Dacia Logan (2012-2017) – Motorguia
Ligue-se connosco

Avaliações Usados

Dacia Logan (2012-2017)

Published

on

Não é um carro sedutor, não tem uma qualidade acima da média, mas cumpre com as funções de familiar, oferecendo espaço interior amplo e consumos muito económicos baseados nos motores fornecidos pela Renault a este fabricante romeno.

O Dacia Logan já vai na segunda geração, renovada em 2017, sendo que a primeira cumpriu com as necessidades de muitas famílias que procuravam uma carrinha de preço acessível. Os taxistas também adoram este modelo e encheram as praças das grandes cidades com muitas unidades.

O desenho tanto exterior como interior não é dos mais cativantes e tenta valer os seus argumentos pela simplicidade e arrumação dos comandos e botões. Não tem um nível de equipamento muito elevado (nem podia, pelo preço baixo), no entanto vem equipado com o necessário para uma utilização diária e intensa.

A habitabilidade é o seu forte. Espaço interior amplo e bagageira generosa são pontos fortes, até mesmo na versão de quatro portas (sedan). Os materiais que revestem o interior, em espacial os plásticos é que não vão resistir muito tempo aos ruídos parasitas.

Motores

A gama de motores é curta e tenta seguir a estratégia de preço baixo. O 1.2 16v de 75 cv a gasolina é o mais acessível e muito procurado para quem não faz muitos quilómetros anualmente. A gasolina existe ainda o 0.9 TCe de 90 cv que também conquistou muitos adeptos.

A oferta Diesel é assegurada pelo “famoso” 1.5 dCi de 75 cv ou com a mesma cilindrada a versão de 90 cv, ambas bastante económicas e mais apontadas a um uso frequente.

Principais problemas e avarias

Pequenos problemas de fiabilidade com os motores 1.2 e 0.9 TCe que foram rapidamente resolvidos nas linhas de produção e durante os períodos de garantia.

As baterias da marca Rombat são de má qualidade e foram montadas até março de 2013, aconselha-se a substituição.

O GPS (Media Nav) funciona mal mesmo depois de reprogramados e não são fáceis de substituir por outra marca. Os motores de limpa-vidros deram muitos problemas durante um longo período.

Dacia Logan (2012-2017)
7.2 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço em novo
Habitabilidade
Motores económicos
Contras
Insonorização
Plásticos interiores
Desvalorização
Fiabilidade7
Custos de manutenção8
Desvalorização5.5
Qualidade dos materais6
Habitabilidade e bagageira8.5
Segurança7.5
Conforto7.5
Consumo combustível8
Comportamento dinâmico7
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avaliações Usados

Peugeot 207 CC (2007-2015)

Published

on

Apesar de não ter tido o mesmo sucesso de vendas que o seu antecessor e pioneiro Peugeot 206 CC, o 207 CC representou um amadurecimento do conceito apresentando uma qualidade geral mais refinada, seguindo o que sucedeu com a própria gama 207, mais apurada do que a gama 206.



Com a polivalência oferecida com a possibilidade de conduzir um coupé ou um cabriolet em função do tempo e dos desejos do condutor, o 207 CC é um dois em um destinado aos apreciadores da condução a céu aberto, mas que não querem os inconvenientes de uma capota de lona. Com a sua capota rígida, em segundos, transforma-se num coupé ou num descapotável com o simples toque de um botão.

Com melhores materiais no interior que o 206, este 207 CC oferece um melhor ambiente a bordo, mas continua com uma habitabilidade traseira muito reduzida sendo quase só apropriada para algumas crianças. Também a bagageira sai penalizada com o espaço ocupado com a capota quando recolhida, mas no fundo é o preço a pagar pelo seu conceito.

Com uma boa posição de condução o 207 CC exibe um bom conforto apesar de ter uma afinação da suspensão ligeiramente mais firme que o 207 “normal”. A insonorização não é exemplar, mas estamos perante um daqueles modelos em que isso acaba por ser menos importante se considerarmos o que ele oferece.

A direção é leve, os comandos diretos e em cidade este pequeno gaulês mostra-se muito fácil de conduzir e também não se nega a nenhuma viagem com uma distância maior. Infelizmente o desenho da sua traseira e e o óculo traseiro da capota rígida não favorecem muito a visibilidade.

Motores
os motores do 207 CC são apenas três, dois a gasolina o 1.6 VTi 16V com 120 cv de potência e o 1.6 THP com 155 cv, aos quais se associa um dos preferidos pelo mercado, o 1.6 HDI a gasóleo, com 116 cv de potência que tem a seu favor os baixos consumos evidenciados.

Principais avarias e problemas
Os modelos 1.6 THP produzidos entre abril de 2006 e março de 2007 tiveram de voltar à assistência para retificar uma falha no sistema de arrefecimento do motor. Já nas unidades equipadas com o motor 1.6 HDI e que foram fabricadas até julho de 2007 foi necessário fazer uma reprogramação da válvula EGR.

Nalguns modelos houve problemas com a capota rígida que não executava o movimento na sua totalidade, ficando a meio ou nem atuando, sendo necessário proceder à substituição de um elemento do sistema mecânico para solucionar essa situação.

Peugeot 207 CC (2007-2015)
6.6 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço
Polivalência
Facilidade de condução
Contras
Insonorização
Habitabilidade
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção6.5
Desvalorização7
Qualidade dos materais6.5
Habitabilidade e bagageira5.5
Segurança7
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6.5
Performance6.5
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Dacia Logan (2005-2012)

Published

on

A primeira geração do Dacia Logan foi a proposta inicial da marca romena detida pelo grupo Renault no segmento das berlinas de três volumes. Como toda a restante gama da Dacia seguiu à risca a política low cost adotada e o seu preço foi o seu maior trunfo, mas não foi o único.



Senhor de uma excelente habitabilidade, tanto nos bancos dianteiros como traseiros, o Logan tem também na sua bagageira, com 510 litros de capacidade, um dos seus principais atributos.

O interior segue as linhas pouco entusiasmantes do exterior e o ambiente a bordo não é de todo refinado sendo dominado por materiais de qualidade apenas aceitável, mas isso é o que se espera de um modelo low cost.

Equipado com os mínimos exigidos o Logan tinha no seu preço o seu maior chamariz de clientes, mas com o passar dos anos também não se espero um grande valor de retoma.

Dinamicamente este Dacia cumpre sem entusiasmar. A suspensão assegura os mínimos para circular de forma suficientemente confortável e os comandos leves facilitam as manobras em cidade e fazem do Logan um modelo fácil de conduzir.

Motores
Seguindo a política low cost o Logan não foi equipado com a última geração de motores na época, mas as unidades que o equiparam também não estavam assim tão desatualizadas.

A gama começa com as motorizações a gasolina 1.2 16V com 75 cv, 1.4 MPI com 75 cv, 1.6 MPI com 90 cv e o 1.6 16V com 105 cv, motores mais destinados a quem faça poucos quilómetros e que se mostram suficientemente adequados para as exigências, mas as melhores propostas são os modelos equipados com os motores Diesel dCi com 1,5 litros de capacidade nas suas versões de 70, 75, 85 e 90 cv. Estes mostram ter um rendimento suficiente e acima de tudo um consumo baixo que se encaixa na perfeição no conceito low cost que dominou o lançamento do Logan.

Principais avarias e problemas
Alguns modelos equipados com os motores 1.5 dCi deram problemas com as bombas de injeção. Já os 1.4 MPI e 1.6 MPI a gasolina tiveram alguns contratempos com o sensor da cambota.

Nos Logan produzidos até ao final de 2006 podem surgir problemas de corrosão, nomeadamente debaixo do forro da bagageira. No início de 2006 vários modelos fabricados entre 5 e 19 de setembro de 2005 foram chamados de volta à assistência para corrigir uma falha nas soldaduras do banco do condutor.

Dacia Logan (2005-2012)
6.4 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Preço
Consumos
Habitabilidade
Contras
Insonorização
Qualidade interior
Fiabilidade6.5
Custos de manutenção7
Desvalorização5.5
Qualidade dos materais5.5
Habitabilidade e bagageira7
Segurança6.5
Conforto6.5
Consumo combustível7
Comportamento dinâmico6
Performance6
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler

Avaliações Usados

Peugeot 308 (2007-2013)

Published

on

Utilizando a mesma base do seu antecessor, o Peugeot 308 manteve as boas características dinâmicas do 307, mas representa um avanço qualitativo significativo, melhorando o ambiente a bordo para os seus ocupantes.



Com um aspeto sóbrio e sólido o interior do 308 apresenta uma boa escolha de materiais e oferece um bom espaço tanto para quem viaje nos bancos dianteiros como nos traseiro. A posição de condução podia ser melhor pois os pedais encontram-se um pouco chegados ao banco não deixando muito espaço para uma posição ideal.

Fácil de conduzir com uns comandos diretos e imediatos o 308 só peca por não ter uma visibilidade traseira muito ampla já que o desenho dos pilares traseiros reduz a superfície vidrada atrás.

Este gaulês mostra-se confortável tanto em cidade como em estrada com a suspensão a processar bem tudo o que se passa nos dois eixos e apesar de ser um pouco firme isso não compromete em nada a sua boa postura.

Mesmo quando o trajeto é mais exigente ou desafiante o 308 mostra-se estar à altura e pode até ser um modelo divertido de conduzir.

Motores
A gama 308 tem motores para todos os gostos. Começando nas opções a gasolina temos o 1.4 VTI com 95 cv, o 1.6 VTI com 120 cv e o 1.6 THP com 140 cv, 156 cv, 175 cv e 200 cv, o mais potente da gama e que dá vida à bem conhecida sigla GTi.

Já nos mais poupados motores a gasóleo este Peugeot conta nas suas fileiras com o 1.6 HDI com 90 e 92cv, o 1.6 e-HDI com 110 e 112 cv e o 2.0 HDI com 136 e 150 cv de potência. Além de silenciosos e suaves no seu funcionamento estas unidades revelam boas prestações e uns consumos comedidos o que as tornam nas opções ideais para o 308.

Principais avarias e problemas
Nos modelos equipados com o motor 1.6 THP e que foram produzidos até agosto de 2009 podem surgir problemas com a bomba de injeção. Foram registados alguns casos de falha na distribuição e de fugas na bomba de água nas unidades fabricadas até outubro de 2012.

O capot pode apresentar problemas para abrir e fechar devido a uma anomalia no fecho de segurança. Em termos elétricos podem surgir alguns contratempos no funcionamento dos limpa para brisas.

Peugeot 308 (2007-2013)
7 Avaliação
0 Utilizadores (0 Votos)
Pros
Conforto
Habitabilidade
Comportamento dinâmico
Contras
Posição de condução
Visibilidade traseira
Fiabilidade7
Custos de manutenção6.5
Desvalorização6.5
Qualidade dos materais7.5
Habitabilidade e bagageira7
Segurança7
Conforto7
Consumo combustível6.5
Comportamento dinâmico7.5
Performance7
O que dizem os proprietários Faça a sua avaliação
Sort by:

Seja o primeiro a fazer uma avaliação.

User Avatar
Verified
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

Show more
{{ pageNumber+1 }}
Faça a sua avaliação

Your browser does not support images upload. Please choose a modern one

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração