dinâmico
Contras
Custos de manutenção
Habitabilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção6
Desvalorização7
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira6
Segurança7.5
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico8
Performance7.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Citroën DS4 (2011-2015)

Published

on

Com a aposta nos modelos da família DS, a Citroën lançou um conjunto de propostas com um posicionamento mais premium, recuperando a imagem de requinte e de prestígio do mítico DS de outrora.

O DS4 foi um dos primeiros representantes do gene DS da Citroën e de imediato se percebe que a marca francesa deu forte prioridade à estética, criando um modelo com linhas muito próprias, fluídas e com caráter.

Contudo, essa aposta tem o seu preço e a habitabilidade ficou algo comprometida nos bancos de trás e a visibilidade para a retaguarda também sai muito penalizada. A posição de condução é boa e o habitáculo reflete a aposta na estética com um desenho moderno e até envolvente composto por materiais de bom nível.

A eficácia dinâmica levou a melhor sobre o conforto com uma afinação da suspensão que favorece uma resposta eficaz aos comandos do condutor, sacrificando algum conforto em mau piso onde a suspensão se revela algo firme.

Motores

A gama de motores começa com as propostas a gasolina compostas pelas unidades 1.6 VTi com 120 cv, Puretech 130 com 130 cv e os 1.6 THP com 156, 160, 165, 200 e 210 cv de potência.

Na oferta Diesel o DS4 está equipado com os motores 1.6 e-HDI de 110 cv, 2.0HDI de 135 e 160 cv, o BlueHDI de 100, 120, 150 e 180 cv de potência. Qualquer uma destas propostas tem nos consumos um forte argumento considerando também o próprio rendimento.

Principais avarias e problemas
O motor a gasolina THP de 200 cv pode revelar falhas na bomba de injeção e algumas perdas de potência com origem no turbo. Já o motor Diesel 1.6 HDI pode apresentar anomalias nos injetores e no módulo de gestão da alimentação.

Os pneus tendem a sofrer de um desgaste prematuro e podem surgir vibrações em velocidades mais elevadas ou na travagem decido a um desequilíbrio dos discos de travão. Houve uma chamada à assistência em Dezembro de 2012 para corrigir um mau aperto das rodas nas primeiras unidades.

Foram ainda registadas alguns bugs a nível eletrónico no sistema de GPS, rádio e no sistema de auxílio ao estacionamento.

Citroën DS4 (2011-2015)
7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Estética
Ambiente a bordo
Qualidade interior
Contras
Habitabilidade
Visibilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira6.5
Segurança7.5
Conforto7
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Peugeot 5008 (2009-2016)

Published

on

O Peugeot 5008 foi a aposta da marca francesa no segmento dos monovolumes compactos e surgiu no mercado quando outros nomes, também gauleses, já tinham as suas carreiras bem cimentadas. Ainda assim mostrou-se uma boa aposta.

Com umas linhas sóbrias mas fluídas, o Peugeot 5008 apresenta um interior com um desenho muito envolvente e com um ambiente tecnológico que marcou pontos na altura em que surgiu. A posição de condução é boa e o espaço disponível para os ocupantes também é generoso.

A modularidade está lá como se impõe num modelo desta natureza e apenas se lamenta que a bagageira seja muito pequena quando se opta pela configuração de sete lugares. De um modo geral os materiais utilizados são bons.

Confortável quanto baste, o 5008 revela ainda assim uma suspensão algo firme o que não o favorece quando circula em alguns pisos mais deteriorados. Em compensação essa firmeza garante-lhe um comportamento dinâmico muito eficaz que faz esquecer as suas dimensões e a sua natureza de monovolume, enfrentando qualquer curva com uma excelente compostura.

O seu preço é um pouco mais elevado que o dos concorrentes diretos, o que se explica pelo posicionamento um pouco mais premium da Peugeot, mas em compensação os custos de manutenção são acessíveis.

Motores

Os opções em termos de motores começam nas unidades a gasolina com o 1.6 VTI com 120 cv, o 1.2 Puretech com 130 cv e o 1.6 THP com 156 e 165 cv de potência.

Já nos mais cobiçados modelos Diesel a oferta vai do 1,6 HDI com 110, 112 e 115 cv, passando pelo 1.6 BlueHDI com 120 cv e termina no 2.0 HDI com 150 e 163 cv de potência.

Estas motorizações apresentam um bom rendimento, se levarmos em linha de conta o peso do 5008 e os motores 1.6 HDI revelam uns consumos muito interessantes.

Principais avarias e problemas

Foram registados casos de falhas na distribuição nos motores 1.6 THP e de fugas na bomba de água nos modelos produzidos até Outubro de 2012. Nas unidades Diesel HDI pode ser necessária uma reprogramação do elemento de gestão.

Nos motores HDI de 150 cv foram detetados alguns problemas com a fragilidade dos injetores nalgumas séries produzidas. Os primeiros modelos do 1.6 HDI revelaram algumas fragilidades no turbo, na correia de distribuição entre Outubro de 2010 e Outubro de 2011 e nos injetores até Fevereiro de 2014.

Foi feito um recall para corrigir a união do pára-brisas e reforçar a mesma. Forma detetados alguns modelos com problemas no alternador que podem originar diferentes falhas elétricas.

Ao nível da direção também surgiram anomalias com a direção com um mau funcionamento da bomba da direção e por vezes a necessidade de substituir a cremalheira. Os pneus e os amortecedores podem apresentar um desgaste prematuro.

Peugeot 5008 (2009-2016)
7.2 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Versatilidade
Habitabilidade
Comportamento dinâmico
Contras
Preço
Suspensão firme
Fiabilidade7
Custos de manutenção7
Desvalorização7
Qualidade dos materais7
Habitabilidade e bagageira7.5
Segurança7.5
Conforto7
Consumo combustível7.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Para ler

Newsletter

Em aceleração