Ligue-se connosco

Manutenção

Como mudar um pneu furado

Published

on

Furar um pneu é algo que pode a acontecer a qualquer um, pois não há nenhuma forma infalível de o evitar. Basta um pequeno objeto pontiagudo para fazer um buraco suficientemente largo e profundo para que o pneu perca ar.
Felizmente, todas as viaturas novas vendidas atualmente possuem sistema de monitorização da pressão dos pneus. Quer isto dizer que, em caso de furo, o condutor é alertado para esse facto através de sinais visuais e acústicos. Caso o seu automóvel não possua o referido sistema, poderá detetar um furo através um ruído estranho vindo do exterior, que pode tomar diversas formas, ou através do súbito aumento do peso da direção, caso seja um pneu dianteiro.

Se o seu veículo possuir pneus “runflat”, quer dizer que poderá continuar a circular durante alguns quilómetros até à oficina mais próxima, conduzindo de forma mais cuidada e lenta. Não vale a pena tentar mudar o pneu, pois não terá pneu suplente.

Detetado o furo, assegure-se que para numa zona segura. Se conseguir, procure um parque de estacionamento ou uma área de serviço. Apesar de ser permitido, nestas situações, parar na berma da autoestrada, relembramos que não é a solução mais segura. Se a distância para a área próxima área de serviço for demasiado grande e capaz de por em causa a segurança, pare na berma e contacte as autoridades imediatamente, de modo a que a sua presença seja devidamente assinalada o mais rapidamente possível. Enquanto isso não acontecer, saia do veículo e coloque atrás das barreiras de proteção da estrada.

Estando reunidas as condições de segurança, pense se é capaz de efetuar a tarefa. Não é muito complicado, mas não tem de se sentir confrangido, se não o conseguir. Se for o caso, chame a assistência em viagem, que se encarregará de levar a viatura até uma oficina. Se decidir avançar para a substituição, siga os seguintes passos:

 

    • Verifique se o seu veículo possui, ou não, pneu suplente, que terá de estar colocado sob o tapete da bagageira, ou mesmo na parte inferior da zona traseira do veículo, no exterior. Neste último caso, a grade que aloja o pneu terá de ser desapertada através de um parafuso colocado sob o piso da bagageira. Se o seu veículo não tiver pneu suplente, mas sim um kit anti-furo, basta ler as instruções do mesmo, onde estará indicada a forma correta de aplicar a espuma e, posteriormente, de encher o pneu. Alertamos para o facto de esta solução ser apenas aplicável a pequenos furos.
    • Coloque a viatura num sítio o mais plano possível.
    • Avançando para a troca do pneu, comece por retirar o pneu suplente, o macaco, chave de rodas e a chave da porca de segurança, caso exista. Coloque tudo junto ao pneu furado.
    • O primeiro passo é pegar na chave de rodas e desapertar ligeiramente os parafusos das jantes. Faça-o sempre com a viatura ainda com quatro rodas no chão, pois, se estiver no ar, é muito mais difícil desapertar os apertados parafusos. No entanto, não os desperte totalmente, de modo a não correr o risco de ver a roda cair quando levantar a viatura.
    • Ponha o macaco nas zonas assinaladas, colocadas na lateral do veículo e, regra geral, próximas da roda a mudar. Se vir um triângulo invertido, é aí que tem de colocar o macaco.
    • Eleve a viatura
  • Desaperte a roda que tem o pneu furado e coloque a roda suplente, utilizando a sua mão para apertar ligeiramente os parafusos
  • Baixe a viatura até ficar com as quatro rodas em contacto com o solo
  • Aperte os parafusos da roda em sentido cruzado, fazendo sempre diagonais, de forma a que roda fique apertada de forma uniforme. No fim, aperte com bastante força.

Clique para comentar

Deixe a sua resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Manutenção

Como cuidar do carro face à crise do Covid-19

Published

on

Decretado o estado de emergência devido à pandemia do vírus Covid-19 as deslocações dos portugueses estão limitadas ao mínimo indispensável e como tal os automóveis vão estar parados nas garagens, ou à porta de casa durante, um período mais longo que o habitual e isso pede alguns cuidados para que os carros se mantenham em bom estado.



Assim aqui lhe deixamos alguns conselhos para que a paragem do seu veículo não deixe nenhuma mazela:

Manter combustível no depósito
O depósito é um elemento que pode sofrer com a paragem, especialmente se tiver pouco combustível pois a corrosão pode começar a atacar no seu interior. Portanto para evitar isso deixe o seu automóvel pelo menos com meio depósito de combustível.

Desligar a bateria
Mesmo parados os veículos consomem energia da bateria com sistemas tão simples como o relógio por exemplo. Para evitar que a bateria descarregue o melhor a fazer é desligar os bornos da mesma.

Proteger do clima
As condições meteorológicas ou do ambiente que rodeia o automóvel são muito importantes para a manutenção do seu bom estado. A humidade, a chuva, ou o sol podem lentamente deixar marcas no veículo. Por isso opte por protegê-lo recorrendo a uma capa, esteja ele na estacionado na rua ou nua garagem. Se ele estiver estacionado numa zona soalheira recorra a um para sol refletor de forma a minimizar o aumento da temperatura no habitáculo e também a proteger os plásticos dos vários painéis. Se o carro ficar numa zona húmida (que até pode ser a própria garagem) então pode sempre colocar um pequeno desumidificador no seu interior para minimizar os efeitos da humidade.

Verificar os níveis
Antes de parar o automóvel completamente deve verificar os vários níveis e repor aqueles que possam estar em falta. Veja o nível do óleo, do líquido de refrigeração, do óleo dos travões ou do depósito do limpa para-brisas . Desta forma fica seguro que quando voltar a colocar o carro a trabalhar os níveis estão no ponto. Aproveite esse momento para voltar a verificar tudo pois até é uma boa oportunidade para verificar se mesmo parado o seu automóvel tem alguma fuga num destes líquidos.

Cuidar dos Pneus
Sabendo que irá ter o seu automóvel algum tempo parado há duas coisas importantes a fazer. Primeiro deve colocar um pouco de pressão a mais do que a recomendada para compensar a normal perda de pressão que o tempo causa nos pneus. Depois deve regularmente andar um pouco com o carro mesmo no local onde está estacionado que os pneus não ganhem deformações por estarem a sofrer com o peso do carro no mesmo ponto, ou como se diz na gíria, para não ficarem “quadrados”. Andar para trás e para a frente alguns centímetros ou por exemplo inverter a posição do carro é suficiente para evitar a deformação dos pneus por causa da paragem mais longa.

Continuar a ler

Manutenção

Como poupar com os pneus

Published

on

Circular com os pneus com a pressão correta é fundamental por várias razões e uma delas é a poupança.



Os pneus são um elemento fundamental em qualquer veículo pois são eles o único elo de contacto com a estrada. Sabia que por exemplo num automóvel a área de contacto de cada pneu com o asfalto é sensivelmente a mesma que a palma de uma mão? Por aí pode ver quão importantes são estes componentes tantas vezes deixados para segundo plano.

Evitar gastos desnecessários

Os pneus são também muito importantes no consumo pois se circular com uma pressão baixa, o pneu vai ter uma maior superfície de contacto com a estrada, gerando mais atrito e levando a um aumento do consumo de combustível pois o motor terá de fazer um esforço maior para superar esse atrito. Consequentemente também aumentam as emissões de CO2 já para não falar no aumento do desgaste do próprio pneu, o que vai reduzir o seu período de vida útil, obrigando a um novo investimento em pneus mais cedo do que o previsto.

Assim sendo para manter a eficiência de todos os elementos no campo do consumo é importante circular sempre com a pressão recomendada e convém verificar o seu valor pelo menos uma vez por mês e para a aferição ser a mais correta esta deve ser feita com os pneus frios.

A título de exemplo circular com menos um bar de pressão do que o valor recomendado pode significar um aumento no consumo de combustível acima dos 6%. Portanto já sabe, se quer poupar tanto no consumo de combustível como na manutenção de uma boa vida útil dos pneus do seu veículo, convém mensalmente verificar se circula com a pressão recomendada.

Continuar a ler

Manutenção

Evite as dores nas costas enquanto conduz

Published

on

Não são apenas os automóveis que exigem cuidados na manutenção para que estejam sempre em boas condições de funcionamento. também o condutor tem de ter atenção à sua postura ao volante pois a condução pode tornar-se penosa e as dores nas costas são um dos desconfortos mais comuns para quem faz muitas horas aos comandos de um veículo.



Aqui lhe deixamos alguns conselhos para que possa minimizar esse problema que pode tornar qualquer viagem de automóvel num verdadeiro pesadelo:

1 – Ajuste a posição de condução para uma postura correta e confortável, com as costas o mais direitas possível, apenas com uma ligeira inclinação para trás. Muitas vezes uma má posição logo no início da viagem pode provocar um grande desconforto à medida que os quilómetros passam.

2 – Coloque os espelhos retrovisores bem posicionados de maneira a que não tenha de fazer movimentos com o corpo quando olha para eles. Se assim não for as constantes torções do pescoço podem começar a prejudicar o bem estar das costas.

3 – Assegure-se que tem um bom apoio lombar. Se o banco do automóvel tiver essa possibilidade regulável, ajuste-a de forma a ter um bom apoio e não ficar com espaço entre os lombares e o banco. Se não tiver essa regulação, pode sempre enrolar uma toalha e colocá-la ao fundo das costas de maneira a apoiar a zona lombar.

4 – Não fique com o telemóvel ou a carteira no bolso das calças. Esse pequeno volume é o suficiente para o ligeiro desalinhamento causado na coluna vir a gerar dor nas costas ou agravar um mau estar já existente.

5 – Pare a cada hora de viagem para esticar o corpo e mover-se um pouco. Faça uns pequenos alongamentos como tentar chegar com a ponta dos dedos das mãos até aos pés. Para esticar as costas agache-se e com os joelhos dobrados tente chegar com o peito aos joelhos. Para aliviar o mau estar no pescoço gire os ombros e mova a cabeça de um lado para o outro em direção aos mesmos.

6 – Muitas das vezes as dores das costas são provocadas pelas vibrações e ressaltos da suspensão do automóvel, especialmente se este também tiver os bancos com um estofo algo duro. Há no mercado almofadas especiais para estes casos que vão funcionar como “amortecedor” de todas estas vibrações. Naturalmente ter o veículo com os amortecedores e os pneus em bom estado e assegurar-se que a pressão destes é a correta também vai tornar a viagem mais confortável, logo menos prejudicial para as suas costas.

7 – Se o seu automóvel tem cruise control, não hesite em utilizá-lo sempre que possa. Aproveite esses momentos para colocar as pernas numa posição o mais próximo dos 90º possível e fazer uma ligeira pressão para baixo. Quase como se fosse levantar-se de uma cadeira. Esse gesto ajudará a apoiar as costas melhor por momentos.

8 – De um modo geral deve promover um estilo de vida saudável com exercício físico envolvido, algo que irá reduzir o risco do surgimento de dores nas costas. Seja como for não deixe de levar uma pomada anti-inflamatória ou analgésica que pode adquirir mediante o conselho de um médico ou farmacêutico para alguma situação mais complicada que possa surgir durante a viagem.

Continuar a ler
Publicidade

Estamos no Facebook

Newsletter

Em aceleração